Domingo, 11 de Outubro de 2009

João Salgueiro é de novo o Presidente de Câmara de Porto de Mós

Após declaração de derrota do PSD na pessoa de António Pires na rádio D.Fuas, não nos resta senão dar os Parabéns ao PS e ao Sr. João Salgueiro em particular. Sou dos que considero o povo inteligente e soberano, haja quem reflicta e tire as devidas conclusões destes 4 anos de oposição.Que a equipa liderada por João Salgueiro seja digna deste voto de confiança, da nossa parte podem contar com uma humilde  e sincera critica construtiva tendo em vista o desenvolvimento da terra que TODOS amamos.

Porque a noite é nossa...

...dos eleitores,de quem vota!

O Vila Forte é um blog que passou largamente as fronteiras dos limites do concelho de Porto de Mós, daí que nesta noite de eleições autárquicas fazemos o convite a todos os nossos amigos para aqui virem comentar o que se passa no seu distrito,no seu concelho, na sua freguesia, na sua terra em termos eleitorais. As eleições autárquicas traduzem na plenitude todos os ideais de "Abril", cada pessoa vale um voto, cada voto conta para o nosso futuro.

A nossa cobertura será tanto mais extensa e intensa quanto os vossos contributos em forma de comentários, as consequências e análises das eleições vêm a seguir, por agora, e nas próximas horas queremos é saber estórias e resultados por esse País fora.

obrigado pela contribuição!! Viva Portugal, Viva a democracia!

Sábado, 10 de Outubro de 2009

Rindo e Reflectindo

Sexta-feira, 9 de Outubro de 2009

Sobre a gestão de João Salgueiro

"Não há ventos favoráveis para aquele que não sabe para onde vai"

 

Séneca 

Eleições Autárquicas – Porto de Mós #5

 

O Jornal de Campanha da candidatura de João Salgueiro, distribuído hoje, último dia de campanha, tal como há 4 anos, tem na segunda página 3 textos com os seguintes títulos:
 
 - PSD desconhece as necessidades do Concelho e aposta na maledicência.
 - Júlio Vieira compactua com entrega da Junta de Freguesia de S. João Baptista Empresa de Leasing.
 - João Salgueiro apresenta campanha limpa em contraste com a oposição.
 

Receio escrever aqui o que me apetece dizer sobre esta forma de fazer política.

estou: não quero dizer...
Quarta-feira, 7 de Outubro de 2009

Eleições Autárquicas – Porto de Mós #4

No próximo Domingo são as eleições autárquicas, onde vamos ser chamados a votar também para a Freguesia.

 
A Freguesia do Juncal, onde resido, apresenta dois candidatos à Junta de Freguesia.
 
O actual Presidente de Junta, o Sr. João Manuel, que depois de ter sido candidato pelo PP, Presidente pelo PSD, durante dois mandatos, apresenta-se agora como independente numa lista do Partido Socialista com o forte apoio do actual Presidente da Câmara, João Salgueiro, de quem discordou ao longo dos últimos 4 anos. Confuso? Talvez, mas é a realidade!
 
O actual Presidente de Junta, além das fortes divergências com o Presidente da Câmara, foi também, objecto de forte oposição, por parte dos membros da Assembleia de Freguesia eleitos pelo Partido Socialista. Agora estão do mesmo lado! Pelo menos aparentemente.
 
O seu programa é mais do mesmo, sem nenhuma novidade, basicamente, resume-se “a somos amigos da Câmara e seremos exigentes com ela” serão? Não me parece, ganhe quem ganhar.
 
O José Fernando é o candidato do PSD e tem com ele uma equipa jovem, penso que toda ela sem experiência autárquica, o que poderá ser uma enorme vantagem, no caso de ganharem as eleições.
 
A carta de apresentação, para o Juncal está muito bem elaborada e o programa está bem estruturado e é ambicioso, o que só fica bem a quem está a começar. Acredito que se o José Fernando ganhar o Presidente da Junta, deixará de ser o “tapa buracos” que está presente em todo lado, mas que não garante o desenvolvimento sustentado da freguesia.
 

No Domingo, sem qualquer hesitação decidi, há muito tempo, votar no José Fernando e desejo que ele ganhe.

estou: sem duvidas
publicado por Luis Malho às 16:00

editado por Pedro Oliveira às 09:24
endereço do post | comentar | É aqui que se vêem os comentários (28) | favorito
|

És socialista ou não?

A poucos dias das eleições, tenho ouvido várias pessoas, que não associo a uma orientação partidária de esquerda, a dizer que João Salgueiro não é nada socialista. Uma delas garantiu-me que ele próprio lho confessou.

Conversas como estas, off the record, a existirem são dirigidas a um ouvinte particular e destinam-se a tentar ganhar mais um voto. Podem até nem chegar a ter a forma de diálogo verbal, pois a uma pergunta do género, és socialista ou não? basta responder com um sorriso irónico, ou um piscar de olho que a resposta está dada.

O objectivo de uma conversa como esta, é fazer com que alguém que não é de esquerda, pondere todos os arranjos de fachadas que tem sido feitos nas últimas semanas e vote à esquerda.

O eleitor menos atento, pode esquecer-se de todas as leituras políticas que resultam do seu voto.

Numa dessas conversas lembrei o meu interlocutor que votar PS, mesmo no Juncal ou em Porto de Mós é de facto apoiar o PS, é apoiar o encharcamento do país de subsidios ao não trabalho, é apoiar o TGV no vale do Ribeiro, que sabemos ter o apoio do Sr. Salgueiro, é apoiar os temas fracturantes tão apreciados pelo PM e pela esquerda urbana. Fazer a cruzinha à frente do símbolo do PS, é e será sempre votar à esquerda.

Estas eleições autárquicas trazem algo que nunca antes aconteceu no nosso concelho e que se prende com a quantidade de arranjos que se concentraram e estão decorrer desde há três ou quatro semanas para cá.

A título de exemplo o arranjo da primeira rotunda concelho para quem vem da A8, foi pedido repetidamente pela Junta do Juncal à Câmara desde 2005. Nunca foi feito. Há dois dias até relva em tapete levou, e sabemos a diferença do custo da relva semeada e atapetada...

O público tem de escolher entre, quem pode recorrer a recursos que são públicos e não se preocupa em desbarata-los, e quem não o pode fazer porque simplesmente não está no poder. As obras eleitorais, que sempre existiram, mas cá entre nós nunca na dimensão que agora observamos, são por isso algo que podemos classificar de concorrência desleal.

Será que basta negar que se é socialista e arranjar o degrau à frente da porta, pintar o chão de preto e arranjar as rotundas para fazer alguém que discorda do modelo do rendimento mínimo, que acha que devia haver menos Estado, que não quer o TGV a passar no Juncal, que não gostou do autoritarismo e da arrogância do executivo do Sr. Salgueiro, que acreditou que a Casa dos Calados e o Salão Paroquial iam ser recuperados e foi enganado, que se envorgonhou com a Tourada nas Festas de São Pedro, e mesmo assim irá votar PS?

 

Terça-feira, 6 de Outubro de 2009

Eleições Autárquicas – Porto de Mós #3

 

Estamos a poucos dias das eleições autárquicas e animação nas ruas do Concelho é grande.
 
Sobre os meios utilizados nesta campanha, para além do tradicional Porta a Porta, infomails, jantares, porco no espeto, etc… há por parte da candidatura de João Salgueiro uma utilização de meios, nos tempos que correm OBSCENA.
 
A quantidade de cartazes, as caravanas de carros a buzinar continuamente, os jantares vendidos abaixo do preço de custo, etc… são um verdadeiro insulto, pelo menos para os mais carenciados, que devem olhar para este espectáculo de uma forma, que não consigo sequer imaginar.
 
Ontem estive com alguém que constituiu o grupo do “Porco no Espeto” ele do Juncal e mais dois que nem são do Concelho. Têm-se dedicado ao “Porco no Espeto”, já foram à Azoia, Golpilheira, Ribeira de Baixo, Juncal, Calvaria, etc… correram todos os partidos, o que lhe interessa é mesmo o Porco. Dizia-me ele ontem: “O Salgueiro já me cumprimentou 3 vezes em 3 locais diferentes, deve pensar que vou votar nele!”, “No Domingo foram 5 sandes à conta do PS”.
 

Todos nós devíamos de decidir em quem votar um mês antes das eleições. Talvez este exagero terminasse.

estou: Sem crise

Algures entre uma imperial e um salto de bicicleta

Estou farto de campanhas e eleições.

 

É verdade, já nem posso ouvir falar de projectos, de obras, de promessas, de barulhos, estou farto.

 

Apesar de não conhecer o candidato do CDS, estou quase a votar neles.Se viesse cá o Portas é que era.Já não suporto estes "pêpêdês", os de um lado e do outro sempre a dizer mal uns dos outros.

 

Olha eu nem sei se vou votar, disseram-me que as obras já estão todas orientadas lá com a coisa da Europa, o "QUEREN".Se é assim para quê mudar, ao menos deixamos quem está  acabar a obra. 

Quinta-feira, 1 de Outubro de 2009

A idade é um posto

Aos 97 anos, Teresa Santos Lopes faz parte da lista do PS para a junta de freguesia de Vila Franca da Beira, em Oliveira do Hospital.

 

Ver entrevista aqui.

 

Quarta-feira, 30 de Setembro de 2009

É tudo uma questão de mudança de camisola

Hoje pela manhã, por motivo profissionais, contactei um vizinho dos meus pais, que está nas listas do PS para as eleições autárquicas, para além da questão profissional falámos da politica mais caseira.Ás tantas deixou-me esta pérola: sabes, em Porto de Mós somos todos da mesma familia e somos todos amigos uns dos outros, mas como nos jogos de casados e solteiros, também na politica temos de vestir camisolas de cores diferentes para nos podermos diferenciar. Eu este ano decidi mudar de camisola, já não me identificava com a outra.

Sexta-feira, 25 de Setembro de 2009

A ABADA

Realizou-se hoje o último dos debates organizado pela Rádio D.Fuas FM em conjunto com a Zona TV.

Também o mais esperado entre Julio Vieira (PSD) e João Salgueiro (PS).

A diferença é abismal. de um lado Julio Vieira a demonstrar serenidade, convicção e coerência na apresentação do projecto que vem defendendo e no qual acredita. Um projecto de viragem consistente e perfeitamente sustentado a todos os niveis.

Do outro lado o actual Presidente, João Salgueiro,estranhamente nervoso, desligado da função que tem vindo a exercer (parece desconhecer os dossiers e desvia a atenção de alguns por não estar à vontade) a falar sistemáticamente na primeira pessoa do singular e pasme-se, afirmou que recebeu um concelho cheio de "ervas na beira das estradas" - recebeu de si próprio retorqui Julio Vieira - recordando-lhe os 20 anos de Vereador a tempo inteiro e os dois ultimos mandatos como vice-presidente.

João Salgueiro não tem programa porque diz não ser preciso - ele próprio e a sua experiência são suficientes.

João Salgueiro passou o tempo a relatar a valia do seu curriculo, a sua capacidade para resolver os problemas a todos os que lhe vão pedir, enfim para quem conhece Salgueiro ainda pior do que nós conheciamos.

Julio Vieira não apenas ganhou. Deu uma abada monumental.

Julio Vieira vai ser o próximo Presidente da Cãmara Municipal porque tem um projecto para o nosso concelho e vive como muitos de nós inconformado com a actual situação.

João Salgueiro terminou a pedir que a partir da próxima terça feira (já na rua em campanha) a população do concelho o venha abraçar. A ele e ao seu projecto que é ele também.

A partir da próxima terça feira vamos finalmente deixar de ser governados pelo Sr Salgueiro, espero que para sempre.

Parabéns Julio.

Espero que consigas transmitir às pessoas do nosso concelho o projecto do PSD, com a clareza com que o tens feito nos últimos tempos.

Eleições Autárquicas – Porto de Mós #2

(continuação)

Sem um bom programa temos navegação à vista, ao sabor da espuma dos dias, sem Estratégia.
 
E sem uma boa equipa, como é possível implementar um bom programa?
 
Estas são para mim as questões que devem ser colocadas na decisão do voto.
 
A verdade é que o programa do Concelho está condicionado ao QREN, às escolhas, que o actual executivo fez. E quem ganhar as eleições terá que realizar as obras há muito escolhidas.
 
Estas Obras, não são na maioria dos casos prioritárias nem têm um fio condutor, do meu ponto de vista.
 
Resta assim escolher qual a melhor equipa. Já conhecemos a equipa do actual Presidente da Câmara, que sobre ela, tem dito CUMPRI, (verbo cumprir, conjugado na primeira pessoa do singular).
 
A equipa do PSD é constituída, nos primeiros quatro lugares, por 3 pessoas de Porto de Mós, demonstrando que o fórum pelas freguesias, não foi suficiente para recrutar mais do que uma pessoa, de fora da sede do concelho.
 
Esta equipa do PSD diz que o importante são as pessoas, mas não tem tratado bem algumas pessoas da sua família. Veja-se o que aconteceu, ao actual Presidente da Junta de Freguesia do Juncal. Será que ele foi mesmo cativado?
 
Claro que o meu sentimento será, legitimamente, interpretado de diversas formas. Claro que estou magoado com o PSD e já tive oportunidade de o dizer pessoalmente a algumas pessoas da comissão política.
 
Claro que seria mais fácil ficar calado, ou mesmo, dizer que apoiava o PSD nestas eleições autárquicas. Prefiro, no entanto, manter-me fiel à minha consciência e sem hipocrisias, assumo que irei votar em Branco, na eleição do próximo Presidente da Câmara Municipal de Porto de Mós.
 
Quinta-feira, 24 de Setembro de 2009

Eleições Autárquicas – Porto de Mós #1

Estamos a cerca de duas semanas das eleições autárquicas. É tempo de reflectir e de decidir em quem votar.

 
Como cidadão independente, de centro direita, simpatizante do PSD, voto quase sempre no PSD, mas já votei em branco, no CDS do saudoso Lucas Pires e até no PS, numas autárquicas em que fiz parte da lista à junta de freguesia do Juncal.
 
Nas Autárquicas a maioria dos eleitores dão mais importância às pessoas (aos candidatos) do que aos partidos. Mas o projecto apresentado também é importante, até porque o projecto diz muito às pessoas, que conhecem e sentem muito bem as principais lacunas das suas terras. Propor um Parque Infantil para o Juncal é mais fácil para atrair um eleitor do Juncal, do que prometer reduzir o défice ou sermos mais competitivos no futuro.
 
Nas Autárquicas as propostas para o Concelho são importantes, mas as propostas para a Freguesia em que residimos, ainda são mais.
 
O próximo mandato vai ser um mandato “gordo”, pois o QREN atribuiu uns milhões de euros para cada município “gastar” em “desenvolvimento”. Os milhões atribuídos ao Concelho de Porto de Mós já têm destino, e a grande maioria são para “gastar” na sede de concelho, com excepção do “obrigatório” saneamento de Mira de Aire. Quem ganhar as eleições, daqui a 4 anos é que terá OBRA em Porto de Mós, veremos como os eleitores das freguesias do Concelho, julgarão as opções tomadas há um ano atrás.
 
A cerca de duas semanas das eleições, as propostas ainda não “chegaram” à minha caixa de correio, com excepção de 3 infomails do PSD’s (esclarecimento sobre o candidato do Juncal, o que João Salgueiro não cumpriu, e apresentação do candidato) e um Postal do candidato João Salgueiro.
 
Desconheço as propostas definitivas, mas conheço genericamente aquilo que cada partido propõe, sendo que o PS, presumo que irá “encher” o seu programa com as tais obras do QREN e mais umas quantas migalhas para as freguesias. O PSD lançou os fóruns onde apresentou e recolheu propostas para as freguesias do Concelho, ouvindo as pessoas, naquilo que foi uma boa iniciativa.
 
A questão que se coloca, é se devemos de dar mais importância aos programas ou às equipas?

(continua)

 

Sexta-feira, 11 de Setembro de 2009

Uma vergonha

Viva LeiriaHoje de manhã Leiria acordou com TODOS os cartazes de Isabel Damasceno mascarrados de tinta em cima da figura da candidata.

O processo eleitoral autárquico dentro do PSD de Leiria envergonha o partido: a providência cautelar, a vandalização da sede, o desvio de cartas, o incitamento ao voto em branco e agora esta situação não dignifica a democracia no nosso distrito em geral e da cidade de Leiria em particular.

Já não bastava  a cena dos cartazes de Salgueiro...

Uma Vegonha.Como cidadão sinto que este país está a andar para trás no que diz respeito aos valores que definem uma sociedade civilizada nos tempos modernos.

Quinta-feira, 10 de Setembro de 2009

A informação e o debate nunca são demais

Fiquei agradavelmente surpreendido ao entrar no site da CINCUP e ter verificado que lá estava um link para o "blogue autárquicas2009" .Desta forma a CINCUP adere à blogosfera para informar e dar oportunidade a quem queira opinar sobre o processo eleitoral em Porto de Mós.

Que este projecto "blogosférico" da CINCUP não se esgote no dia 12 de Outubro, é o desejo da equipa do Vila Forte.

Terça-feira, 1 de Setembro de 2009

A democracia em Porto de Mós está mais pobre

 retirada da net

O CDS sempre foi uma força politica com representatividade nos orgãos municipais em Porto de Mós, ou com vereadores ou com deputados municipais, ou ambas as situações. Este ano, o famoso caso do "apartamento com a bandeira no estendal", foi inicio do fim do CDS (em minha opinião), como partido em Porto de Mós, pois esse caso veio demonstrar que o CDS, hoje, não consegue mobilizar os seus simpatizantes.

Acredito que haja muito democrata cristão que se sente neste momento perdido e que encontre no PSD e PS um porto de abrigo politico.

ESTA noticia só vem reforçar esta minha opinião.Pessoalmente, acho que perde Porto de Mós e  a democracia Portomosense.

Segunda-feira, 31 de Agosto de 2009

Melhor Deputado da Assembleia Municipal de Porto de Mós **

Tendo como exemplo ESTA votação, achei que podíamos fazer o mesmo em relação aos deputados municipais que tiveram melhor prestação nesta legislatura. Para recolha dos nomes a votar contactei, via SMS e mail, alguns dos meus amigos e conhecidos em Porto de Mós, que têm opinião formada sobre o assunto, a quem agradeço a colaboração e envio dos nomeados.Todas estas "eleições" são subjectivas, mas penso ser interessante sabermos quem se destacou pela positiva nestes 4 anos, já que do mau que se foi passando já nós sabemos, e foi referenciado como um gande lamento pela maioria dessas pessoas. O VilaForte também quer, assim, contribuir para a valorização deste orgão e das pessoas que se destaram por lutar, de forma correcta e cordeal, pelo que acreditam ser melhor para o nosso concelho. Os nomes que foram mais referenciados e que vão merecer o nosso voto  para a eleição DO deputado municipal foram :

 

Pelo PSD: António Pires

Pelo PS:  Fernando Amado

 

A caixa de comentários está ao vosso dispôr para a eleição do melhor deputado da Assembleia Municipal Portomosense.

 

p.s: Os nomes de Gisela Rosa, António José Teixeira e Fernando Matos, do PS ; de Luís Malhó, Carlos Venda e Jorge Vala do PSD, também tiveram mais que uma referência, o nome da deputada Antonieta Mariano (CDS) também foi referenciado por um dos meus contactos.

 

** sexta-feira será anunciado o vencedor da votação

Domingo, 30 de Agosto de 2009

A campanha está no ar - #2

Para além do lixo nas bermas, a forma como reagimos positivamente ou não ás inverdades das campanhas eleitorais, de quem vai a votos, também é um bom "barómetro" da maturidade civica e democrática de um povo. Já aqui repudiámos a vandalização de um cartaz de João Salgueiro, pelo que soube,hoje, mais um foi vandalizado na Ribeira de Baixo.

 

Em vez desta mostra  de um comportamento menos civico perante uma campanha feita de pouca seriedade politica, que tal serem colocados uns cartazes ao lado com o seguinte teor: Sr. Salgueiro, não cumpriu porque não fez isto, isto e ainda mais isto.Não cumpriu porque nem sequer fez nada. Não cumpriu porque não prometeu nada para esta terra. Ou então um simples: Se cumpriu dê a vez a outros que façam melhor porque o que cumpriu é insuficiente para nós!

Sexta-feira, 28 de Agosto de 2009

Toma lá, dá cá!

Há poucos dias, em conversa com uma senhora conhecida, que não mora no nosso concelho, falávamos sobre as eleições.

Já pertenceu a diversas listas autárquicas, mas, por falta de feitio para aturar políticos, quis ficar sempre em lugares não elegíveis. Desta vez, apesar da lei da paridade, mas perante o cada vez maior descrédito da política, estava mesmo decidida a não participar em nada.

Contou-me que há uns dias atrás tinha recebido uma chamada do candidato à Câmara Municipal do partido que tradicionalmente é poder no concelho onde vive (mais uma vez, não é em Porto de Mós!) em que foi convidada a preencher um dos lugares do fundo da lista.

Perante a vontade de recusar e a possibilidade de que o filho (recém licenciado no desemprego) poder entrar como estagiário na Câmara no próximo mandato... foi incapaz de dizer que não.

Até que ponto serão frequentes episódios desta natureza? 

Haverá coragem?

Como bem recordou o Sr. António Carvalho, há 20 anos, alguns Portomosenses foram visionários e decidiram juntar a Freguesia de S.João e S.Pedro numa só, mas por razões que a própria razão desconhece, um ajuntamento popular inviabilizou essa reforma administrativa que até hoje nunca mais foi para a frente.

Ultimamente tenho falado com vários amigos meus Portomosenses, uns com responsabilidades politicas locais e outros que querem vir a ter e é unânime que esta situação tem de mudar, mas (há sempre um mas) anda-se à espera de ver quem tem a coragem de dar o primeiro sinal.

Pois muito bem, eu sou daqueles que considero que é fundamental a fusão das duas freguesias, numa freguesia única. As competências destas juntas de freguesia, na prática, são hoje em dia pouco mais que passar atestados de residência, uma vez que tudo o resto passa pela boa ou má vontade da Câmara, em todas será assim, mas nestas duas ainda se nota mais como sabemos.

Será que os candidatos a S.João e S.Pedro vão ter a coragem de colocar este assunto na agenda politica local? Ou será que vamos continuar como estamos para não levantar ondas? Os visionários vão continuar a ser derrotados pelos "velhos do restelo" em Porto de Mós?

Terça-feira, 18 de Agosto de 2009

Comentários que merecem destaque

O nosso visitante Pedro Lopes, lançou um desafio em forma de comentário que, também, me parece interessante.Como tal, aqui fica em forma de pos't. A caixa de comentários está ao vosso dispor:

 

Era interessante neste espaço sentir a opinião das pessoas sobre os duelos entre candidatos para os diversos órgãos, dos dois principais partidos, em jeito de sondagem

Câmara Municipal

Julio Vieira / João Salgueiro


Assembleia Municipal

Virgilio Casimiro / Mario Pragosa


Juntas Freguesia:

Alcaria

Benvinda Januário / João Rosa

Alvados

António Pardal / Hermano Carreira

Arrimal

Manuel Amado / António Costa

Alqueidão da Serra

José Cordeiro / Rui Marto

Calvaria de Cima

Olimpio Pereira / Helder Paulino

Juncal

José Santiago / João Coelho

Mendiga

Arlindo Ferreira / Jorge Paulo

Mira de Aire

António Ferreira / Artur José

Pedreiras

Rogério Vieira / Vitor Semião

São Bento

Manuel Mena / Luis Cordeiro

São João

José Gomes / Manuel Bártolo

São Pedro

José Carlos / Luis Costa

Serro Ventoso

Carlos Venda / Carlos Amado

 

Curriculos há muitos

Recebo muitos curriculos, muitas das vezes chegam em tempos de oportunidade,mas a maior parte das vezes recebo-os dou uma olhadela e entrego-os ao departamento pessoal para arquivo interno. Muitos deles vêm cheios de experiências profissionais, várias actividades civicas, participação em muitas associações, muitos deles falta só dizerem que pertenceram a uma qualquer associação no infantário... . Outros, aqueles em que perco mais tempo fazem um resumo da sua experiência profissional e pessoal de uma forma objectiva, dizem o que fizeram quais eram os seus objectivos nesses locais, quais as mais valias que introduziram nas empresas e mostram trabalho de casa sobre a empresa para a qual estão a enviar o curriculo.Infelizmente há muitos a enviar curriculos extensos, mas sem "densidade", há muito menos a dizer o valor acrescentado que trouxeram nas organizações por  onde passaram seja em trabalho, seja de uma forma civica e social, muito menos são aqueles que sabem o que pretendem quando se candidatam a uma determinada empresa e/ou função.

Faço o paralelo na politica, parece que a credibilidade e saber o que se quer em determinado cargo público não podem ser colocados em causa, desde que o putativo candidato apresente uma lista de cargos ocupados ao longo da vida, maiores que a minha lista do "Continente", é um salvo conduto à candidatura... A convicção que sabe ao que se candidata, ter ideias concretas sobre a função, traçar objectivos, actividades para os atingir, nada importa, menos importa saber o resultado da passagem por tantas instituições, maior parte das vezes meras figuras decorativas que nada acrescentam ás organizações,mas... o que interessa é que não há instituição na terra, a nível regional e se possivel nacional que não tenha a sua "impressão digital".

E o que dizer então daqueles que são eleitos por um partido e votam em outro em eleições anteriores ou nas seguintes?

Curriculos há muitos...

Sexta-feira, 14 de Agosto de 2009

Ser capitão

Pelo meu percurso profissional uma das áreas de maior interesse para mim são as questões,complexas, da liderança e da inteligência emocional, ou seja, a forma de o líder interagir com a sua equipa e ele, o líder, ser capaz de potenciar ao máximo as competências de quem o rodeia e saber identificar,bem, o seu capitão.

É um desafio que se coloca a nós líderes de empresas, autarquias ou equipas desportivas, é algo que me motiva e entusiasma, o que mais me empolga é saber que todos os dias tenho algo a dar aos outros e saber que os outros me dão no minimo em dobro daquilo que lhes dou. É por isso que gostei de ler Este texto. Será que Porto de Mós tem líderes candidatos à Câmara ....? saberão escolher os seus capitães?

Quinta-feira, 30 de Julho de 2009

O jogo de cintura necessário à sobrevivência política (II)

João Manuel Rodrigues Coelho

 

1997 - Candidato à Junta de Freguesia do Juncal pelo CDS

2005 - Candidato à Junta de Freguesia do Juncal pelo PSD

2009 - Candidato à Junta de Freguesia do Juncal pelo PS

 

Como se pode ir de um partido democrata cristão e conservador para outro que apoia os casamentos gay? Será por deriva ideológica?

 

 

 

"No actual estado de degradação das estruturas partidárias em que a militância desinteressada e a adesão politico-ideológica é quase irrelevante em relação à carreira aparelhística, os partidos no seu interior são verdadeiras escolas de tráfico de influência (..) de corrupção."

José Pacheco Pereira, Público (11.7.09)

 

Quarta-feira, 22 de Julho de 2009

Vou de férias!Até quando eu não sei...

Vou de Férias e como estamos em época pré eleitoral deixo alguns dos meus textos que me marcaram em relação ao que penso sobre Porto de Mós e suas ,REAIS, potencialidades. Falei da importância da Banda Recreativa , escrevi sobre o que poderia ser uma aposta cultural no Concelho , dei a minha visão sobre a escola profissional , olhei para um parque tecnológico e não para um parque industrial , perguntei por uma estratégia para o concelho, falei sobre factores de competitividade: certificação qualidade, valorização recursos humanos , falei sobre formas de turismo , de  outros exemplos, lancei a ideia de uma Universidade em Porto de Mós , e entre muitos mais textos que escrevi sobre Porto de Mós (basta pesquisar por temas em : http://vilaforte.blog.com e http://vilaforte.blogs.sapo.pt ), realço o que escrevi sobre LIDERANÇA , factor critico de sucesso em qualquer organização.

 

Por fim deixo uma sugestão de leitura aos candidatos a Presidente de Câmara e Juntas de Freguesia de Porto de Mós, e que revejam as palestras dos Professores António Câmara e Júlio Pedrosa, organizadas pelo Vila Forte. Quem  conseguir entender a mensagem e levar à prática as  sugestões, estará mais próximo de melhorar a qualidade de vida dos Portomosenses, o que não tem acontecido até agora.

 

Boas Férias, até qualquer dia , por aí....

Sexta-feira, 10 de Julho de 2009

Os "ses" na politica caseira

Ainda agora a procissão vai no adro e os "ses" que condicionam ou condicionaram algumas decisões politicas começam a ser conhecidas, entre outras: João Salgueiro só aceitou candidatar-se porque lhe garantiram, leia-se PS, não sei o quê e ontem ficámos a saber que João Gabriel anda em negociações com Júlio Vieira para publicamente lhe dar o apoio e assim conseguir algo que reclama para a sua terra.

Por principio não sou contra as pessoas pedirem o melhor para si e para os seus, e até se costuma dizer que quem "não chora não mama", mas parece-me que no caso concreto da negociação João Gabriel e Júlio Vieira pode estar a abrir-se um precedente perigoso para a causa comum que é um Concelho no seu todo.

O PSD fez os seus Fóruns nas treze Freguesias, incluindo no Alqueidão, de certeza que os problemas e os anseios da população do Alqueidão foram levados em linha de conta no programa a  apresentar, tal como das restantes 12 freguesias que contemplam a estratégia a 12 anos que o PSD quer levar a cabo.

Deste modo, não entendo porque é que a candidatura de Júlio Vieira tem de negociar o quer que seja com um munícipe, seja ele João Gabriel, ou outro qualquer, a não ser que esse munícipe esteja disponivel para ocupar um lugar de destaque na sua terra, como por exemplo ser candidato a Presidente de Junta.

Confesso que fiquei baralhado e gostaria que alguém nos explicasse esta questão dos negócios na politica caseira.

A história diz-nos que estas negociatas costumam correr mal para todos, incluindo para quem intervém nelas directamente.

Gripe A e as eleições

«Passeatas nas ruas mais movimentadas das cidades, beijinhos distribuídos aos transeuntes, comícios com centenas de pessoas. O período das campanhas eleitorais é sempre marcado pelo contacto directo dos candidatos com os cidadãos. E os próximos actos eleitorais (legislativas e autárquicas) não serão muito diferentes. A não ser que a situação epidémica da gripe A (H1N1) evolua para um pico de crise aguda e, tal como prevê o Observatório Nacional de Saúde, sejam infectados 2,5 milhões de portugueses. Refira-se que a campanha eleitoral para as legislativas (27 de Setembro) começa no dia 12 e termina a 25, já no Outono. 
O especialista em saúde pública e membro da Direcção-Geral da Saúde, Mário Carreira, não tem conselhos especiais para dar à classe política que vai andar em campanha. Até porque não há certezas sobre a evolução do vírus em Portugal. No entanto, e perante a possibilidade de se assistir a uma epidemia, o médico alerta que o "convívio social aumenta o risco [de contágio]", notando que "as pessoas infectadas não devem estar em contacto com outras pessoas". 

 

Público, hoje

 

Será esta facto relevante para o desenrolar dos próximos actos eleitorais? Como serão umas eleições autárquicas com os candidatos a evitarem o público? Com os previsíveis avisos para se evitar a exposição ao exterior, o contacto telefónico, os media e a internet poderão ter um papel determinante na campanha. Que impacto isso terá no nosso concelho?

 

Especulemos.

Segunda-feira, 29 de Junho de 2009

Já ninguém acredita em sondagens...

O Presidente Cavaco Silva, achou por bem, também, não confiar nas sondagens que tinha sobre  a preferência dos Portugueses em quererem as eleções no mesmo dia e vai daí, marcou as Legislativas para 27 de Setembro.

Domingo, 28 de Junho de 2009

Tudo pela nossa terra

Quinta-feira, 25 de Junho de 2009

A lista é imensa...

É um facto indesmentível que a estratégia do PSD, Porto de Mós, em relação aos Fóruns tem sido uma estratégia de conhecer os anseios das populações e daí tirar conclusões para um programa eleitoral que se pretende que seja ganhador no dia das eleições, mas que nos 4 anos seguintes seja colocado em prática por forma a sairmos do marasmo a que o executivo liderado por João Salgueiro nos teima em manter. Se alguém tem dúvidas basta consultar ESTA lista, imensa, de promessas não cumpridas de João Salgueiro. Caso para dizer que em termos de promessa ficou-se pelo cumprimento da primeira: Ida a Fátima. Os problemas do Concelho não se resolvem com promessas, resolvem-se com trabalho, e aí o PSD mostra que está muito à frente. Porto de Mós MERECE!!

Quarta-feira, 24 de Junho de 2009

Eleições no mesmo dia, Sim ou Não?

O debate sobre esta questão, no twitter e blogosfera, não pára. As opiniões são imensas e os argumentos são válidos de parte a parte, mas afinal o que é melhor para o País e para a Democracia?

Eu sinceramente acho que o melhor será as eleições ocorrerem no mesmo dia, podia ficar pelo argumento económico/financeiro e poupar 10 milhões de euros ( o custo de cada acto eleitoral), mas não vou ,só, por aí.

Pelo que tenho lido as duas eleições têm de ocorrer entre o dia 20 de Setembro e 11 de Outubro, um espaço de tempo insignificante e que na prática vai levar a que as campanhas se sobreponham, depois penso que dois actos eleitorais tão próximos fai fazer com que  a abstenção em uma delas,eleições, seja muito elevada, mais que o habitual: " ainda agora votei, vou ter que votar outra vez??!!!" , e por fim é minha opinião que os Portugueses já são democraticamente crescidos para saberem fazer a diferença entre uma coisa e outra.

Venham de lá esses argumentos prós e contra para animar a "festa".

Terça-feira, 23 de Junho de 2009

Será tema de Campanha em Porto de Mós?

Muito se tem falado na reforma Administrativa em Portugal no que diz respeito à redução e/ou re-organização de Freguesias não sendo, hoje em dia, em alguns casos, justificada  a sua existência, pelo número reduzido de habitantes,por exemplo, mas pouco ou nada se tem feito a não ser a elevação de mais umas quantas localidades a vila e outras a cidade como aconteceu há dias.

A regionalização de vez em quando surge no debate politico, mas tem sido tema tabu para os politicos.

Há muitos anos, em Porto de Mós, houve uma grande contestação quando se levantou a hipótese de criar uma úncia Feguesia na Vila de Porto de Mós em vez das existentes S.Pedro e S.João, será que hoje há a coragem de se falar novamente nesta possibilidade? Será que os partidos que vão concorrer às eleições Autárquicas irão ter a coragem de lançar para a campanha este assunto da reforma administrativa do Concelho, que passa também pelas outras freguesias, por exemplo as Freguesias Serranas, discutindo argumentos prós e contra por forma a percebermos o que pensam sobre o assunto?

Os programas eleitorais e as campanhas servem para esclarecer dúvidas e criar expectativas, aguardemos então para ver quem tem a "ousadia" de falar sobre este importante assunto.

Sexta-feira, 5 de Junho de 2009

Dia de reflexão

Amanhã é o dia de reflexão eleitoral.Na blogosfera questiona-se a utilidade do dia de reflexão e no twitter até se desafia o boicote a esse dia que nada significa segundo a maior parte dos internautas.Afinal para que serve o dia de reflexão quando mais de 60% das pessoas já decidiu que não vai votar e quem vai votar já sabe em quem vai dar, já que ainda não se pode vender,lol, o seu voto?

Para quê um dia de reflexão se a Campanha nada esclarece e em nada contribui para haver dúvidas?

E que tal antecipar a eleição em um dia e deixar a malta ir descansada para uma semana de férias?

 

(também editado no eleições 2009)

publicado por Pedro Oliveira às 16:32
endereço do post | comentar | favorito
|
Sábado, 25 de Abril de 2009

As TIC ao serviço da politica

Santana Lopes apresenta neste momento a sua candidatura a Lisboa ,AQUI.

Sexta-feira, 24 de Abril de 2009

"Habemus Candidata"

Segundo o Região de Leiria de hoje,pág.16, o PSD conta com a Drª Clarisse Louro para ganhar a Câmara de Porto de Mós.Que assim seja,é o nosso desejo.Muita sorte e bom trabalho para a Drª Clarisse Louro e sua equipa.

Segunda-feira, 20 de Abril de 2009

Pavilhão do Juncal #1

O Luis já referiu este assunto, mas vou aqui colocar regularmente fotos do "andamento" das obras do Pavilhão Gimnodesportivo do Juncal.

O pavilhão está em condições para ser utilizado. Se as eleições fossem na próxima semana o pavilhão estaria em condições para se fazer a festa.

Imagino que o Sr. Salgueiro aguarde a divulgação do candidato do PSD para tantar ofuscar o facto com esta a inauguração. Parece que já estou a ver a o Sr. Salgueiro a justificar-se dizendo que falta adquirir uma mesa e duas cadeiras. 

A política é feita por momentos que valem mais do que a satisfação das necessidades das populações. Os juncalenses que esperem, que têm jeito para isso.

Quanto tempo passará até ao dia da fita cortada?

 

Quarta-feira, 1 de Abril de 2009

A mentira que alguns Portomosenses gostariam que fosse verdade...

O que foi há semanas uma ideia de uma dúzia de cidadãos Portomosenses,autarcas,ex-autarcas,cidadãos comuns, hoje às 21:30 vai ser concretizado.Eu explico:

Não é novidade para ninguém que a "família" PSD não está unida em torno de um projecto/pessoa e que muitos cidadãos independentes não se revêem nesta Governação PS. Deste modo, e por forma a "matar estes 2 coelhos de uma só cajadada", um grupo de pessoas resolveu incentivar José Ferreira a candidatar-se a Presidente de Câmara de Porto de Mós.

No inicio,José Ferreira, levou o assunto na brincadeira, mas com o decorrer do tempo, foi sensivel aos argumentos destas pessoas e está seriamente a pensar sobre o assunto.

Com estes dados, hoje, este grupo, irá reunir-se para decidir formas de actuação, prática, para que esta pequena vaga se torne num Tsunami com reais hipóteses de vitória e levar José Ferreira a candidatar-se.

Quinta-feira, 8 de Janeiro de 2009

Quem sou eu para desconfiar dos Autarcas...

estou:
Quarta-feira, 7 de Janeiro de 2009

Em politica não há coincidências

Como tal, fica a mensagem do PR de ano novo e a entrevista do PM na SIC.Cheira-me  que vamos ter eleições antecipadas...

 

A postura de Sócrates perante as perguntas faz lembrar a reação de João Salgueiro(Presidente Câmara Porto de Mós), ás perguntas dos Deputados Municipais.Arrogância e vaidade do "eu", para dar e vender.O fim Politico destes senhores pode estar para breve, cabe à oposição fazer o seu trabalho.São,os dois, derrotaveis.

 

Quais foram os pecados capitais de Sócrates e de João Salgueiro, nas respectivas governações?

O que tem de fazer o PSD para, até as eleições , ter reais hipóteses de vencer a Nível Nacional e em Porto de Mós o PS?

 

Obrigado pelos vossos contributos.

 

 

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.connosco à mesa

Os nossos convidados

Dr. Miguel Horta e Costa

Eng. Cláudio de Jesus

Dr. Saúl António Gomes

Dra. Isabel Damasceno 

Prof. Júlio Pedrosa 

Cor. Valente dos Santos

 

Os nossos leitores

Ana Rita Sousa

Carlos Sintra

 

O nosso email

 

Siga-nos 

 

.podcast


Curvas do Livramento

oiça os nossos debates

Ed. Zero

Edição 1 - 04/Jun/009

Ed. 1.1 Europeias

Ed. 1.2 Autárquicas

Ed. 1.3 Casamentos Gay

Edição 2 - 30/Jun/009

com Clarisse Louro

Ed. 2.1 Pós Europeias

Ed. 2.2 Legislativas

Ed. 2.3 Autárquicas

Ed. 2.4 PMós 2º Clarisse Louro

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.Últimos Comentários

Special thanks to MrCosmos
The Feedburner expert

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.Quiosque

diários

semanários
  regionais
 
   

.Filme recomendado

 

 

Trailer

 

 

 

.Leitura em curso


A Revolução dos Cravos de Sangue

de Gerard de Villiers

Estamos em Portugal, no rescaldo do 25 de Abril, e Lisboa é um tabuleiro de xadrez onde CIA e KGB jogam uma partida mortal. Os serviços secretos americanos, desesperados por apenas terem sabido do golpe de Estado através dos jornais, esforçam-se para impedir que Portugal caia nas mãos do comunismo. Do outro lado, a KGB tem em mente um plano diabólico e põe em campo os seus melhores agentes. É então que um golpe de teatro promete desequilibrar esta guerra fria. Natália Grifanov, mulher de um poderoso coronel da KGB, está disposta a passar para o Ocidente e a relatar todos os segredos que sabe. Para organizar essa deserção a CIA escolhe o seu melhor agente: Malko Linge. Mas nem ele conseguirá levar a cabo esta missão sem evitar danos colaterais. E é então que, nas ruelas de Alfama e nos palácios da Lapa, entre traições e assassinatos, a Revolução dos Cravos mostra a sua outra face.

E, acredite, não é bonita!

Um thriller soberbo e original, passado no pós 25 de Abril de 1974.


Saida de Emergência

.Contador de visitas

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds