Segunda-feira, 19 de Abril de 2010

A Cabra da Igreja Cega!

Não é tradição no Vilaforte editores responderem a editores, mas a propósito disto, gostava de ser politicamente incorrecto, ou outra coisa pior, conforme o julgamento que cada um faça deste post.

É fácil “malhar” nos desprotegidos e ao contrário daquilo que a Telma diz, eu acho que a Igreja, neste momento, é uma instituição desprotegida! Será que aquilo que a Telma interpreta como arrogância, não será mais que uma reacção de defesa?

O que diz um Padre não é obviamente a posição da Igreja.

Recordo que no caso Casa Pia, que a todos nós nos chocou, ninguém ainda foi condenado e se é verdade que aparentemente é chocante ninguém ter sido condenado, se quisermos viver num Estado de Direito não podemos ser nós a condenar seja quem for, só pela mediatização dos temas que “tem direito” a chegar à comunicação social e temos que aguardar pela justiça, por muito má que ela seja.

O que é que a igreja pode fazer mais, que expulsar um dos seus, quando cometem um crime? Não percebo.

Quem não concorda com as regras da igreja tem bom remédio, sai. Nunca percebi porque é que as pessoas não concordam com o facto de a igreja não aceitar para padrinhos divorciados e ao mesmo tempo quererem baptizar os seus filhos ou casarem pela igreja. As regras são da igreja e é claro que na nossa tradição/educação se confundem muito com os nossos hábitos, mas simplesmente devemos de respeitá-las.  

Será que a vinda do Papa a Portugal tem alguma coisa a ver com a frequência destas noticias em Portugal? Ou somos todos inocentes e é pura coincidência?

Não sei onde é que a Telma viu aquelas declarações, mas quinta-feira a Conferência Episcopal a propósito deste tema, entre outras declarações, através do seu vice-presidente D. António Marto, disse o seguinte:

“Cada caso é um caso e nós não temos possibilidade de averiguar toda a verdade ou toda a falsidade”, o que é óbvio.

“… em países como a França, Itália, Espanha, não nos pareceu necessário haver uma comissão”, é uma opinião.

a pedofilia “é um dos pecados mais graves que existem”, é a posição da igreja por estranho que pareça.

e com toda a humildade e sem certezas diz, não se poder provar que haja qualquer campanha contra a igreja, apesar de parecer digo eu.

Telma eu conheço-te como defensora dos desprotegidos e a Igreja precisa de ajuda!

Espero que este post não acelere aquilo que mais desejas neste momento!

publicado por Luis Malho às 14:00
endereço do post | comentar | favorito
|
16 comentários:
De Pedro Oliveira a 19 de Abril de 2010 às 14:13
Luís,
A questão que a Telma colocou não passa por aí, pela interpretação que fiz, passa pelo facto de um crime hediondo como a pedofilia ter sido encoberto pela Igreja, e agora que são conhecidos serem desvalorizados ao ponto de não se denunciarem, no caso Português, a haverem, porque a lei a tal não obriga.
O caso Casa Pia pelo menos chegou aos tribunais...
De Paulo Sousa a 19 de Abril de 2010 às 14:24
A ocultação de crimes de pedofilia é algo hediondo e condenável.
Mas de facto, somos bichos sociais e é-nos muito mais fácil gritar mais alto dentro de um grupo do que a solo. Este ideia aplica-se a este caso como a muitos outros.
De anonimo´s a 19 de Abril de 2010 às 15:01


Relembrar que o que o Sr. Bispo disse!
E nao fazer a interpretação ao melhor jeito!
Era importante relembrar. Ele faz uma disjuntiva...
De Maria Antonieta a 19 de Abril de 2010 às 18:02
A Igreja pela voz de muitos dos seus representantes tem alegadamente feito alguma correlação entre a homossexualidade e o celibato com a pedofilia .
E isso não é admissível.
Por outro lado, todos nós estamos de acordo que a pedofilia é um crime e quem afaz tem de ser punido criminalmente.
Nem a Igreja (instituição que todos respeitamos) nem outra instituição qualquer pode omitir estes casos.
Não se trata aqui de pecados.
Pecados todos temos e devemos perdoar-nos.
Trata-se de crimes e como crimes têm de ser tratados.
E não podemos esquecer que é exactamente porque protegemos os desprotegidos que se deve elevar a nossa voz.
A maior parte das vítimas eram criança desprotegidas e pertenciam áqueles que sabemos, socialmente, nunca terem voz.
De Eduardo Louro a 20 de Abril de 2010 às 00:39
Essa tese da Igreja desprotegida neste contexto está a fazer caminho. Tem sido lançada de várias e distintas "rampas". Uns dizem assim mesmo, outros dizem que a Igreja está a passar um mau momento de que os seus inimigos se estão a aproveitar para "impiedosamente" "malhar". Outros ainda têm a "lata" de desvalorizar o problema falando até de "tempestade em copo de àgua". Mas não é isso que está em causa, não é essa a questão nem foi disso que o texto da Telma tratou. Não é a Igreja que se está a pôr em causa. Fala-se e estão em causa apenas gravíssimos crimes de pedofilia. Intoleráveis crimes praticados a coberto de uma entidade que desfrutou e utilizou condições de especiais pervilégios para os esconder quando lhe competia denunciá-los e puni-los. E que, depois de conhecidos, não tem pudor ou simples clarividência de fugir "à tentação" de manipular essa realidade.
Não há problema nenhum em termos opiniões diferentes sobre o que quer que seja. Isso é saudável e desejável. Mas se desvirtuamos as questões não estaremos a manifestar a nossa opinião sobre uma questão mas tão simplesmente a desvirtuá-la, a colocá-la noutra dimensão, noutro contexto!
De antonio carvalho a 20 de Abril de 2010 às 12:51
Quando acabei de ler o seu post, fiquei como que meio incrédulo, meio sério de mais. Não que eu queira modificar a opinião que tenho sobre a Igreja Católica, pois os anos em que a frequentei e vivi por dentro, deu-me toda a liberdade para nunca mais lá voltar, emquanto tiver um mínimo de lucidez. Sabe que eu deixei a Igreja Católica porque o Padre da minha freguesia condenava muito a guerra do Vietname(vietnamitas do norte é claro) mas esquecia sempre a guerra do chamado então Ultramar Português onde eu nessa altura já me encontrava na calha para matar "terroristas".
Por essa afronta à inteligência dos jovens e da força da PIDE-DGS, também nessa altura a Igreja se armava em vitima das canalhices que praticava entre os seus acólitos e dando cobertura ao silêncio de casos de tráfico humano de meninas virgens angariadas por distintas senhoras do regime (mas na verdade proxenetas protegidas)- tipo programa -Ballêt Rose), o qual nem a Pide conseguiu abafar por completo.
Considero que a sua posição nesta matéria é no minimo intrigante, pois essa ideia da fragilidade da Igreja cai como mel na sopa da Igreja. Tratar de abafar o caso o mais rápido possível, é a estratégia da estrutura politica do Vaticano. Aliás a prudência da Igreja é desdramatizar e esquecer. Logo, quanto mais depressa se acabar a conversa, o tempo regulará o esquecimento e a crise, sobretudo com a vinda do PAPA a Fátima. Aliás, foi assim com o escândalo com as fraudes do Banco do Vaticano ligadas ao processo Marcinkus. Também aconteceu assim em Portugal com o caso de pedofilia da Casa Pia, cuja instituição é partilhada entre o Estado e a Igreja.
Infelizmente, a pedofia, é uma mancha da miséria humana, onde as suas vitimas são sempre os mais desprotegidos e também aí, as instituições onde a Igreja gere e promove a dita caridade, não é coisa abstrata. São as duras realidades de centenas de jovens (meninos e meninas) alvo fácil de gente sem vergonha e sem escrupulos que à sombra ou com a conivência da Igreja, são tantas vezes tornadas agressoras em vez de vitimas.
Bom dia.
De Jorge Oliveira a 20 de Abril de 2010 às 13:53
Esta igreja fede, não posso estar mais de acordo com o Sr Carvalho, isto, o que se tem noticiado é o que se sabe e o resto de séculos de omnipotência?
Como é possível o bispo de Leiria ter mandado para o desemprego uma pessoa só porque se divorciou (professora de Religião e Moral de uma Escola Básica)
Se calhar levava "malhas de porrada" que interessa isso, o casamento é "até que a morte os separe" se for por acção de um dos do casal AZAR.
Diz-se que são casos isolados, visto haver milhares de padres e "afins", e são "apenas" dezenas os casos, será? é que os casos não param de crescer e os padres cada vez são menos.
De Mb a 20 de Abril de 2010 às 22:26
Caro Dr.,
deixe que lhe diga que não posso estar mais de acordo consigo e por outro lado surpreende-me bastante a posição da Telma. Quando a conheci na Escola Secundária de Porto de Mós e com ela convivi durante alguns anos não me parecia tão radical mas tendo em conta que muita gente muda com a evolução da vida, a saída para outros meios e a "aquisição" de formação académica superior, enfim, estranho neste caso, mas aceito que possa ter acontecido isto mesmo. Mas pronto, o problema aqui não está propriamente no que pensa actualmente a Telma.
Tal como o senhor, também eu acredito que nada acontece por acaso e este ataque cerrado à Igreja só acontece com esta intensidade porque vem aí o Papa. Ninguém põe em causa o carácter hediondo da pedofilia e ainda para mais com a agravante de ter sido cometido por pessoas que têm obrigações acrescidas na área dos direitos humanos e até como forma de credibilizar a sua mensagem e, supostamente, a sua prática, mas daí confundir a árvore com a floresta e ainda por cima acusar o Papa de tudo, é excessivo e injusto. É a mesma coisa que acusar, por exemplo, o presidente de uma Ordem profissional por um crime que possa ter sido cometido por dezenas ou centenas de membros dessa mesma Ordem. Simplesmente, não faz sentido.
Uma coisa é a Igreja, outra coisa são as pessoas que a constituem e outra também diferente é a fé ou os princípios defendidos por essa igreja. O ideal é que esses três elementos coincidam ao máximo, mas nem sempre acontece por uma coisa tão simples quanto isto: a natureza humana.
Todos nós crentes ou não, defendemos aqueles principios básicos, do ajudar o próximo, ser justo e coisas bonitas nesse género mas quantas vezes fazemos o contrário disso num dia e cumprimos isso integralmente noutro? Ninguém é perfeito e condenar sem hipótese de perdão uma instituição que tem milhares ou milhões de pessoas a servi-la porque uma parte desses servidores se portou de forma nojenta e contrária aos princípios que apregoa, é também incorrecto (embora a graduação dessa injustiça, não seja comparável, claro).
Como diria um meu amigo eu fico estupefacto por ver que quem mais fala sobre a Igreja são aqueles que se dizem não crentes, não praticantes, agnósticos ou ateus (alguns, naturalmente). É estranho, não é?
Há coisas que não percebo. Critiquem, as pessoas, os actos, mas deixem as questões da fé de parte.
De antonio carvalho a 21 de Abril de 2010 às 00:24
Pela parte que me toca quero dizer-lhe que não falei de nenhuma questão de fé, seja ela da Igreja Católica, Evangélica Batista, ou Islâmica. Comungam todas dos mesmos principios; quem não é por mim é contra mim. Até parece que o Deus é "cada cor seu paladar"
O que é interessante é você considerar hediondo o crime de pedofilia, mas depois até parece aceitar que uma questão de perdão dita pelo "Papa" é a panaceia para resolver o problema.
Já agora, pode ser que o mesmo "Papa", também nos venha abençoar "Portugal e aos portugueses", pois as duas últimas visitas papais não deram resultados visiveis, pois a miséria é cada vez mais e não me consta que as politicas que provocam essa mesma miséria, tenham sido alvo das criticas da hierarquia católica.
Defenda o crime com o perdão, mas então quando algum padre lhe violar uma criança ou a matar "lembra-se do "Padre Frederico" na Madeira, não é verdade !?
Quem deu cobertura à sua fuga da prisão !?
Pergunte ao seu Deus, se a sua Igreja não se está a tornar cada vez mais, como a praça dos negócios, onde os vendilhões têm toda a cobertura para a trapaça social e humana !?.
De Telma Sousa a 22 de Abril de 2010 às 02:17
Caro MB , Quem o lê parece que me conhece ou conheceu, mas realmente só parece mesmo. Fico feliz por reconhecer que eu já não sou a mesma do que quando tinha 14, 15, 16 anos. Parece-me bom sinal que aos 36 possa pensar diferente, mas mesmo assim já nessa altura defendia as minhas opiniões!. Em primeiro lugar gostava que me dissesse em que se fundamenta para me chamar radical, será porque lhe parece inoportuno ter opinião própria? Em segundo lugar registo "... a "aquisição" de formação académica superior" em que coloca a palavra aquisição entre aspas. Sei o que pretende insinuar e é lamentável! Em terceiro lugar, eu não falei em questões de fé! Falo em coerência de princípios! Falo em respeito pelo outro, neste caso pelas crianças, pelos pais, pelos milhões de fiéis.
Falo na denúncia de (e bastaria um) crimes que quando é em qualquer outro sector da sociedade todos somos unânimes em defender que se deverá ir até à exaustão apurar responsabilidades. O que é que muda por ser na Igreja católica?
Quanto ao resto já foi muito bem exposto por outros comentadores!
De Rafael Marcelino a 21 de Abril de 2010 às 00:12
Uma polémica desmedida. A única coisa que digo, é que como católico (praticante QB) a IGREJA somos nós.
Mas é ver alguns católicos no seu dia-a-dia a fazerem crimes (pecados) hora-a-hora.
No entanto muitos andam com gravatas óculos escuros e consideram-se pessoa de bem.
Crimes sejam eles qual forem devem ser julgados nos Tribunais civis com celeridade.
De a 21 de Abril de 2010 às 02:47
Talvez seja só eu a ser utópico e sonhador, mas a verdade é que cada um de nós, críticos sentados, tem tanta culpa quanta conseguir aguentar na consciência, porque todas as infelizes crianças de que falamos, não tiveram mais ninguém que as acolhesse além das "casas da igreja", para o bem e para o mal.
A verdade é que é muito mais fácil apontar a hipocrisia evidente em algumas altas patentes da igreja, disfarçada de doutrina, e apontar também todas as nódoas da toalha, esquecendo que ela cobre a mesa que alimenta meio mundo, do que meter as mãos na massa.

Se cada um de nós se envolvesse directamente no auxilio de quem mais precisa, não só estaria a dar uma preciosa mão, como um olho atento, estaria a fazer o bem e, mais importante ainda, a evitar o que se fizesse o mal.

Quer nos agrade quer não, a igreja é responsável pela criação e manutenção dos grosso dos mecanismos de auxilio aos mais necessitados, e não é preciso sermos crentes para nos juntarmos às boas causas, é preciso é vontade...

Comentar post

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.connosco à mesa

Os nossos convidados

Dr. Miguel Horta e Costa

Eng. Cláudio de Jesus

Dr. Saúl António Gomes

Dra. Isabel Damasceno 

Prof. Júlio Pedrosa 

Cor. Valente dos Santos

 

Os nossos leitores

Ana Rita Sousa

Carlos Sintra

 

O nosso email

 

Siga-nos 

 

.podcast


Curvas do Livramento

oiça os nossos debates

Ed. Zero

Edição 1 - 04/Jun/009

Ed. 1.1 Europeias

Ed. 1.2 Autárquicas

Ed. 1.3 Casamentos Gay

Edição 2 - 30/Jun/009

com Clarisse Louro

Ed. 2.1 Pós Europeias

Ed. 2.2 Legislativas

Ed. 2.3 Autárquicas

Ed. 2.4 PMós 2º Clarisse Louro

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.Últimos Comentários

Special thanks to MrCosmos
The Feedburner expert

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.Quiosque

diários

semanários
  regionais
 
   

.Filme recomendado

 

 

Trailer

 

 

 

.Leitura em curso


A Revolução dos Cravos de Sangue

de Gerard de Villiers

Estamos em Portugal, no rescaldo do 25 de Abril, e Lisboa é um tabuleiro de xadrez onde CIA e KGB jogam uma partida mortal. Os serviços secretos americanos, desesperados por apenas terem sabido do golpe de Estado através dos jornais, esforçam-se para impedir que Portugal caia nas mãos do comunismo. Do outro lado, a KGB tem em mente um plano diabólico e põe em campo os seus melhores agentes. É então que um golpe de teatro promete desequilibrar esta guerra fria. Natália Grifanov, mulher de um poderoso coronel da KGB, está disposta a passar para o Ocidente e a relatar todos os segredos que sabe. Para organizar essa deserção a CIA escolhe o seu melhor agente: Malko Linge. Mas nem ele conseguirá levar a cabo esta missão sem evitar danos colaterais. E é então que, nas ruelas de Alfama e nos palácios da Lapa, entre traições e assassinatos, a Revolução dos Cravos mostra a sua outra face.

E, acredite, não é bonita!

Um thriller soberbo e original, passado no pós 25 de Abril de 1974.


Saida de Emergência

.Contador de visitas

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds