Segunda-feira, 24 de Maio de 2010

Soluções para a Crise?

Perante o nosso problema de Finanças Públicas, défice excessivo, crescimento baixíssimo e dívida externa altíssima, o nosso país foi incapaz de tomar medidas para conseguir continuar a financiar a nossa dívida. Assim, sendo os alemães e os franceses tomaram conta do assunto e impuseram-nos metas a serem cumpridas para o futuro.

Assim, o nosso Governo acatou as ordens e com o apoio do Líder do PSD, tomou algumas medidas que poderão ir resolvendo o problema, senão resolverem o problema tomam-se mais medidas, logo se vê se terão então o apoio do PSD. Como reserva para 2010, temos o Subsídio de Natal dos funcionários públicos, que poderá ser aplicado na redução do défice, se até lá a economia portuguesa não crescer o suficiente para o aumento das receitas fiscais.

O aumento dos impostos é um aumento que tem como único objectivo aumentar a receita fiscal, para assim reduzir o défice. Uma certeza, podemos ter desde já, estas medidas vão manter-se no mínimo até 2013.

Havia alternativa? Claro que sim, mas é preciso ter coragem, a despesa pública nem sequer está no investimento, mas sim nos salários dos funcionários públicos, nas pensões, na saúde e na educação. Nestes sectores é possível fazer alguma coisa? Todos os países, que estão no centro da crise, baixaram os salários dos funcionários públicos, ontem era noticia a possibilidade do Reino Unido dispensar 300 mil funcionários públicos.

A semana passada li uma proposta de um Economista Português que é professor na Universidade de Columbia, em Nova Iorque, e que escreve todos os Sábados no Jornal I, que se resume:

 - Na redução da Taxa Social Única para 17%, o que permitia baixar o custo salarial sem baixar salários, aumentando assim a competitividade da nossa economia,

 - No aumento do regime geral do IVA de 20% para 25%, aumentar o preço dos bens, maioritariamente importados, significa desvalorizar a moeda sem sair do Euro.

Estas medidas permitiriam ainda estimular a poupança, reduzindo a divida ao exterior, que é maioritariamente das famílias e das empresas.

Veja aqui o artigo completo, que tem uma alternativa ainda mais radical.

tags:
publicado por Luis Malho às 14:00
endereço do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De DireitaNacional a 24 de Maio de 2010 às 15:03
Luis,
um excelente encontro com este economista!

De facto, há varias alternativas.

Mas, o mais giro seria o Tribunal Constitucional que é mt a favor das garantias dos cidadãos ter o discurso da nao retroactividade fiscal.
A meu ver, há. Face à anualidade do irs e sucessividade das prestações.
Giro, porque o pessoal lá de fora...ficaria de boca aberta!
...o escorpião dos alargadas liberdades, dá nisto...
De Marco a 24 de Maio de 2010 às 17:19

Boa tarde,

Tenho de concordar que do lado da despesa alguma coisa poderia ser feita, e digo:

Dispensa de centenas de militares de topo que estão encostados a um ordenado milionário;
Dispensa de centenas de funcionários de institutos públicos e empresas públicas criadas à discrição;
Dispensa de grande parte dos deputado;
Terminar com os Governos Civis;
Colocar um tecto nas pensões, 1500€ seria o máximo;
Colocar um tecto nas nomeações, pois a quantidade de secretários, subsecretários, chefes, directores, adjuntos, que há por ai arrepia;
Diminuir o número de funcionários públicos, para muitos está limitado às autarquias locais, o congelamento de salários igual.

Também na despesa pública ao nível do privada há muito que fazer ... porque razão tenho eu de financiar a banca? Porque razão tenho eu de financiar anos e anos de desfalques, de desvios para off-shores?
Porque razão a igreja continua sem pagar impostos?
Porque razão as apastas on-line não estão já legalizadas, tal como a indústria do sexo?
Porque razão tenho eu de andar a pagar os lucros da Mota Engil e de mais 3 ou 4?

Não será justo .... mas a realidade é que eu e milhões andamos a pagar para meia dúzia ...
De Anómico a 24 de Maio de 2010 às 21:40
Ok Marco,

O problema é que isto tb poderia ter sido há 3 anos atrás ou há 15...
De Marco a 24 de Maio de 2010 às 23:16

Sim poder poderia ... mas não o fizeram ... não seria de esperar que o partido que governou Portugal de 1996 para cá 95% do tempo o fizesse agora quando nunca o fez ...
De antonio carvalho a 24 de Maio de 2010 às 23:38
No seu post refere a teoria de um ilustre(?) português economista e professor nos EUA( o nome é irrelevante), referindo duas das suas propostas: Baixar mais de seis pontos percentuais a taxa da contribuição social das empresas e subida da taxa normal do IVA, quase na mesma percentagem.
Eu que em economia só percebo da da minha casa e e às vezes com muita dificuldade, gostava de dizer o seguinte:
Esse sr. economista que escreve para o Jornal " I " (propriedade do grupo Construtora do Lena) sabe tanto de economia de um País do qual diz ser natural e não consegue dar umas orientações económicas ao sector da comunicação social do grupo para quem escreve .?, O Director do mesmo jornal, pelos vistos arranja elevados especialistas em economia de países, mas mesmo assim (segundo se consta) não tem nenhuma solução económica para que a administração da empresa( grupo C. do Lena) não tenha que fechar portas e despedir mais umas dezenas de funcionários .
Quanto à questão do Iva, é natural que o homem pense assim. Ele não compra nada em Portugal porque não vive cá e portanto comprar Iva a 30 ou 35 por cento é igual para ele. Eu sinceramente penso que ele deve ser é americano, daqueles que respondem que Portugal é uma provincia de Espanha, ou que fica lá para a Ásia.
Acabei agora de ouvir o ex-ministro das Finanças Catroga (PSD) dizer ao M. S. Tavares - "eu já discordo da politica económica portuguesa há mais de quinze anos, mas é só quanto aos salários".
Quanto à banca, fugas fiscais e ao consumo e importação de bens não estruturantes para a economia balofa que ela promoveu, não disse nada.
Disse apenas que subiu a taxa de IVA 1 %, para a seguir entregar à Segurança Social esse aumento como contrapartida da retirada de taxa de igual percentagem às entidades empregadoras.
É de facto espantoso como a grande maioria dos nossos brilhantes economistas têm todos soluções para o País, mas são os mesmos que a gente houve sempre a mesma cantiga. É preciso tirar é nos salários e gastos sociais primeiro e depois nos impostos mais injustos (consumo a preço igual) para todos.
Então, porque razão a distribuição da riqueza está cada vez mais afunilada (menos ricos mas com mais riqueza) e muitos mais pobres e com menos riqueza ?
As leis económicas não são cegas, como dizem ser as da Jústiça. Têm sentido social e politico.
Os possuidores da ciência económica têm que ter a humildade democrática de dar o seu contributo para que a riqueza de um povo não se dilua no vampirismo.
Digo-lhe com toda a frontalidade que me dói muito verificar que muitos dos economistas de formação católica se atrevem no actual contexto, a defender uma politica cega e sem sentido, a degradação salarial e social de milhares, se não de milhões de portugueses, que vendendo com a maior humilhação e esforço fisico e intelectual a sua única força de viver (trabalho) dispendido a troco de migalhas, em contraste com o aumento de fortunas colossais e moralmente condenáveis. Porém, já Cristo há 2000 anos teve a mesma sina. ;Morte por palavras e actos.
Depois a Igreja Católica, vai dizendo ser perseguida !!!
De Anonimo´s a 25 de Maio de 2010 às 22:07
Carvalho, só faltava você...que só entende a economia de sua casa (parabens, pq mts nao sabem)...em desqualificar o redactor do artigo...
De antonio carvalho a 25 de Maio de 2010 às 23:55
eu não desqualifiquei ninguém. Limitei-me a constatar que o redator do artigo fez plágio da ideia e prática do ex-ministro Eduardo Catroga. Tão só quanto isso.
Se calhar, por estas eminências se copiarem tanto uns aos outros quer nas ideias e nos métodos é que o País tem sido tão bem dirigido do ponto de vista politico quer económico.
Pode ainda continuar na provocação que em tenho bom poder de encaixe !!!.
De antonio carvalho a 26 de Maio de 2010 às 01:47
Para lhe dizer mais uma : Como sou de ideias fixas, guardei nos meus arquivos a revista "Portugal em Exame" e entre todos os mimos de análise económica para Portugal, constam as eminências " Álvaro Santos Pereira; António Barreto; António Marques; Carlos Andrade; Carlos Pimenta; Cristina Casalinho; Fernando Adão da Fonseca; João César das Neves; João Paulo Girbal; Jorge Barros Luis; Jorge Pereira da Costa; José Silva Lopes; Luis Cabral; Luis Campos e Cunha; Luis Mira Amaral; Manuel Alfredo de Melo; Manuel Pinho; Paulinho Teixeira; Pedro Seixas Vale; Rui Constantino; Sérgio Rebelo; Vitor Bento e Vitor Neto".
Das declarações da mesma revista : Só três depoentes - José Silva Lopes, Vitor Neto e António Marques, manifestaram sérias dúvidas sobre a retoma, que o presidente da Caixa Geral de Depósitos, Luis Mira Amaral definiu como "lenta e titubeante".
Para complementar o ramalhete em destaque, o Dr. Sérgio Rebelo, professor na Kellogg School of Management da Northwertern University disse: A retoma portuguesa depende muito da conjuntura internacional. Os indicadores que temos neste momento para os EUA são muito positivos, apontando para uma recuperação em todos os sectores da economia. A perfomance da economia japonesa parece também estar a melhorar relativamente ao crescimento anímico dos últimos dez anos. A China e a India continuam a crescer a taxas elevadas. Tudo isto aponta para uma recuperação da economia mundial que ajudará muito a retoma da economia portuguesa.
Palavras para quê ? São economistas (perdão) artistas portugueses que há seis anos repetem a mesma doutrina.
Eles estão mesmo esquecidos(?) daquilo que dizem e depois reaparecem a dizer que têm soluções e verdades cientificas e práticas para acabar com a crise.?
Só que nem todos os portugueses se deixam embalar neste canto de sereia e a memória dos seus pensamentos, manequeísmo ou falta de vergonha ou de conhecimento não é coisa nova nas suas palrações.
A mim, não me enganam e mesmo que algum dia venha a ser empresário, nenhum deles serviria para meu conselheiro económico, Teria de certeza jovens de talento e de trabalho estudioso e sério ao meu lado.

Nota final :- A revista em questão foi publicada em edição especial em Portugal no ano 2004.
De Anómico a 24 de Maio de 2010 às 23:53
Ainda ninguém encontrou a solução? Aqui vai uma sugestão .Qual Mourinho para salvar o Real Madrid envie-se o nosso "ministro" das finanças que tudo ficará em ordem em pouco tempo, até apresentar um superavit seria um pulinho. Ai que festa teríamos no S. Pedro que está à porta. É pena ninguém quer dar-nos essa festa. Que pena

Comentar post

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.connosco à mesa

Os nossos convidados

Dr. Miguel Horta e Costa

Eng. Cláudio de Jesus

Dr. Saúl António Gomes

Dra. Isabel Damasceno 

Prof. Júlio Pedrosa 

Cor. Valente dos Santos

 

Os nossos leitores

Ana Rita Sousa

Carlos Sintra

 

O nosso email

 

Siga-nos 

 

.podcast


Curvas do Livramento

oiça os nossos debates

Ed. Zero

Edição 1 - 04/Jun/009

Ed. 1.1 Europeias

Ed. 1.2 Autárquicas

Ed. 1.3 Casamentos Gay

Edição 2 - 30/Jun/009

com Clarisse Louro

Ed. 2.1 Pós Europeias

Ed. 2.2 Legislativas

Ed. 2.3 Autárquicas

Ed. 2.4 PMós 2º Clarisse Louro

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.Últimos Comentários

Special thanks to MrCosmos
The Feedburner expert

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.Quiosque

diários

semanários
  regionais
 
   

.Filme recomendado

 

 

Trailer

 

 

 

.Leitura em curso


A Revolução dos Cravos de Sangue

de Gerard de Villiers

Estamos em Portugal, no rescaldo do 25 de Abril, e Lisboa é um tabuleiro de xadrez onde CIA e KGB jogam uma partida mortal. Os serviços secretos americanos, desesperados por apenas terem sabido do golpe de Estado através dos jornais, esforçam-se para impedir que Portugal caia nas mãos do comunismo. Do outro lado, a KGB tem em mente um plano diabólico e põe em campo os seus melhores agentes. É então que um golpe de teatro promete desequilibrar esta guerra fria. Natália Grifanov, mulher de um poderoso coronel da KGB, está disposta a passar para o Ocidente e a relatar todos os segredos que sabe. Para organizar essa deserção a CIA escolhe o seu melhor agente: Malko Linge. Mas nem ele conseguirá levar a cabo esta missão sem evitar danos colaterais. E é então que, nas ruelas de Alfama e nos palácios da Lapa, entre traições e assassinatos, a Revolução dos Cravos mostra a sua outra face.

E, acredite, não é bonita!

Um thriller soberbo e original, passado no pós 25 de Abril de 1974.


Saida de Emergência

.Contador de visitas

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds