Sábado, 1 de Maio de 2010

Em silêncio

   Desta Assembleia Municipal  de 30 de Abril , gostaria que ficasse para memória futura de todos os Portomosenses eleitores que só com a  intervenção ponderada e demorada ( 7 horas de reunião) dos vereadores do PSD ( Júlio Vieira e Luís Almeida) não  iremos pagar  valores “disparatados"  conforme adjectivo do Presidente João Salgueiro, pelos, serviços que a Câmara Municipal nos presta, nomeadamente  no abastecimento de água. É esta atitude de cooperação "responsável" que deverá ficar na memória desta Assembleia. Para outros momentos de debate político ficará a análise  das escolhas do Presidente da Assembleia ou seja : dos parágrafos que escolhe para serem lidos numa carta pessoal que lhe foi dirigida pelo cidadão eleitor Sérgio Abreu ( será que foi autorizado? )Ou a leitura de um "alerta" que caiu em saco roto.  Nada disto era relevante em relação ao que se estava a discutir; embora temo que no final  teremos todos ( executivo, PSD, PS Independentes e PCP)  que justificar perante a população  o porquê da escolha deste momento particularmente difícil nas famílias portuguesas para se aumentar  as facturas do consumo doméstico.

   Só nos resta um consolo; sem a intervenção dos Vereadores do PSD  e do protesto de Rui Marto, a solução final poderia ser ainda bem pior.

  Deixou de ser relevante a entrega de um documento onde se regista que o Presidente João Salgueiro ainda reune com a Deputado Municipal do CDS quando já não consta desa Assembleia. Foi lapso.  Aceito.  Mas que o Executivo tem saudades da Antonieta Mariano, tem! Tanto assim é que foi convidada pelo Partido Socialista a integrar a Comissão  Alargada de Crianças e Jovens de Porto de Mós. Afinal sempre reuniu com a ex -deputada da Assembleia Municipal  do CDS /PP. Não duvido da disponibilidade e empenho de Antonieta Mariano, mas  não deixa de ser uma coincidência interessante ! Fugiu-lhes a tecla para a verdade  !

Terça-feira, 9 de Março de 2010

Estudos para quê?

Aprendi há muito tempo que só se encontram boas soluções quando os problemas são bem formulados. Com lucidez, espírito crítico e um quadro de referência informado e inteligente. Os últimos anos da política Portuguesa têm-nos negado tudo isto . Ana Benavente Público quarta-feira, 17 de  Fevereiro, de 2010.

 Aqui, em Porto de Mós, com o  Executivo da Câmara Municipal acrescentou-se outro referencial que Ana Benavente não equacionou : morar perto dos problemas.  “ Jornal o Portomosense”
Estudos para quê? Basta   morar perto dos problemas; morar lá, querer contrariar o/os Presidentes anteriores   para se decidir em conformidade, não interessa o plano, as indicações, as reuniões do Conselho Municipal de Educação  ou alocação do dinheiro apara aquele projecto numa perspectiva de futuro, "com espírito crítico e um quadro de referência informado e inteligente".
 Isto tudo para chegar à EB2 Dr. Manuel de Oliveira Perpétua e Escola Secundária , hoje sede de Agrupamento de Porto de Mós. Porque só sem plano de futuro e ignorando totalmente o que está nos documentos que a própria Câmara elabora, "pág 157"da Carta Educativa se pode chegar a este estado, quase calamitoso, nestes dois edifícios.
O que disse o Conselho Municipal de Educação sobre esta matéria? Já reuniu neste mandato conforme o estipulado no Artº 7º no início do ano lectivo e no final de cada período escolar? Quem faz parte dele? Que conselhos dá ao Presidente e aos Vereadores? Ou estes mecanismos de audição e de aconselhamento são dispensáveis ? Que pareceres elaborou para responder às alíneas g) e h) do  decreto-lei, nº 7 /2003, como por exemplo que programas e acções de prevenção e segurança dos espaços escolares ? Ou que exigências fez para intervenções de qualificação e requalificação do parque escolar?
 Porque a pressão junto do executivo dos órgãos que gravitam à sua volta também deve existir e sobretudo devemos saber quem é quem e quais os pareceres que estes órgãos emitem. É assim em Municípios onde   a transparência dos actos é uma realidade. Estão on-line com  o nome de todos os membros acompanhado da acta das reuniões e as principais decisões que tomaram.  Aqui não se conhece uma linha , uma decisão um parece. É tudo opaco.
 Voltando à intervenção nas escolas
 Ainda esta semana me foi assegurado que não está prevista , a curto prazo, qualquer intervenção nas escolas de Porto de Mós .
 Senhor Presidente  da Assembleia
 soubemos esta semana através da comunicação social nomes que fazem parte do Conselho de Administração da Parque Escolar cuja nomeação é da responsabilidade do Conselho de Ministros.   Não vou aqui zurzir nesta empresa poderosa    e com poucos travões   , há outros fóruns onde o posso fazer, mas convém fixar nomes, e Senhor Presidente como eles não moram cá não sentem os problemas que nós temos, mas traga-os cá : João Sintra Nunes; Teresa Valsassina Heitor, Paulo Grilo Farinha, José Domingues Reis, Gerardo Menezes.
 E sobretudo Senhor Presidente da Assembleia o que lhes devem explicar é a razão pela qual a escola Secundária da Batalha construída depois da escola Secundária de Porto de Mós vai ser intervencionada primeiro ou a de D. Inês de Castro em Alcobaça mais ou menos da idade da Eb2 ou mesmo Ansião?

Fase 2
 
Alcobaça
Bombarral
Caldas da Rainha
Leiria
Marinha Grande
Pombal
Fase 3
 
Ansião
EB2,3/S Escola Básica e Secundária de Dr. Pascoal José de Mello
Batalha
ES/3 + EP Escola Secundária da Batalha e Escola Profissional de Artes Ofícios Tradicionais da Batalha
Leiria
ES/3 Escola Secundária de Afonso Lopes Vieira

 
 Explicações exigem-se.
 Esta proposta aparece, assim, para chamar a atenção de todos, os presentes nesta sala e todos os que estão fora desta sala e que aqui representamos: as nossas crianças merecem mais. Uma escola climatizada, onde a chuva não entre e o   sol incida sem esconder o que está escrito no quadro, onde a educação especial tenha mais do que um cubículo sem ventilação, onde os alunos tenham espaço para apresentar os seus trabalhos e não" num vão de escada" como foi dito aqui na última Assembleia Municipal pelo Presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Secundária de Porto de Mós. É preciso força e união de esforços para que os nosso jovens tenham igualdade no acesso e de resultados que nos coloquem não a meio da tabela mas nos 20 primeiros lugares a nível nacional.
 Que mais será preciso fazer ? Pessoalmente já escrevi, pedi, exigi apoios até a organizações de boa vontade como os Rotários ( Rotary Club de Porto de Mós) , para nos ajudarem a construir um movimento de exigência para atalhar rapidamente esta situação. Os meios de comunicação têm divulgado as condições deploráveis em que estamos a trabalhar: fomos outra vez notícia na TVI por razões pouco simpáticas. Não basta ter quadros interactivos e Magalhães nas carteiras quando os quadros não funcionam, as impressoras não têm tinteiro ou os computadores estão semanas sem trabalhar.
 Solicito, assim a esta Assembleia que aprove e reforce esta proposta aprovando-a por unanimidade e proponho ainda que se crie no âmbito desta Assembleia uma Comissão de Acompanhamento para   apoiar , confirmar e divulgar todas as diligências efectuadas para resolver este problema.
      ( parte da Intervenção que fiz  na Assembleia Municipa de Fevereiro de 2010 de Porto de Mós )
Resultado. Proposta aprovada por todos os partidos políticos e Independentes bem como a Comissão de Acompanhamento.
 
Quinta-feira, 4 de Março de 2010

Na primeira página

"O Portomosense " insere na primeira página " Salgueiro deixa deputada a falar sozinha".Esta Deputada, para quem não esteve na, Assembleia sou eu.

 Em primeiro lugar não é verdade este slogan embora compreenda o alcance jornalístico  da " Coisa" A sala estava cheia  e os únicos que deixaram a sala forma exactamente os que o Jornal refere.

  Interessa-me apenas a questão política que este episódio encerra.

 Terei eu , eleita como os outros, um papel diferente dos outros deputados?

 Terei por alguma razão , tratamento especial e diferenciado  dos outros Deputados por razões completamente alheias  à minha responsabilidade política de agora?

 Estará o Senhor Presidente da Assembleia Municipal satisfeito com a imagem  que deixou transparecer , sonegando informação aos deputados que representa?

  Afinal a transparência e a democracia é mesmo para valer ou são apenas palavras bonitas para embalar os Munícipes?

  Eu não votei neste Executivo e fui eleita  com votos dos Munícipes Portomosenses: tenho a obrigação democrática de confirmar o que está bem e apontar  e registar o que não está de acordo com os documentos e estudos elaborados pelas instituições do Concelho.

 O resto são fantasmas na cabeça do Presidente João Salgueiro inquieto com um passado que quer a todo custo esquecer. Eu tenho um compromisso com o futuro. Prepare-se para abandonar mais vezes a sala da Assembleia Municipal

Quinta-feira, 24 de Dezembro de 2009

Sobre o nível da política local

 

O Iluminismo trouxe ao pensamento ocidental, entre outras coisas, a separação do que pertence à esfera legal e à esfera moral. Algo pode ser imoral aos olhos da sociedade e ser inatacável legalmente. O contrário também. Foi nessa base que os estados se tornaram laicos e o mundo ocidental se distingue do antigo regime e da maioria das sociedades islâmicas.

Uma separação idêntica deveria acontecer na política local, onde uma questão levantada sobre a esfera pública de um qualquer interveniente é fácil e rapidamente interpretada na esfera pessoal.

Como ninguém se candidata a um cargo público por obrigação, assume-se que quem o faz, conheça as regras do jogo. É por isso que algumas reacções não fazem sentido. Dizer que se foi convidado não justifica o facto de acumular funções pública e privadas, deixando em aberto a possibilidade de um dia de manhã se decidir algo e à tarde se usufruir da decisão. Ao referir esta possibilidade não estou a afirmar o que quer que seja em abono ou desabono, e se o que está em causa é uma ou muitas empresas que fornecem flores, parafusos ou alcatrão, mas manda a clareza democrática que quem está ao serviço da coisa pública se resguarde de qualquer sombra de dúvida. Lembram-se do discurso do Dr. Teixeira na última Assembleia Municipal do mandato anterior sobre a ética republicana? Era exactamente disto que falava e devia servir para todas as forças políticas.

E se a questão da compatibilidade de funções levantada pelo PSD foi tão despropositada porque é que Albino Januário já tinha pedido previamente um parecer sobre esse assunto? Se se sentiu politicamente inseguro ao ponto de o fazer é porque a questão não é desprovida de substância. E se já tem um parecer porque é que não o torna público? A bem da clareza deveria fazê-lo.

E como é claro que o assunto é politicamente relevante, torna-se ridículo o tom ofendido, surpreso e incomodado com que Albino Januário falou à Radio Dom Fuas quando relatou a última AM. A vitimização é a arma do PS para fugir às críticas. Salgueiro e Sócrates fazem exactamente o mesmo, mas como ninguém está acima das críticas, é desjável que evoluam e reajam de outra forma.

Se dúvidas existissem sobre a forma serôdia como o concelho é governado, estas desapareceriam perante o lavar de roupa suja familiar que decorreu em paralelo ao debate. De facto a AM é o espelho da comunidade. É pena, mas a realidade é esta, e é dura como punhos fechados. A falta de nível que sobra de tudo isto é totalmente coerente com os resultados globais da governação socialista em Porto de Mós.

 

Terça-feira, 22 de Dezembro de 2009

Assembleia Municipal, de 18 de Dezembro, de 2009

         Estão reunidas as condições para um trabalho de fiscalização e de  acompanhamento ao trabalho autárquico.  Deputados mais respeitadores , menos confusão e mais ordem.  Com certeza não será alheio o facto de Vitor Louro estar na mesa ( emudeceu) e a agitadora de Mira De Aire não  fazer parte desta Assembleia.

         Da história desta Assembleia ficará   a  dúvida  do PSD a este comunicado ( aqui transcrito porque todos os documentos apresentados à Assembleia Municipal são públicos e publicaveis).

              COMUNICAÇÂO

Assunto.:"Comunicação relativamente à acumulação de  actividades, em cumprimento do artigo 3º do Estatuto dos Eleitos Locais"

 

 Exmºs Snrs. Deputados Municipais

 

      Em cumprimento do artigo 3º do Estatuto dos Eleitos Locais, comunico a Exas que continuarei a exercer as funções de Técnico Oficail de Contas, nas Empresas minhas clientes e que não o deixarei de exercer, apesar das funções mais dilatadas que assumo no actual mandato como Vereador em Regime de Tempo Inteiro e Vice-Presidente .

 É o que me cumpre comunicar.

 

                           Albino Pereira Januário

 

 A mesma comunicação foi apresentada pela Vereadora Rita Cerejo ,  em Regime de Tempo Parcial.

  

        O PSD , apenas  se limitou a perguntar  se existiria alguma incompatibilidae jurídica nos actos  dos dois Vereadores. Nunca foi intenção da bancada do PSD atingir a honra dos Vereadores em causa. Se dúvidas houvessem na nossa postura , ficaram completamente sanadas com a moção de confiança política que votámos por unanimidade.

 A dramatização que se seguiu foi excessiva e completamente desajustada, como aliás referi e sublinhei na declalração de voto que fiz no final deste epifenómeno .

 

        Continuo convicta de que cumprimos o nosso dever: pedir esclarecimentos  quando temos dúvidas, confirmar quando temos certezas, exigir rigor e transparência  em todos os actos e procedimentos  sobre os quais nos devemos pronunciar.

      Já devia ser considerado uma rotina e não  uma afronta .

     Como eu disse:

      Habituem-se!

Quarta-feira, 28 de Outubro de 2009

Assembleia Municipal – Último Acto

Neste momento, se não houver atrasos, estarei a dar posse aos novos eleitos do Concelho de Porto de Mós.

 
As poucas palavras que direi, serão de incentivo aos novos eleitos:
 
“Queria felicitar todos os eleitos, para os diversos órgãos autárquicos, desejar as maiores felicidades na missão para que vão ser empossados.
 

Honrem quem vos elegeu, defendam sempre aquilo em que acreditam e faço votos para que se viva melhor no Município de Porto de Mós daqui a 4 anos”

estou:
Terça-feira, 27 de Outubro de 2009

Assembleia Municipal – Último Acto

Amanhã pelas 15h00, no Solar dos Gorjões, Porto de Mós, será a Instalação dos Órgãos Autárquicos do Concelho de Porto de Mós, será o meu último acto como Presidente da Assembleia Municipal, dar posse aos novos eleitos.

Terça-feira, 22 de Setembro de 2009

Balanço do Mandato do Executivo do Sr Salgueiro

«Traição

Mentira

Euforia

Deslumbramento pelo poder

Caça as bruxas

Arrogância

Dívidas longo prazo

Prepotência

Murros na mesa

Dívidas longo prazo

Ossadas profanadas

Taxa ilegal da agua

Actas rasuradas

Aumento de impostos

Dívidas longo prazo

Aec's

Dívidas longo prazo

Tourada

Passaram 4 anos»

 

Esta foi a minha intervenção na última Assembleia Municipal. Lá não li o título.

Sábado, 19 de Setembro de 2009

Assembleia Municipal – Última Sessão

Eu sei que não resultam textos extensos num blog, mas para quem tiver paciência, aqui vai o meu texto de despedida da Assembleia Municipal, proferido no dia 18 de Setembro de 2009.

 
"Sr. Presidente da Câmara, Srs. Vereadores, Srs. Presidentes de Junta de Freguesia, Srs. Membros da Assembleia Municipal, Srs. Jornalistas, Senhoras e senhores.
 
Esta, é a última Assembleia Municipal deste Mandato, como é sabido irei abandonar estas funções e queria aproveitar esta oportunidade para umas palavras de despedida.
 
Durante estes 4 anos, fiz questão de nunca intervir nas Assembleias Municipais, para manter a independência do cargo, embora não houvesse uma única Assembleia em que não tivesse tido vontade de o fazer.
 
Neste mandato foi possível realizar 2 assembleias fora deste edifício. A primeira na Mira de Aire, com a presença do Dr. Daniel Bessa com muito público. A segunda no Cine-teatro, respondendo a um desafio lançado pelo Governador Civil de então, o Dr. José Miguel Medeiros, sobre o Ano da Igualdade de Oportunidades para Todos, com a presença da Drª Maria de Belém, Dr. Feliciano Barreiras Duarte, a Dr. Luís Franco Pinto, a Drª Maria José, e a GNR Mariza Marques, quero recordar e agradecer o excelente trabalho efectuado pela Comissão constituída para o efeito (Drª Olga Silvestre, Drª Gisela Ferreira e Dª Antonieta Mariano).
Durante este mandato, a Assembleia Municipal, passou a ter as sessões gravadas, e a Mesa passou a ter um espaço próprio, ainda que reduzido. Neste mandato, as convocatórias e as actas das AM, passaram a ser editadas no sitio do Município.
 
As sessões da AM nem sempre correram da melhor forma. Todos temos responsabilidades nessa matéria. Sempre vos disse que AM seria aquilo que nós quiséssemos e nem sempre honrámos quem nos elegeu.
 
Alguns têm mais responsabilidade do que outros.
Cheguei a ser acusado de agir de má fé.   
A Bancada do PS sugeriu que eu me demitisse.
A digna representante do PP reclamou diversas vezes.
Ainda ontem alguém da bancada do PSD dizia que eu nunca lhe tinha permitido um réplica ao Sr. Presidente da Câmara.
 
Quero destacar o bom entendimento institucional que existiu entre mim próprio e o Sr. Presidente da Câmara,
Apesar das muitas divergências que teve contra a Mesa da Assembleia Municipal, chegou a dizer-me numa AM: “O senhor não devia estar aí sentado!”
 
Todos nos lembramos dos murros na mesa que várias vezes serviram de argumento intimidatório, quando o verbo foi insuficiente, para convencer alguns membros da AM.
 
Fui acusado de ser brando com alguns e de beneficiar outros.
 
Sugeri que houvesse votações secretas, que chegaram a acontecer.
 
Pensei diversas vezes em abandonar o cargo, mas tive sempre uma palavra amiga de alguém a dizer para aguentar.
  
Estes problemas resultaram da AM ter uma maioria diferente da maioria do executivo, por outro lado nem o PSD estava preparado para ser oposição, nem o PS estava preparado para ser poder.
 
Queria, destacar pela positiva o comportamento do deputado Fernando Amado, enquanto foi líder da bancada do PS. Pelo seu enorme bom senso, nos momentos mais difíceis desta AM.
 
 
Apesar de todas estas contrariedades, foi para mim, uma experiência muito enriquecedora e uma enorme honra, ter estado na Presidência da Mesa da Assembleia Municipal de Porto de Mós.
 
 
Todos nós devemos fazer um balanço do mandato que agora está a terminar e a questão que coloco é: se a qualidade de vida melhorou nestes 4 anos em Porto de Mós? se se vive melhor hoje, do que se vivia em 2005?
Na resposta a estas perguntas está a avaliação do nosso mandato.
 
Não penso que a qualidade de vida tenha melhorado.
Basta analisar os vários indicadores que vão sendo publicados regularmente.
 
Não penso que as opções que foram tomadas ao longo deste mandato tenham contribuído para melhorar a nossa qualidade de vida.
 
Claro que se fizeram obras, basta ter dinheiro para se fazer obra, é fácil. A prova disso é o autêntico estaleiro em que se tornou Porto de Mós nos últimos dias.
 
 
O eleitorado é soberano, e julgará. Mas não antecipo melhorias significativas no futuro próximo do nosso Concelho.
 
 
Não vale a pena reagirem às palavras menos agradáveis deste texto de despedida, comecei e termino aqui a minha intervenção na Assembleia Municipal e estou certo que a próxima AM será bem mais fácil de dirigir.
 
Quero, para terminar, deixar uma palavra de apreço a todos os que terminam este mandato, aos meus colegas de mesa, ao membros do executivo, aos deputados juncipais, aos Senhores Presidentes de Junta e também a todos os que passaram por aqui e saíram antecipadamente.
 
Quero ainda recordar com saudade, o Dr. Licínio Moreira da Silva, Presidente desta AM durante muitos anos. Quero agradecer ao Dr. José Ferreira e ao Jorge Vala o convite que me fizeram, há 4 anos, para integrar as listas do PSD com o independente.
 
Finalmente, agradecer à Fernanda todo o apoio logístico e legal.
 

E ao meu irmão, Paulo Sousa, por todo o apoio moral que me foi dando ao longo deste tempo."

estou:
Sexta-feira, 4 de Setembro de 2009

Fernando Amado foi eleito o melhor deputado municipal

Imagefoto jornal "O Portomosense"

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Segunda-feira, 31 de Agosto de 2009

Melhor Deputado da Assembleia Municipal de Porto de Mós **

Tendo como exemplo ESTA votação, achei que podíamos fazer o mesmo em relação aos deputados municipais que tiveram melhor prestação nesta legislatura. Para recolha dos nomes a votar contactei, via SMS e mail, alguns dos meus amigos e conhecidos em Porto de Mós, que têm opinião formada sobre o assunto, a quem agradeço a colaboração e envio dos nomeados.Todas estas "eleições" são subjectivas, mas penso ser interessante sabermos quem se destacou pela positiva nestes 4 anos, já que do mau que se foi passando já nós sabemos, e foi referenciado como um gande lamento pela maioria dessas pessoas. O VilaForte também quer, assim, contribuir para a valorização deste orgão e das pessoas que se destaram por lutar, de forma correcta e cordeal, pelo que acreditam ser melhor para o nosso concelho. Os nomes que foram mais referenciados e que vão merecer o nosso voto  para a eleição DO deputado municipal foram :

 

Pelo PSD: António Pires

Pelo PS:  Fernando Amado

 

A caixa de comentários está ao vosso dispôr para a eleição do melhor deputado da Assembleia Municipal Portomosense.

 

p.s: Os nomes de Gisela Rosa, António José Teixeira e Fernando Matos, do PS ; de Luís Malhó, Carlos Venda e Jorge Vala do PSD, também tiveram mais que uma referência, o nome da deputada Antonieta Mariano (CDS) também foi referenciado por um dos meus contactos.

 

** sexta-feira será anunciado o vencedor da votação

Sábado, 27 de Setembro de 2008

Assembleia Municipal

 

Algumas passagens curiosas da Assembleia Municipal de Quinta-Feira:
 
“ … foi uma empresa que definiu as prioridades estratégicas de Porto de Mós”
“ … é uma irresponsabilidade manter o IMI em 0,2%” citando uma acta do ano passado
“ … manter a taxa em 0,2%, provoca uma desigualdade em relação aos outros concelhos, que têm uma taxa mais alta!”
“ … sou contra a manutenção da taxa, mas vou votar a favor…”
“ … concordo com o Sr. deputado, mas propomos a manutenção…”
“ … Porto de Mós dá-se ao luxo de manter 0,2% ao contrário dos outros concelhos”
“ … a receita este ano, é o inferior ao ano passado”
“ … propomos a manutenção, senão o PSD votaria contra”
“ … a manutenção da taxa resulta de uma dinâmica política e financeira”
“ … há vários anos que pedíamos e agora temos. Os munícipes do Juncal agradecem”
“ … Sr. Presidente quando ganhou as eleições foi a Fátima a pé, eu vou a pé de marcha atrás quando Mira de Aire tiver saneamento”
 

Adivinhe quem disse cada uma destas frases?

publicado por Luis Malho às 14:30

editado por Paulo Sousa em 28/10/2008 às 08:42
endereço do post | comentar | É aqui que se vêem os comentários (10) | favorito
|

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.connosco à mesa

Os nossos convidados

Dr. Miguel Horta e Costa

Eng. Cláudio de Jesus

Dr. Saúl António Gomes

Dra. Isabel Damasceno 

Prof. Júlio Pedrosa 

Cor. Valente dos Santos

 

Os nossos leitores

Ana Rita Sousa

Carlos Sintra

 

O nosso email

 

Siga-nos 

 

.podcast


Curvas do Livramento

oiça os nossos debates

Ed. Zero

Edição 1 - 04/Jun/009

Ed. 1.1 Europeias

Ed. 1.2 Autárquicas

Ed. 1.3 Casamentos Gay

Edição 2 - 30/Jun/009

com Clarisse Louro

Ed. 2.1 Pós Europeias

Ed. 2.2 Legislativas

Ed. 2.3 Autárquicas

Ed. 2.4 PMós 2º Clarisse Louro

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.Últimos Comentários

Special thanks to MrCosmos
The Feedburner expert

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.Quiosque

diários

semanários
  regionais
 
   

.Filme recomendado

 

 

Trailer

 

 

 

.Leitura em curso


A Revolução dos Cravos de Sangue

de Gerard de Villiers

Estamos em Portugal, no rescaldo do 25 de Abril, e Lisboa é um tabuleiro de xadrez onde CIA e KGB jogam uma partida mortal. Os serviços secretos americanos, desesperados por apenas terem sabido do golpe de Estado através dos jornais, esforçam-se para impedir que Portugal caia nas mãos do comunismo. Do outro lado, a KGB tem em mente um plano diabólico e põe em campo os seus melhores agentes. É então que um golpe de teatro promete desequilibrar esta guerra fria. Natália Grifanov, mulher de um poderoso coronel da KGB, está disposta a passar para o Ocidente e a relatar todos os segredos que sabe. Para organizar essa deserção a CIA escolhe o seu melhor agente: Malko Linge. Mas nem ele conseguirá levar a cabo esta missão sem evitar danos colaterais. E é então que, nas ruelas de Alfama e nos palácios da Lapa, entre traições e assassinatos, a Revolução dos Cravos mostra a sua outra face.

E, acredite, não é bonita!

Um thriller soberbo e original, passado no pós 25 de Abril de 1974.


Saida de Emergência

.Contador de visitas

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds