Quinta-feira, 20 de Maio de 2010

Quem salva o Pavilhão Municipal?

 Recentemente, entrei no Pavilhão Gimnodesportivo para participar numa aula de dança. Bem fixe!!

 Tanto à entrada como à saída fiquei com a nítida sensação de que deveria voltar com uma câmara fatográfica para registar  o avançado estado de degradação do edifício.

Milhares de jovens passam por aqui todos os dias. Já que lhe hipotecamos o futuro com obras faraónicas que os Espanhóis já abandonaram como por exemplo o TGV, ao menos que a nível  local se   conservem os edifícios onde ainda podem  aprender divertindo-se. As fotos falam por si!

 

 

 

 

Segue requerimento para o Senhor Presidente da Assembleia Municipal!
publicado por Ana Narciso às 17:46
endereço do post | comentar | favorito
|
16 comentários:
De Anómico a 20 de Maio de 2010 às 18:52
Mais um assunto recorrente que só pura incompetência desleixo, incapacidade de gerir o que quer que seja pode deixar perdurar no tempo. Não sei há quanto tempo se fala do pavillhão mas se formos a Mira de Aire a *M...* é a mesma só que o cheiro é um pouco mais serrano. Já o cinema é precisamente a mesma coisa. Conheço relativamente bem o espaço e o que está à mostra é apenas a ponta do iceberg. No meio disto tudo o que mais confusão me faz é a falta de sensibilidade, já não digo, pelas condições das crianças porque está mais que demonstrado que o "manda-chuva" cá do burgo não quer saber disso para nada, mas pelo dinheiro que cada dia que passa se tem que gastar a mais. O tal Manda-Chuva que parece querer seguir as pegadas do chefe e passar a Dr. obviamente em contas e gestão, não tem ninguém que lhe diga que os custos de reparação aumentam exponencialmente por cada dia que passa sem obras, ou a forretice, muito diferente de poupança, é tanta que não o deixa enchergar essas evidências. Parece-me que o que começa a fazer falta é os prof. recusarem dar aulas em determinadas condições, é o agrupamento, que irá passar a ser gerido por quem tem amplas responsabilidades no assunto, não deixar os seus alunos usarem o espaço e os pais têm que assumir também as suas responsabilidades e denunciarem a pouca vergonha a que chegámos.
Só quem não percebe mesmo nada de gestão, independentemente do grau de presunção, é que deixa chegar as coisas a este ponto. Vivo o desleixo. Força que um dia hão-de ter uma placa com um nome numa obra faraónica.
MJ
De Anómico a 21 de Maio de 2010 às 16:49
ACHO QUE O PRESIDENTE NÃO DEVERIA SE PREOCUPAR COM OBRAS SÓ PARA ENCHER O OLHO
De Rafael Marcelino a 20 de Maio de 2010 às 20:34
Simplesmente vergonhoso o estado em que se encontra o Pavilhão.
De Anómico a 21 de Maio de 2010 às 09:18
Pode ser que agora, que o Presidente vai passar a ter um adjunto - O presidente da Junta da Calvaria as coisas melhorem.
Parece que vai começar no dia 1 de Junho. Acho que se justifica: a câmara nada em dinheiro e o senhor é competentíssimo!
De Pedro Oliveira a 21 de Maio de 2010 às 11:16
Como é meu hábito tenho colocado os nossos post´s na minha página do facebbok, para este deixei este sub-título:

Mais uma vergonha em termos de preservação do património Portomosense.
De Pedro M Crespo a 21 de Maio de 2010 às 12:49
Vergonha mesmo...
Ainda me lembro de ser surpreendido ao ver o novo pavilhão na TV, num torneio internacional (?), que me deixou orgulhoso de P Mós.

Costuma-se dizer que a falta de investimento na cultura e desporto é normalmente acompanhada pela política das rotundas...

A questão da manutenção dos equipamentos não é uma questão isolada, para técnicos ou políticos. Como é muito mais do que isso, serve até para medir o grau de civismo de um povo ou de desenvolvimento sustentado que se tem. Qualquer país em África é capaz de gastar dinheiro e construir infra-estruturas , mas é preciso ter civismo e capacidade de organização, planeamento e outro tipo de valores, para os saber manter em bom estado de conservação e em funcionamento.
... ....
De Pedro Oliveira a 21 de Maio de 2010 às 16:26
uma "bela" comparação que fizeste, um qualquer país africano...diz tudo de quem governa o nosso concelho.
abr
De ricardo a 21 de Maio de 2010 às 18:39
Ainda me lembro da primeira vez que lá joguei. ainda sinto o suor a escorrer pela cara cada vez que me lembro das correrias. E agora???????????
De Acacio a 22 de Maio de 2010 às 10:18
Aqui está o exemplo de uma boa denúncia feito pela última pessoa que o devia fazer. O Salgueiro para o bem ou para o mal está lá há 4 ou 5 anos mas o estado de degradação daquele espaço já começou muito antes. É certo que o senhor também assegurava a pasta do desporto no tempo da outra senhora, mas tal como agora quem tinha a última decisão era o chefe maior.
São estes "rabos de palha" mesmo que por interposta pessoa, que algumas denuncias mais do que justas acabam muitas vezes ridicularizados e não obtém o efeito desejado, precisamente porque são feitos pela pessoa que devia estar mais resguardada. Depois das explicações dadas na assembleia sobre o desconhecimento da realidade (as miúdas demoraram bués a crescer) acho que deveria haver um certo pejo em falar de determinadas coisas. Não ficar condicionada na sua liberdade de expressão mas usá-la com moderação para que o feitiço não se volte contra o feiticeiro e acabe por atingir os que lhe são mais próximos. Mas enfim, também acredito que a partir dos 40 as pessoas estejam mais dispostas a borrifar-se para esse tipo de cuidados e cada um sabe de si...
De Rui a 22 de Maio de 2010 às 21:11
Ficámos a saber pelo Acácio que o património de Porto de Mós pode ficar ao abandono porque a culpa é do Zé Ferreira, com gente desta,pelos vistos a maioria,assim ditou a última eleição, como pode a nossa terra desenvolver-se?Somos uma "poia" de povo, é o que é.
Que tudo vá abaixo e fique sem jeito é o desejo da maioria dos Portomosenses, pelos vistos.Todo o burro come palha, pela amostra no nosso concelho nem faltam burros, nem palha...
De Acácio a 23 de Maio de 2010 às 01:42
Caro Rui,
lamento mas essa não se aplica a mim. Não sou responsável pela eleição do João Salgueiro e se há coisa que mais me revolta é ver todas as grandes obras feitas no tempo do eng. Gomes Afonso e não só, a cair aos poucos.
Comecei precisamente por dizer que era uma denuncia bem feita mas que talvez não tivesse o efeito que todos desejariamos, por vir de onde vem.
Quer queiram quer não e quer isso seja justo ou não a verdade é que a Ana Narciso tem o estigma de ser casada com o antigo presidente da câmara e há muita gente que não liga ao que ela diz ou porque não gostam dela e do marido ou porque acham estranho ela nunca ter visto estas mesmas situações na altura em que tinha quem mandava, na sua propria casa.
Podem não concordar e eu também não concordo com este tipo de juízos de valor mas também me custa a aceitar que a senhora só tenha visto esta realidade agora.
O José Ferreira fez mal em não ter conservado as coisas como deviam mas o Salgueiro está a fazer pior por não fazer nada para impedir que elas caiamm de vez.
Sabe, eu ainda sou do tempo em que os alunos e os atletas tinham medo de cair no piso do pavilhão porque se podiam espetar mortalmente numa das farpas de madeira que lá existiam, portanto acho que sei minimamente do que falo e também não preciso de chamar nomes aos outros para defender as minhas ideias. Sabe, são principios que se aprendem em família e ao longo da vida.
Quem tem essa sorte, claro.
De Ana Narciso a 23 de Maio de 2010 às 18:02
Acácio,Usar com moderação a liberdade de expressão , significa o quê?
De Acácio a 23 de Maio de 2010 às 23:26
Neste caso é simples.
Embora os membros do Vila Forte (mal ou bem) já estejam devidamente catalogados por quem detém neste momento o poder na nossa infeliz terra (com o carimbo, daqui não vem nada de bom), o blogue tem vários editores portanto se calhar a pessoa que menos pode evocar o desconhecimento do passado ou atirar as culpas aos actuais autarcas como se a degradação do pavilhão, do cinema, do mercado municipal, do museu e de mais uma série de coisas públicas tivesse começado há 5 anos, talvez, dizia eu, essa pessoa se pudesse resguardar mais e deixar que outros editores avançassem com o post,
Eu sei que custa ouvir isto e já disse que pessoalmente não concordo mas a verdade é que há atitudes públicas ou escritos que a senhora faz que so por serem de quem são além do carimbo levam também uma guia de marcha para o lixo. É estupido mas é assim.
Portanto o que eu quis dizer no início é que há situações em que nós sem prescindirmos dos nossos ideais e da exposição pública que entendermos, podemos deixar que outros avancem com as coisas e nessa altura comentar então. Agora cada um sabe de si. Eu por mim, já disse que concordo com o teor do reparo e acrescentei mais alguns imóveis em degradação, agora a senhora é que sabe se essa é uma luta que lhe interessa e se isso não pode prejudicar a imagem dos que são mais proximos.
Não sou eu que lhe vou dar lições, afinal a professora é a senhora e pelo que sei é uma área onde não se sai nada mal, muito pelo contrário...isto para terminar com um toque de boa disposição demonstrativo de que estão a fazer uma tempestade num copo de água e que eu continuo bem disposto e nada interessado em alimentar polémicas. Decerteza que os dois temos lutas bem mais importantes a travar seja a nível pessoal ou profissional ou como cidadãos preocupados e atentos qb, ao estado do nosso concelho que polémicas estéreis.
De Ana Narciso a 24 de Maio de 2010 às 18:45
Acácio, os tolos quando lhe apontam para a lua , olham para o dedo. Apesar de reconhecer que terá razão porque a minha atitude não é convencional e está fora dos padrões de comportamento aceites) não me chega a convencer de que sendo ou escrevendo como anónima teria mais sucesso. Compreendo as suas razões , mas discordo em absoluto com os pressupostos que aqui coloca. Quem o acompanha ( e sei que são alguns)fazem-me lembrar o conselheiro Acácio ( será coincidência?) " Destinado a representar no romance O Primo Basílio, segundo o próprio autor, "o formalismo oficial", é uma das figuras mais célebres da galeria queirosiana, incarnando a banalidade, a vacuidade e o convencionalismo burguês." Eu sou tudo menos convencional. E acredite as miúdas demoram mesmo bué a crescer. Sempre teci críticas quando as devia fazer . Tanto quanto sei,a oposição de então preocupava-se mais em tecer elogios ( falsos !!) ao executivo do que apresentar soluções para os problemas que o Concelho tinha e que obviamente não resolveu todos. Quem ganha deve governar , quem se opõe deve estar vigilante e disponível. Eu tenho a sorte de poder exercer essa vigilãncia e de ter essa disponibilidade.Podia estar calada : pois podia mas a minha vida não seria nunca a mesma coisa. Podia mandar outro escrever por mim , poder podia , mas não seria sério.Não preciso de me esconder! Olhe para a Lua, Acácio! Olhe para a lua!
De Acacio mas não queiroseano a 24 de Maio de 2010 às 21:04
Ok, estou rendido. Agora fez-me rir...
De qualquer não me surpreende. Uma coisa é o que achamos que podia ser melhor para as pessoas, outra é sabermos que há algumas que não vão por esses caminhos mais fáceis mas também mais encobertos e no seu caso eu já sabia que seria assim.
Podemos apontar-lhe defeitos mas pelo menos a combatividade, essa tem de ser reconhecida, além disso se se magoar no combate já é suficientemente crescida para conseguir corar as feridas.
Um abraço, e por mim está encerrada a discussão que nunca o chegou a ser.
De Ana Narciso a 24 de Maio de 2010 às 21:07
fixe!

Comentar post

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.connosco à mesa

Os nossos convidados

Dr. Miguel Horta e Costa

Eng. Cláudio de Jesus

Dr. Saúl António Gomes

Dra. Isabel Damasceno 

Prof. Júlio Pedrosa 

Cor. Valente dos Santos

 

Os nossos leitores

Ana Rita Sousa

Carlos Sintra

 

O nosso email

 

Siga-nos 

 

.podcast


Curvas do Livramento

oiça os nossos debates

Ed. Zero

Edição 1 - 04/Jun/009

Ed. 1.1 Europeias

Ed. 1.2 Autárquicas

Ed. 1.3 Casamentos Gay

Edição 2 - 30/Jun/009

com Clarisse Louro

Ed. 2.1 Pós Europeias

Ed. 2.2 Legislativas

Ed. 2.3 Autárquicas

Ed. 2.4 PMós 2º Clarisse Louro

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.Últimos Comentários

Special thanks to MrCosmos
The Feedburner expert

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.Quiosque

diários

semanários
  regionais
 
   

.Filme recomendado

 

 

Trailer

 

 

 

.Leitura em curso


A Revolução dos Cravos de Sangue

de Gerard de Villiers

Estamos em Portugal, no rescaldo do 25 de Abril, e Lisboa é um tabuleiro de xadrez onde CIA e KGB jogam uma partida mortal. Os serviços secretos americanos, desesperados por apenas terem sabido do golpe de Estado através dos jornais, esforçam-se para impedir que Portugal caia nas mãos do comunismo. Do outro lado, a KGB tem em mente um plano diabólico e põe em campo os seus melhores agentes. É então que um golpe de teatro promete desequilibrar esta guerra fria. Natália Grifanov, mulher de um poderoso coronel da KGB, está disposta a passar para o Ocidente e a relatar todos os segredos que sabe. Para organizar essa deserção a CIA escolhe o seu melhor agente: Malko Linge. Mas nem ele conseguirá levar a cabo esta missão sem evitar danos colaterais. E é então que, nas ruelas de Alfama e nos palácios da Lapa, entre traições e assassinatos, a Revolução dos Cravos mostra a sua outra face.

E, acredite, não é bonita!

Um thriller soberbo e original, passado no pós 25 de Abril de 1974.


Saida de Emergência

.Contador de visitas

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds