Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2010

Os nossos leitores têm a palavra

“Ser, ou não Ser, eis a 'Chávez' da questão!”

 

Texto de Carlos Sintra*

 

De mochila ás costas, Janeiro é o mês eleito há alguns anos, para, na companhia de dois amigos, partir em busca de novas aventuras. Viajar para mim é muito mais que um conceito de férias, é uma aventura “pura e dura”. Poder estacionar noutra realidade, conhecer outras criaturas, coabitar e partilhar outras experiencias, é como viajar até outro Planeta! A decisão, desta vez, recaiu sobre a República Bolivariana da Venezuela! Só pela localização geográfica e pela misteriosa Grande Savana, já seria por si só, suficientemente aliciante. Quanto mais, pela adrenalina acrescida, gerada pelas notícias vindas a publico, tornando mais convidativa, a viagem para o “Planeta”, do bem (!?) conhecido “Frias” (nome por vezes utilizado pelos anti-Chávistas, dado ser esse, o seu último nome).

Antes da partida, pouca importância damos á preparação da aventura, para alem é claro, da simples reserva do voo. Desta vez decidimos abrir uma excepção, e resolvemos levar connosco, a “Chavéz” de acesso, a uma sobrevivência mínima, num “filme” que não tem, nem quer ter, este tipo de actores, entenda-se turistas.

Começando pela sobrevivência financeira (importante neste tipo de coisas…), constatamos uma realidade realmente de outro Mundo: dois tipos de câmbio muito desiguais... no câmbio oficial 1 € = 3 bolívares (levantamentos multibanco); no câmbio negro (encontra-se facilmente nas ruas) 1 € = 7 bolívares, podendo chegar aos 9, ou mais bolívares. Porque é que isto acontece? Simplesmente, porque o acesso á moeda estrangeira, é extremamente difícil. Se viajarem até lá, não se esqueçam de levarem convosco “alguns” Euros, em notas é claro, pois valem como ouro...ou seja, rentabilizarão a vossa viajem em mais de 50%! Poderão ainda abrir ou aceder a uma conta local (precisam de alguém conhecido) e pedir um cartão multibanco. Escapam dessa forma ás elevadas taxas aplicadas aos cartões europeus e evitam andar com muitos Bolívares no bolso… o que é importante por motivos de segurança!

Do litoral para a Grande Savana no Sul, do Este para Oeste, passando pela isla Margarita, percorremos – de autocarro, avião, jeep, táxis, a pé - seguramente mais de 3.000 kms! Em toda a nossa “estadia” não presenciamos, nem fomos vitimas de nenhuma investida menos “acolhedora”. Apesar de sermos confundidos frequentemente com os “gringos” (forma “carinhosa” como tratam os “amigos” norte-americanos), e de, em alguns lugares, sentirmos que, provavelmente seriamos os primeiros “mochileiros” a passar por lá! No entanto, passamos por pessoas armadas, militares em postos de controle, casas fechadas a “sete Chávez”, lojas com portas e janelas protegidas com aparatosos gradeamentos, para não falar dos condutores que nunca abandonam os carros, sem trancarem o volante com cadeado e verificarem a segurança das portas e alarme, antes de saírem das viaturas. Sente-se em alguns lugares, uma “certa preocupação” nas pessoas. É normal, ao cair da noite, assistir-se a um recolher quase obrigatório. Por algumas vezes, fomos avisados para não andarmos depois do “cair da noite”. Em resumo, não vimos “bruxas”, mas parece que as há!

A Venezuela é um dos maiores produtores de petróleo do mundo é também o responsável por quase todo o dinamismo da economia venezuelana. Com uma grande diversidade de paisagens, a costa venezuelana é banhada pelo Mar do Caribe, onde o turismo é uma actividade importante (Isla Margarita). Caracas é uma cidade bonita, mas muito cara. A única coisa barata na Venezuela é o combustível ... interessante país, que se dá ao luxo, de financiar a produção do combustível (dizem os anti-Chavistas, que o governo, injectou mais de 150.000.000 dólares, nos últimos 10 anos…) para que o Povo (o que tem automóvel…) possa esbanjar. Essa é a palavra certa, pois boa parte do parque automóvel, são autenticas “máquinas do tempo”, com consumos muito interessantes….Nada que preocupe o cidadão Venezuelano, a não ser que tenha preocupações ambientais! Na viagem que fizemos de Jeep á grande savana (1.400 kms!), na 1ª vez que paramos para atestar o Toyota Land Cruser a gasolina (não me lembro de ter visto carros a gasóleo…), o motorista “deu-se ao luxo” de pagar o deposito com umas moeditas que encontrou no chão da viatura! Fez-nos lembrar, a nós, “terráqueos”, nada habituados a este tipo de extravagancias, as nossas idas aos supermercados cá do burgo. Apenas com uma pequena diferença: a moeda de 50 cêntimos de euro, que levamos para o carrinho das compras, daria para pagar o tanque do combustível e ainda sobrava para mais… uns litritos! Coisa pouca, se pensarmos, que com os mesmos Bolivares, não conseguiríamos comprar… mais nada! Uma simples garrafa de água, chega a custar 30 vezes mais!

Os postos de combustível são vigiados e controlados constantemente pelos militares. É normal encontrar filas intermináveis de viaturas para atestar. Em Santa Elena do Uairén, cidade fronteiriça com o Brasil, descobrimos filas de quilómetros de viaturas vindas desse País, “apenas” com o objectivo de atestar o deposito. Para alem de manter a segurança, a presença dos militares visa impedir o contrabando do combustível.

Também presente, está a Guarda Nacional, mas junto do comércio… privado! Segundo o presidente, para “controlar” a subida de preços. A tal ponto, que resolveu num certo dia de Janeiro, fechar todas as lojas do Pais, para que fizessem um inventário. Resultado: nessa manhã fomos expropriados do nosso “desayuno”… e uma semana depois, resolveu expropriar os hipermercados Exito, uma cadeia de lojas franco-colombiana, por alegadamente terem preços mais altos que a… concorrência! Economia de mercado…

Outra medida que pretende implementar é o “ajuste cambial” (nada tem haver com o “outro cambio” existente), que passa por haver duas taxas cambiais oficiais: uma apenas para os bens essenciais (alimentação por exemplo), enquanto que a outra se destina aos restantes bens e serviços. A oposição está preocupada, pois acredita que os preços subirão em flecha… o governo não! Certamente, pela experiencia dos dois câmbios não oficiais….

Seja através de outdoors, ou simples inscrições, o que se vê nas ruas é a imagem do presidente Hugo Chavez. Com o slogan “Rumo ao Socialismo”, ou palavras de ordem, como “Socialismo, Pátria, ou Muerte”, ele promete uma mudança a implementar durante os próximos anos. A sua estratégia passa pelo encerramento de algumas empresas privadas, enquanto que as estatais, terão uma importância acrescida, principalmente as que geram maior riqueza ao país, ligadas ao petróleo. Muito criticado pela oposição, que o acusam de populista e responsável pela divisão do pais do ponto de vista social, mas abraçado pelos seus apoiantes, o governo vai dizendo, que é a voz do povo. E é para esse “seu” povo, que nas tardes de Domingo, o presidente Chávez, fala em directo na televisão. Num programa de muitas horas e de puro entretimento, é ele a figura principal, onde para alem de falar e cantar, aproveita para fazer campanha.

Apesar da instabilidade económica, a população vai encontrando algumas oportunidades de negócio. Exemplo disso, são os inúmeros taxistas “ilegais”, que circulam nas estradas. Qualquer carro, com uma simples placa a dizer “Táxi”, está pronto a trabalhar! Não tem que pagar impostos e muitos encontram desta forma, um complemento diário para os seus salários.

Não é por falta de “guias”, nem pelo custo das entradas (grátis), que os museus se encontram vazios. Em qualquer dos museus que visitamos, tivemos sempre direito a uma grande recepção…grande apenas pelo número de pessoas (sentadas…) presentes! Provavelmente será uma forma que o governo encontra para dar mais emprego… não rentabilizado, porque são mínimos os cuidados em manter esses locais limpos…!

O fuso horário de 30 minutos (para Portugal, são 4h30) é único no mundo! Foi o próprio presidente Chavez que escolheu o seu fuso horário. Continua a defender a ideia, dizendo que é para dar mais tempo de luz ás crianças… mas todos sabem que tem haver, com o simples facto, das actuais divisões horárias, terem sido impostas pelos EUA. Efeitos da anti-globalização…

Não será só com os EUA, que haverá sinais de “anti-globalização”, também com alguns países vizinhos. Depois de termos percorrido de carro, cerca de 1.000 Kms, para Guiria (extremo nordeste do País), cidade onde pretendíamos apanhar um ferryboat para Port of Spain (capital de Trinidad e Tobago, que praticamente se vê da costa), não podemos passar. As ligações entre os dois Países realizam-se apenas uma vez por semana…ás miércoles! Países tão perto, mas tão longe… será por falta de fiscalização?

Não será o caso nas partidas no Aeroporto de Caracas, onde a fiscalização é levada muito a sério! Toda a bagagem é inspeccionada minuciosamente, aberta e remexida vezes sem conta! Tudo isto depois de termos passado … por três controlos de Raio-X!!!

Hasta la vista!

 

 

* Carlos Sintra tem 42 anos e reside no Juncal. É profissional de seguros e conhecido de muitos de nós. Foi convidado pelos Editores do Vila Forte a partilhar connosco algumas memórias de uma viagem que fez recentemente à Venezuela, terra de Hugo Chavez. Os editores do Vila Forte agradecem-lhe a atenção.

publicado por Autores do blog às 07:00
endereço do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De Paulo Sousa a 22 de Fevereiro de 2010 às 08:51
Depois do texto fico ainda mais roidinho de inveja de não ter conhecido a Venezuela, terra de excessos de beleza da paisagem, mas também de excessos do seu presidente. O custo do combustível é de facto uma anedota que mostra até que ponto pode ir o populismo de um governante (3,31 bolívares por 35 lit de gasolina, 1euro = 7 bolívares). Com preços assim quase que compensa ir abastecer a Caracas.
Também o fuso horário de 30 minutos, como forma de mostrar que se está desalinhado com a comunidade internacional, até na horas.
O slogan do regime de Chavez (Rumo ao Socialismo) será o que mais verdadeiro tem a sua mensagem, filtrada pelos media censurados, e também poderia ser o slogan do PS de Sócrates, que até nos tiques de poder está próximo do Presidente da Venezuela.
Ontem após o relato oral que nos fizeste, gostei também de saber dos vossos banhos no rio onde os índios se recusam molhar-se por causa das anacondas... a sorte protege os audazes.
Obrigado pelo texto e cá aguardamos pelo relato da próxima aventura.
Um abraço
De Anómico a 22 de Fevereiro de 2010 às 15:29
http://www.peticao.com.pt/arvores-de-sintra
De Toffes a 24 de Fevereiro de 2010 às 21:10
Afinal a Venezuela não é o que nos querem impingir por cá.
O próprio autor do artigo reconhece que andou por onde quis sem ser incomodado por ninguém.

Pena que só tenha visto coisas negativas.
A gasolina muito barata é transversal em todo o artigo. Se fosse cara vinha dizer que afinal um país produtor de petróleo tem a gasolina muito cara.
Os portugueses não vão abastecer a Espanha?e os espanhóis têm um nível de vida muito mais elevado que o nosso.

Segurança nos aeroportos e nas ruas?
Nunca foi a Londres?
Elicopteros a sobrevoarem a cidade permanentemente, policias em cada esquina, câmaras de vigilância por todo o lado, policias armados até aos dentes nos aeroportos, revistas e mais revistas nos aeroportos.
Se quer comparar o que não pode ser comparável compare.
Quer maior paranóia securitária que nos Estados Unidos da América? - recentemente um homem ficou trancado na casa de banho dum avião obrigaram a um desvio de rota e os meios de desinformação propalaram ao mundo que se tratava de um atentado terrorista.
Admirado de um país que se sente ameaçado constantemente ( Não foram os americanos colocar bases militares nas fronteiras da Venezuela)ter normas restritas de segurança?
Quem está contra o Chaves? - os privilegiados de sempre. O Povo está com o seu governo que lhes tem proporcionado o que ninguém antes lhe proporcionou.
Há coisas menos bem? - claro! Se conseguirem corrigir os erros e canalizar a riqueza daquele país para os que mais necessitam, vão no bom caminho.


De Paulo Sousa a 26 de Fevereiro de 2010 às 20:39
Caro leitor,

Sugiro-lhe a leitura deste artigo da Courrier Internacional:

http://c4.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/o4404c29b/5861113_7uzBA.jpeg

Enviei este artigo ao Carlos antes de seguir para a Venezuela, não para o fazer desistir da viagem, que sei da sua fibra de viajante destemido, mas para informação.
Esta estatística que coloca Caracas como a segunda cidade mais perigosa do mundo, à frente de Bagdad, é além do custo da gasolina, uma imagem de marca do Grande Líder da Venezuela e faz dele um exemplo para os países que queiram concorrer nesta rubrica. É fácil entrar na Venezuela, pode sempre ir lá. Eu dispenso.
De Toffes a 26 de Fevereiro de 2010 às 21:10
Por essa ordem de ideias também não vai a Lisboa, ou aos E.América e tantos outros países por esse mundo fora onde as armas estão ao alcance de qualquer um incluindo menores que matam professores e colegas de escola.

É preciso saber o que era a Venezuela, o que é e para onde vai.

Não é em meia dúzia de anos que se altera toda uma política.

E, pelo caminho que isto leva, em Portugal, não estamos seguras que não venha a acontecer bem pior.

De Diogo Carreira a 23 de Março de 2010 às 18:56
Depois de ler um texto como este, a primeira coisa que me ocorre e´ "Quando vou à Venezuela"? Poder "viver " numa realidade completamente diferente àquela que estamos habituados é sem dúvida aliciante.
Seria realmente bom poder ir atestar o depósito com o troco do café...
Espero poder ouvir de muitas outras aventuras deste explorador a nível Mundial (Já conheceu mais países que eu Cidades... ) .
Abraço

Comentar post

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.connosco à mesa

Os nossos convidados

Dr. Miguel Horta e Costa

Eng. Cláudio de Jesus

Dr. Saúl António Gomes

Dra. Isabel Damasceno 

Prof. Júlio Pedrosa 

Cor. Valente dos Santos

 

Os nossos leitores

Ana Rita Sousa

Carlos Sintra

 

O nosso email

 

Siga-nos 

 

.podcast


Curvas do Livramento

oiça os nossos debates

Ed. Zero

Edição 1 - 04/Jun/009

Ed. 1.1 Europeias

Ed. 1.2 Autárquicas

Ed. 1.3 Casamentos Gay

Edição 2 - 30/Jun/009

com Clarisse Louro

Ed. 2.1 Pós Europeias

Ed. 2.2 Legislativas

Ed. 2.3 Autárquicas

Ed. 2.4 PMós 2º Clarisse Louro

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.Últimos Comentários

Special thanks to MrCosmos
The Feedburner expert

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.Quiosque

diários

semanários
  regionais
 
   

.Filme recomendado

 

 

Trailer

 

 

 

.Leitura em curso


A Revolução dos Cravos de Sangue

de Gerard de Villiers

Estamos em Portugal, no rescaldo do 25 de Abril, e Lisboa é um tabuleiro de xadrez onde CIA e KGB jogam uma partida mortal. Os serviços secretos americanos, desesperados por apenas terem sabido do golpe de Estado através dos jornais, esforçam-se para impedir que Portugal caia nas mãos do comunismo. Do outro lado, a KGB tem em mente um plano diabólico e põe em campo os seus melhores agentes. É então que um golpe de teatro promete desequilibrar esta guerra fria. Natália Grifanov, mulher de um poderoso coronel da KGB, está disposta a passar para o Ocidente e a relatar todos os segredos que sabe. Para organizar essa deserção a CIA escolhe o seu melhor agente: Malko Linge. Mas nem ele conseguirá levar a cabo esta missão sem evitar danos colaterais. E é então que, nas ruelas de Alfama e nos palácios da Lapa, entre traições e assassinatos, a Revolução dos Cravos mostra a sua outra face.

E, acredite, não é bonita!

Um thriller soberbo e original, passado no pós 25 de Abril de 1974.


Saida de Emergência

.Contador de visitas

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds