Segunda-feira, 11 de Janeiro de 2010

Ponto Final

O fim da passada semana colocou ponto final em dois dos temas que mais têm apaixonado a opinião pública e agitado a opinião publicada: a avaliação dos professores e casamento homossexual!

Penso que há um denominador político comum entre ambos. Não me parece que este epílogo simultâneo seja mera coincidência . Porque em política não há coincidências!

O processo político de avaliação dos professores não só atravessava a agenda política nacional há vários anos como fora, na opinião dessa nova classe profissional designada de politólogos – tão nova que o termo é logo assinalado a vermelho aqui no meu processador de texto, o que me faz interrogar sobre se à conhecida licenciatura em Ciência Política terão juntado uma nova em “Politologia” – responsável pela perda da maioria absoluta de Sócrates. Com cedências, como sempre terá de acontecer em qualquer negociação, ou traições como igualmente sempre acusam os mais radicais, a verdade é que este processo teve um ponto final de relevante efeito político. Se terá o mesmo relevo efectivo na realidade do ensino e no estado da educação em Portugal, isso é outra história.

A aprovação da lei do casamento homossexual colocou também ponto final numa discussão que atravessava o país nos últimos meses. Mas aqui com algumas ressalvas. Apenas em princípio porque, ao contrário do processo de avaliação dos professores, sobram algumas pontas: laivos de suposta inconstitucionalidade, expectativa pela posição que o Presidente da República assumirá quando a lei lhe chegar para promulgação, sabendo-se que se trata de uma lei que não encaixa no seu perfil conservador e mesmo a repercussão que a petição pelo referendo, uma petição com 90 mil assinaturas, sempre terá. Temo pois que aqui não estejamos perante um ponto final mas um ponto e vírgula, ou mesmo reticências.

Mas para o que me proponho analisar – a coincidência no desfecho dos dois processos – não faz qualquer diferença: são ambos pontos finais, porque assim foram concebidos, foi esse o objectivo.

A aprovação do casamento homossexual e o acordo sobre a avaliação dos professores são politicamente fundamentais para o governo na actual conjuntura política e de governação que tem o orçamento como pano de fundo. A primeira porque funciona como um rebuçado para a esquerda numa ocasião em que terá de negociar o orçamento à direita, dada a óbvia e evidente impossibilidade de o fazer à esquerda. A segunda funciona como uma mensagem de capacidade de negociação que, naturalmente, reforça a imagem negocial do governo com vista ao acordo de viabilização do orçamento com a direita.

O negócio político tem razões que a razão desconhece. Por isso parecia tão despropositado avançar com uma questão tão fracturante quando o país se vê confrontado com tantos e tão complexos problemas. Por isso aquela reunião de quinta-feira no Ministério da Educação entraria pela madrugada dentro, inevitavelmente condenada ao sucesso, ao contrário do que anunciavam ventos e marés!

 

 

publicado por Eduardo Louro às 11:00
endereço do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 7 de Janeiro de 2010

É preciso mudar muita coisa, para que tudo fique na mesma

83 por cento dos professores foram classificados com Bom.

Sexta-feira, 9 de Outubro de 2009

Há gente que começa com os pés

O professor de ginática, do meu mais velho, que é novo na escola começou mal.

Primeiro dia de aulas, regras militares, quem se portar mal leva cartão amarelo ou vermelho directo. Quem não tomar banho fica prejudicado na nota final.

Por causa da falta de condições nos balneários, já no ano passado, o meu filho em alternativa  limpa-se com toalhetes e chegado a casa toma banho, assim o escrevemos na caderneta para o dito professor. A resposta, na volta, foi que são indicações devido à gripe A. Bateu na porta errada, aqui o vosso amigo que conhece o plano de contingência, foi falar com a directora de turma por causa deste assunto, como é óbvio ela foi falar com o senhor professor, lá explicou a situação e o fez descer ao patamar do bom senso, mas só naquela altura.

Como mais 3 ou 4 pais fizeram o mesmo, na aula seguinte o senhor não se conteve: Os meninos que foram fazer queixinhas aos pais  e à directora de turma esqueceram-se que quem manda nesta disciplina sou eu.

Estragou tudo, aqui o vosso amigo, foi desta vez falar com o director do agrupamento sobre o assunto.

Como é natural o director pediu desculpa, que irá falar com o senhor e que nada está mencionado no plano de contingência em relação à higiene na disciplina de ginástica e que se os pais se responsabilizam pela higiene dos seus filhos e se eles têm um comportamento normal nas aulas, não podem ser penalizados na nota da disciplina.

Ainda há gente  que não sabe ser professor, a esses devia ser dada, também, a possibilidade de terem  uma carreira alternativa.

Quarta-feira, 22 de Julho de 2009

Orgulhosa (2)

  Este Mapa deixou-me outra vez orgulhosa !!

 

Janeiro foi um mês de  realizações marcantes para a Eb2 Dr. Manuel de Oliveira Perpétua. Uma entrevista à Presidente do Conselho Executivo publicada no Jornal de Leiria dando destaque às boas práticas que a escola desenvolve e aplica. Logo a seguir, a visita preparatória dos Coordenadores do  projecto Talkschool e ainda a boa notícia de que este Agrupamento foi seleccionado, a nível nacional, para fazer parte da Rede de Escolas Associadas ao Conselho Científico para a Avaliação de Professores. No distrito de Leiria foram seleccionados dois Agrupamentos: o de Porto de Mós e  o da Escola Secundária de Pombal.

 

 Fazer parte deste órgão consultivo, significa termos a oportunidade de contribuir para a definição do modelo de avaliação que gostariamos de ver concretizado no  "terreno."

 Permite  aferir as dificuldades e constrangimentos a nível nacional : visitar  escolas e ainda   a possiblidade de dinamizar seminários  e workshops sobre esta temática .

 Porto de  Mós vai estar presente com duas professoras: eu  e uma  colega do primeiro ciclo Delfina Rosário. Mais uma boa notícia!

  

 O resultado desta parceria está disponível neste endereço:

http://www.ccap.min-edu.pt/Parecer%20CCAP%202-2009.pdf

 

estou: Sem palavras
Quarta-feira, 24 de Junho de 2009

Está tudo louco!

 "Na recta final do ano lectivo, Ministério informou as escolas que vai dar formação aos avaliadores e enviar novas fichas de auto-avaliação para os professores. Há estabalecimentos onde a auto-avaliação já esta feita, e os sindicatos estão "estupefactos". Mas Ministério diz que está a cumprir prazos e que avaliação não terá "qualquer efeito" no próximo ano."

 

     Eu também estou estupefacta:  a avaliação não tem qualquer efeito e as fichas de auto-avaliação não servem.

    Será que estou num governo normal?

 

   Aqui estão as novas fichas  no site do ME.

 Não , não estou num governo normal!

estou: eleições já!
Quinta-feira, 8 de Janeiro de 2009

Suspensão da Avaliação ... chumbada!

A Assembleia da República acabou de chumbar, pela segunda vez ( a primeira primou pela ausência de 30 Deputados)  , três projectos de suspensão ( PSD / PEV e BE) da Avaliação de Desempenho Docente.

 Entretanto ficámos com uma caricatura do que foi o projecto inicial para a avaliação de professores. Qualquer semelhança entre o Decreto Regulamentar ,de 2 de Janeiro, de 2008 e este Simplex da Avaliação é pura coincidência. Mas há uma diferença considerável : os Presidentes dos Conselhos Executivos têm agora o peso da avaliação nos seus ombros. Não têm um dilema fácil de resolver : prestam contas perante a tutela ( Ministério) ou perante os professores que os elegeram?

estou:
Quarta-feira, 3 de Dezembro de 2008

Vou faltar a uma promessa

Prometi a mim mesmo não falar, mais, sobre esta guerra dos professores a partir do momento em que pelas evidências todas, tenho a certeza do que está em causa não é o "modelo" da avaliação, mas sim a própria avaliação.O último sinal foi a alternativa dada após um ano de luta: AUTO-AVALIAÇÃO!
 
Mas vou faltar ao prometido por causa do que ouvi hoje de manhã (8 da manhã) na antena 1.
A antena 1 resolveu acompanhar duas famílias até á escola, uma em Coimbra em que o casal trabalha por conta de outrem e,  estavam muito preocupados se a filha não tivesse aulas, pois não sabiam como fazer.
A outra família acompanhada foi em Lisboa, em que a mãe foi levar os filhos ao colégio (escola particular) e que estava descansada porque os filhos nunca foram prejudicados ou ela, pois os professores nunca fizeram greve e sabia, foi informada pela escola, que hoje também ia haver aulas.
Mas o facto mais espectacular para mim nem foi constatar as diferenças entre o público e o privado no que diz respeito a este assunto particular da avaliação, porque todos sabemos que  no sector privado somos avaliados, o mais fantástico foi essa senhora ter dito à jornalista que estava descansada e no segundo seguinte ter dito que era professora do ensino publico e que ia fazer GREVE!!
 
Deixo os comentários para os meus caros amigos leitores do Vila Forte!...

 

estou:
Domingo, 23 de Novembro de 2008

Avaliação das Quotas

  A Professora Fátima Barros , escreve esta semana o seguinte:

 “ numa escola é reconhecida autoridade e autonomia na actuação dos professores dentro da sala de aula. Por isso a avaliação levada a cabo por pares, mesmo que mais superiores, é sempre muito delicada… O Ministério não pode regular o avaliador impondo quotas para as classificações dos professores, pois considera que o avaliador não vai ser suficientemente isento na sua avaliação”.
 Suponho que esta Professora a Universidade Católica, não seja sindicalista e seguramente não faz parte dos 120 mil que fizeram greve a 8 de Novembro, em Lisboa. Mas escreve e defende o mesmo que os professores. Eu concordo inteiramente com ela.Só com uma nuance. Quotas sim , mas para o exercício de funções diferentes . Ou seja: quantos lugares de topo há, na escola? Poucos? Só esses poderão ser objecto de quotas. Tal como em qualquer outro serviço público ou não. Enquanto não olharem as quotas para funções diferentes e sim como um garrote à progressão na carreira não será fácil admitir esta distinção na classificação de professores.  E confirma-se: é uma falta de confiança  nos avaliadores.
O que dizer de professores que são titulares e não estão, nem envolvidos na avaliação dos seus pares , nem integram  os órgãos de gestão intermédia das escolas?
 Ganham o mesmo sem arrelias. Não é muito justo.

 

estou:
publicado por Ana Narciso às 18:27
endereço do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 30 de Outubro de 2008

Avaliação de Desempenho Docente

        Hoje , numa reunião informal de professores, senti-me reconfortada  e acompanhada na contestação a um modelo de avaliação impraticável. Não há doutrina, prática , conhecimento, formação e informação adequadas que  nos permitam acatar com serenidade uma avaliação com  consequências  quer na progressão  da carreira quer no ingresso e contratação do mais jovens.

   Hoje foi informal.

  Pode ser que se transforme num acto mais formal  e com mais impacto.

 Caramba, houve 100 mil professores na rua ... Onde se meteram? Foram sombras que se passearam por Lisboa? Estes professores estão nas escolas , fazem parte de órgãos das Escolas são profissionais e não concordam com este modelo de avaliação. Querem ser avaliados, mas naõ assim. Eu não me resigno . Parece-me inaceitável que haja professores do 1º ciclo ou do Pré-escolar, que se não houver dotação financeira nas escolas, deslocar-se-ão a outros estabelecimentos de ensino  distantes do seu local de trabalho,   no seu próprio carro com dinheiro do seu  bolso apenas para avaliar outros colegas. Depois regressam outra vez ao seu local de trabalho. Acham normal? Justo? Eficaz? Parece-me inaceitável e razão mais do que suficiente para suspender  este processo  que não assegura a igualdade de oportunidades e de acesso a todos os professores e educadores.

    Só espero que a próxima resulte, de facto, numa tomada de posição comum ,  forte e que  contribua decisivamente para a suspensão deste processo de avaliação de docentes .

 

 

 

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.connosco à mesa

Os nossos convidados

Dr. Miguel Horta e Costa

Eng. Cláudio de Jesus

Dr. Saúl António Gomes

Dra. Isabel Damasceno 

Prof. Júlio Pedrosa 

Cor. Valente dos Santos

 

Os nossos leitores

Ana Rita Sousa

Carlos Sintra

 

O nosso email

 

Siga-nos 

 

.podcast


Curvas do Livramento

oiça os nossos debates

Ed. Zero

Edição 1 - 04/Jun/009

Ed. 1.1 Europeias

Ed. 1.2 Autárquicas

Ed. 1.3 Casamentos Gay

Edição 2 - 30/Jun/009

com Clarisse Louro

Ed. 2.1 Pós Europeias

Ed. 2.2 Legislativas

Ed. 2.3 Autárquicas

Ed. 2.4 PMós 2º Clarisse Louro

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.Últimos Comentários

Special thanks to MrCosmos
The Feedburner expert

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.Quiosque

diários

semanários
  regionais
 
   

.Filme recomendado

 

 

Trailer

 

 

 

.Leitura em curso


A Revolução dos Cravos de Sangue

de Gerard de Villiers

Estamos em Portugal, no rescaldo do 25 de Abril, e Lisboa é um tabuleiro de xadrez onde CIA e KGB jogam uma partida mortal. Os serviços secretos americanos, desesperados por apenas terem sabido do golpe de Estado através dos jornais, esforçam-se para impedir que Portugal caia nas mãos do comunismo. Do outro lado, a KGB tem em mente um plano diabólico e põe em campo os seus melhores agentes. É então que um golpe de teatro promete desequilibrar esta guerra fria. Natália Grifanov, mulher de um poderoso coronel da KGB, está disposta a passar para o Ocidente e a relatar todos os segredos que sabe. Para organizar essa deserção a CIA escolhe o seu melhor agente: Malko Linge. Mas nem ele conseguirá levar a cabo esta missão sem evitar danos colaterais. E é então que, nas ruelas de Alfama e nos palácios da Lapa, entre traições e assassinatos, a Revolução dos Cravos mostra a sua outra face.

E, acredite, não é bonita!

Um thriller soberbo e original, passado no pós 25 de Abril de 1974.


Saida de Emergência

.Contador de visitas

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds