Terça-feira, 6 de Abril de 2010

Porto de Mós Merece!

Porque a opinião dos leitores também deve merecer discussão e debate:

 

 

 

 

 

 

 

(...)"Os bombeiros devem estar em local fora do centro urbano, não é preciso ser engenheiro ou arquitecto.
A várzea não é o penico é neste momento um aterro de desorganização urbanistico. Porque é que a Câmara comprou os terrrenos anexos ao campo da bola nas eiras da lagoa? porque é que não se potencializou os terrenos comprados ? Com a variante e montes de espaço na Ribeira de Cima, era lá que os bombeiros deviam ir, com espaço para o quartel, escola de bombeiros, protecção civil municipal, policia municipal, GNR, ou seja, criar um campus segurus".

 

Comentário de "Pragosa" neste post.

 

 

 

"Ontem fui às grutas de Mira de Aire, já lá não ia há uns anos e aproveitei a onda das 7 Maravilhas para voltar com a família , e o que vi, vi uma quintinha com animais, engraçada para a pequenada, revi as monumentais grutas e vi uma exposição de minerais e fosseis fantástica, e o que vi e NÃO gostei, uns acessos vergonhosos, estradas esburacadas e bermas sujas, um cobrador de bilhetes com um aspecto de alguém que saiu de um estabelecimento prisional, um guia sem farda e com uma dicção horrível em que debitava um sem número de informações sem qualquer rigor cientifico e piadolas de mau gosto, ao chegar à exposição de minerais encaminhou rapidamente as pessoas para o elevador não dando tempo para a apreciar convenientemente.
Ao sair do elevador passamos por salas com lixo e tinta a cair , chegamos a um miradouro com uma vista fantástica para a polje de Minde e para a Serra dos Candeeiros sem que haja qualquer placa a explicar, no caminho que nos leva de volta à recepção voltamos à estrada esburacada. às barracas a cair a vender uma parafernália de artigos sem qualquer critério e muita "banha da cobra", um parque de merendas sujo sem protecção contra a chuva e a contra o sol parcialmente destruída , está situado numa plataforma elevada tornando-se perigosa para miúdos
Ouvi então uma conversa que explica tudo, um grupo de jovens adultos estava a comentar que na zona de Fátima tinham visto uma placa a indicar Parque Natural e que iam voltar para trás porque queriam sentar-se debaixo de uma árvore dentro do Parque Natural, eu disse-lhe que eles estavam dentro do Parque Natural, o espanto foi grande, mas que no entanto iam voltar para trás à mesma porque não tinham visto nada na zona que os fizesse permanecer mais tempo.
Voltando às grutas o próprio slogan "As Maiores Grutas de Portugal" é redutor visto que as pessoas querem QUALIDADE e não quantidade, esse slogan só atrai aquele que acha que comer um grande bife é melhor do que comer um bom bife."
 
Comentário de Jorge Oliveira neste post.
 
 
 
"A Água da batalha neste momento tem custos inferiores aos actuais de Porto de Mós. E já tem pelo menos 50% dos aumentos referidos, ou seja 17%, uma vez que a noticia é de 2007 e estamos em 2010. Mas disseram-me que por causa da crise a água não tem sofrido os aumentos previstos.
Em 2011 a água da batalha com todos os aumentos estará com o preço identico ao que tem actualmente a água de Porto de Mós. Daqui a uma ano a água custa às pessoas de porto de mós pelo menos mais 15% nos escalões mais baixos e 90% nos mais altos, de fora fica ainda o aumento do saneamento e da recolha do lixo."
 
Comentário de Adelino Carreira neste post.
 
 
Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2010

Uma excelente iniciativa- "vamos adoptar o rio lena!"

Li no "Portomosense" sobre a iniciativa de adoptar um troço do rio Lena para lhe dar visibilidade e relevar a importância que tem, devia ter, na vida dos portomosenses; achei logo a iniciativa, da CINCUP, uma excelente ideia.

Via Facebook, mais uma excelente ferramenta de comunicação, recebi o link do BLOG que dá a conhecer tudo sobre esta causa e como a apresentação oficial é hoje, não podia deixar de dar destaque ao "Guarda-Rios".

 

A apresentação pública deste projecto,  realiza-se hoje, dia 25 de Fevereiro, pelas 17.30 horas na Ecoteca em Porto de Mós.

 

O rio Lena é nosso vamos dar-lhe os carinhos que merece.

 

fotos retiradas do blog "guarda-rios"

Sexta-feira, 12 de Fevereiro de 2010

E em Porto de Mós...?

O Carnaval na Marinha Grande começou, mais uma vez, com a festa para as crianças e seus familiares.

Quarta-feira, 13 de Janeiro de 2010

Quando tudo se resume a única Frase

Por motivos profissionaís e técnicos tenho estado privado da net e arranjei forma de ter possibilidade de vir ao mundo virtual 5 minutos e como anda uma frase a fazer "tilt" há dois dias na minha cabeça, pensei que a deveria partilhar convosco para que também discutissemos o que a frase traduz no dia a dia dos Portomosenses e no seu futuro:

 

"O problema do concelho e dos Portomosenses é que só vendem coisas uns aos outros"

Sexta-feira, 27 de Novembro de 2009

Desculpa esfarrapada

É normal ouvir dizer  que as pessoas não vão ao teatro, aos concertos, ao bailado,etc,etc...

Eu sou contra esta visão redutora de que o problema é sempre das pessoas, dos cidadãos, e costumo dizer o seguinte:

Tenham "cartazes" apelativos e de qualidade e vão ver se as pessoas vão ou não vão "comprar" o produto, independentemente da capacidade financeira de cada uma delas.

Ontem tive, mais uma vez ,a prova, isto é, ontem foi o corolário, pois a prova tive-a há 15 dias na compra dos bilhetes: já só há para o 2º balcão.

Afinal do que é que eu estou a falar? estou a falar do Ballet Clássico de Moscovo que anda pelo país fora  a apresentar o "Quebra Nozes",Teatro José Lúcio da Silva à pinha, cheio de famílias: avós, filhos e netos.

Foram 2 horas fantásticas, uma interpretação magnifica, um guarda roupa deslumbrante, o que dizer dos bailarinos principais...simplesmente maravilhosos.

Não contei os minutos, mas o meu João diz que foram 12 os minutos de aplausos no final.

Isto de criar hábitos é fácil, quem de direito que saiba organizar eventos de qualidade que o povo sabe bem o que quer, há  é quem pense que somos todos anormais, tolinhos, estúpidos e ignorantes.

Pensar diferente, lembram-se??!!!

 

 

Quarta-feira, 25 de Novembro de 2009

O sintético de Porto de Mós e a vaidade presidencial!

Nós, os Portomosenses em geral e quem segue o futebol/desporto concelhio em particular, TODOS, temos dificuldade em perceber para que serve  o sintético, os campos de ténis e mais uma espécie de parque desportivo, infantil, na zona da "Central" quando nas Eiras da Lagoa estão concentradas as actividades desportivas e de ocupação de tempos livres asseguradas pela ADP.

O que se calhar muitos não sabem é que para além dos problemas de homologação dos sintéticos, aquele espaço é um espaço de vaidades.

Não compreendo porque é que a vaidade faz com que  este campo tenha de ficar á beira da estrada  e o multiusos nas suas, sintético, "costas", porque é que a bancada,existente, que podia ser mais pequena, não tem cobertura e por exemplo os balneários têm de ficar tão longe do recinto de jogo, já para não falar da capacidade do esquentador/cilindro em que  os miúdos têm de esperar uns pelos outros para poderem ter água quente.

Aquela zona é uma imensidão de terreno mal aproveitado, que só se compreende, o seu mal aproveitamento, pela necessidade de elevar egos mal compensados e que teimam em colocar Porto de Mós nas terras da fachada em prol do bem das populações.

Aqui já nem falo nas imensas dificuldades logisticas que se colocam aos pais, atletas  e voluntários da ADP para que seja possivel,tentar, rentabilizar aqueles espaços.

Quando não se sabe  o mais proveitoso para todos é não fazer nada, estragar é muito mau, mas pelos vistos ninguém se queixa....

Só mais uma nota final, os sintéticos também necessitam de ser regados, pois assim podem  ter uma qualidade assegurada para a sua "esperança média de vida", dez anos, se isso não for salvaguardado... e o previsto....é daqui a pouquissimos anos conversarmos de novo, não é Luís Costa?

Sexta-feira, 20 de Novembro de 2009

Perguntas simples

  

 

O CIBA teve em média 137 pessoa/dia a visitar as suas instalações no seu primeiro ano. É um facto!

Destas 137 pessoas/dia quantas é que visitaram o restante concelho ou simplesmente se deslocaram à sede de Concelho para, por exemplo, visitarem o nosso castelo?

Existe estratégia  integrada, com proveito para o CIBA e restante concelho de Porto de Mós  para que o património histórico,cultural e religioso seja visitado por esta quase centena e meia de pessoas, diariamente, já para não falar da restauração e comércio?

Os horários (horas e dias abertura), do espaço jovem, museu e outros locais de potencial interesse de quem visita o Concelho de Porto de Mós, estão alinhados com os horários do CIBA?

 

Porto de Mós Merece !

 

Terça-feira, 27 de Outubro de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #19 – Produtores de Leite

Ainda sou do tempo em que todos ao dias a prima Alice, batia à porta dos meus pais pelas 8h00 da manhã, para deixar o leite do dia, bem fresquinho, que eu tinha de beber mesmo sem gostar.

 
Mais tarde, a prima deixou de passar, e muitas vezes calhava-me a mim ir buscar o leite à Celeste.
 
Depois apareceu o leite do dia, comprado na loja e a seguir de forma definitiva o Leite Pasteurizado.
Passaram vários anos e no Juncal, provavelmente, já não há produtores de leite.
 
Não só no Juncal, segundo o Região de Leiria, restam 30 produtores de leite em Porto de Mós e Batalha, há 10 anos eram 80!
 
Portugal perdeu 70 mil explorações em 12 anos. O problema está na falta de dimensão, nos preços subsidiados, nos custos de produção, nas quotas, no leite importado, etc, etc.
 
Acredito que este é um problema que não tem solução fácil e é toda uma forma de vida que está a desaparecer lentamente.
 

Lamento, apesar de continuar a não apreciar Leite.

estou:
Quinta-feira, 22 de Outubro de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #18 – Ensino Secundário

Saiu no passado fim de semana o Ranking SIC/Expresso do Ensino Secundário.

 
O ranking foi elaborado para escolas com mais de 100 provas realizadas é com uma enorme alegria que vejo a Escola Secundária de Porto de Mós, aparecer no 40º lugar, em 495 escolas. Se excluirmos as escolas de ensino privado, Porto de Mós regista um surpreendente 14º lugar e é 3ª melhor Escola do Distrito de Leiria.
 
Outro aspecto altamente positivo é o facto de ter evoluído de um 107º lugar em 2008, para o 40º lugar em 2009.
 
Em Porto de Mós, realizaram-se 210 exames e a média global foi de 12,08 valores, que analisado em valor absoluto, dá uma ideia bastante má do ensino a nível nacional.
 
O Instituto Educativo do Juncal regista um honroso 73º lugar, 6º melhor do distrito, melhorou 5 posições face a 2008 e a média global foi de 11,55 valores.
 

Parabéns aos alunos e aos professores do Concelho que contribuíram para esta avaliação.

estou: nos melhores
Segunda-feira, 14 de Setembro de 2009

Porto de Mós sustentável

Após  ter escrito o que gostaria de ter no Concelho de Porto de Mós nestas áreas,  penso que Porto de Mós poderia ser uma referência na área da gestão dos recursos naturais: É possivel termos um Porto de Mós eólico, com mais parques eólicos, mas também com capacidade de captar investimento na área de desenvolvimento e construção de tecnologia, nos seus parques tecnlógicos que eu gostaria de ver.

Poderíamos ter um Porto de Mós solar, estando no top dos concelhos que conseguem captar industrias de ponta na concepção e desenvolvimento através de parcerias com empresas do distrito que estão a apostar nessa área e no estudo de parques solares no nosso concelho.

Deixando fugir a capital da calçada para Santarém urge organizar o sector no concelho através de uma estratégia que dê notoriedade a este produto natural que é também nosso, a criação de eventos ligados à pedra podem e devem ser estimulados.

Tenho  como certo que Porto de Mós, poderia "dar cartas", na questão da reciclagem e aproveitamento de residuos, falo na recolha porta a porta dos tradicionais residuos em vez dos contentores que não podem estar em todo o lado e na recolha de óleos para uma possivel unidade industrial a criar no concelho para biocombustiveis.Não é novidade nenhuma. Não menos importante é ter uma estratégia e objectivos bem claros na gestão da água, é um bem cada vez mais escasso e que deve estar no centro das preocupações de quem gere o Municipio.Porto de Mós "Lavoisier", o Concelho onde nada se perde tudo se transforma!

Outro dos sectores que mais me preocupa e me deixa o coração desgostoso é ver, por exemplo, o vale do Lena e a região do Juncal com as suas terras ao abandono, era fundamental criar mecanismos de incentivo para que as terras fossem novamente cultivadas, será a questão mais dificil de resolver, mas é um crime ter terras tão ferteis e que pouco ou nada se tire desses terrenos. Uma aposta na agricultura biológica poderia ser o caminho.É imperativo uma discussão pública sobre este assunto para encontrar caminhos:O Porto de Mós biológico.

Outra das áreas a trabalhar era a questão dos transportes públicos que aqui falei e também já foi falado no Vila Forte pela Antonieta Mariano, tem de se repensar a mobilidade das pessoas no concelho, por forma a minimizar transtornos e que principalmente as pessoas de mais idade possam fazer a sua vida sem esta limitação:O Porto de Mós da mobilidade sustentável .

Tudo isto articulado com o turismo rural, de aventura, histórico, de ciência e demais sonhos meus, plenamente concretizaveis, poderia fazer de Porto de Mós "O concelho" referência a nível nacional em termos de qualidade de vida.

Que assim seja!É o meu sincero desejo.

Segunda-feira, 7 de Setembro de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #17 – Pavilhão do Juncal

Hoje, vários anos depois, o Pavilhão do Juncal foi inaugurado.

Serviu para duas campanhas eleitorais. Foi projectado pelo Dr. José Ferreira e inaugurado pelo actual Presidente da Câmara, João Salgueiro.
O Pavilhão estava pronto há vários meses, mas só hoje foi inaugurado, certamente, devido ao aproximar do novo ano lectivo.
Hoje a missa dominical foi no pavilhão e não na igreja. Na primeira fila só estava gente notável, do lado direito o PS, do lado esquerdo o PSD, no meio uma cadeira vazia.
Do programa constava, 12h00 Missa, 13h00 Inauguração. Na realidade a inauguração foi às 12h00 e a Missa às 13h00.
Quem queria ir só à inauguração foi fintado, chegou à hora da missa. Foi o meu caso. A justificação oficial para a alteração? O aniversário do Sr. Governador Civil.
Como é que o Pavilhão vai funcionar? Pois, temos que ver isso. Vamos fazer um protocolo com o clube. Ainda bem.
A presença de algumas pessoas foi incómoda para outras, mas o ano lectivo aproxima-se e é muito importante.
A mim no meio dos corredores até me mandaram ganhar juízo. Já tenho idade para isso. Para ter juizinho até!

Para muitos, hoje o Juncal já tem um elefante branco. Para outro(s) a primeira obra depois de 30 anos.

estou:
Terça-feira, 1 de Setembro de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #16 – Parque Escolar

 

O Ministério da Educação lançou o Programa de Modernização das Escolas do Secundário. Na primeira fase, serão 75 escolas, na segunda mais 100 escolas secundárias.
 
O Programa tem 3 objectivos fundamentais: i) recuperar e modernizar edifícios; ii) Abrir a escola à comunidade; iii) Criar um sistema eficiente e eficaz de gestão dos edifícios. 
 
As escolas Domingos Sequeira e Rodrigues Lobo ambas de Leiria, e outras seis de Pombal, Ourém, Marinha Grande, Alcobaça, Bombarral e Caldas da Rainha, na primeira fase e ainda Batalha, Ansião e a Afonso Lopes Vieira (Leiria), na segunda fase, fazem parte do programa. Ainda bem!
 
A Modernização destas infra-estruturas serão significativas, pena é que nenhuma das escolas secundárias do nosso concelho não tenha sido abrangida!
estou:
publicado por Luis Malho às 00:01

editado por Jorge Vala às 00:45
endereço do post | comentar | É aqui que se vêem os comentários (6) | favorito
|
Domingo, 30 de Agosto de 2009

A campanha está no ar - #2

Para além do lixo nas bermas, a forma como reagimos positivamente ou não ás inverdades das campanhas eleitorais, de quem vai a votos, também é um bom "barómetro" da maturidade civica e democrática de um povo. Já aqui repudiámos a vandalização de um cartaz de João Salgueiro, pelo que soube,hoje, mais um foi vandalizado na Ribeira de Baixo.

 

Em vez desta mostra  de um comportamento menos civico perante uma campanha feita de pouca seriedade politica, que tal serem colocados uns cartazes ao lado com o seguinte teor: Sr. Salgueiro, não cumpriu porque não fez isto, isto e ainda mais isto.Não cumpriu porque nem sequer fez nada. Não cumpriu porque não prometeu nada para esta terra. Ou então um simples: Se cumpriu dê a vez a outros que façam melhor porque o que cumpriu é insuficiente para nós!

Quarta-feira, 26 de Agosto de 2009

E em Porto de Mós, quando abre?

O famoso Hotel que era para ser inaugurado em 2004 em Porto de Mós, parece que nunca mais abre... Esta questão do alojamento ou falta dele é como a "pescadinha com o rabo na boca", não há turistas porque não há alojamento, não há alojamento porque não há turistas.

Pelos vistos os nossos vizinhos cumprem e não precisam de o dizer só nos cartazes, a obra existe mesmo: Hotel Villa Batalha deverá abrir em Setembro

 

Segunda-feira, 24 de Agosto de 2009

Qualidade de vida

Afinal o que é uma terra com qualidade de vida?

Uma pergunta de dificil  resposta, digo eu.Há umas semanas soubemos que Porto de Mós tem pior qualidade de vida que há 4 anos, chegando mesmo a ser um dos concelhos onde ela, a qualidade de vida, desceu mais no distrito de Leiria.Numa pequena amostragem efectuada pelo jornal "O Portomosense", lemos que afinal Porto de Mós, para essas pessoas, até tem boa qualidade de vida. Afinal o que é isso de qualidade de vida?

Uns dirão que é ter um emprego, que não haja assaltos, que as estradas não tenham buracos e que a água não falte no verão,respeito mas penso que é pouco muito pouco.

Para outros isso não é qualidade vida, isso será o minimo que cada cidadão deve exigir, e a qualidade de vida que nos diferencie dos demais vizinhos, será ter um parque escolar moderno e que contribua para a valorização humana, ter um sistema de saúde eficaz, que não seja preciso mendigar consultas e ter centros de saúde com os recursos humanos e materiais para que não seja necessário ir, por exemplo, para a capital de distrito, ter saneamento básico em 100% do concelho, será ter condições, infraestruturas, capazes e suficientes em todo o concelho para que os cidadãos possam fazer desporto e culturalmente terem opções variadas conforme gostos e aptências, é ter possibilidade de assistir a espectáculos de valor reconhecido e por exemplo ter salas para exposições e espaços muselógicos do séc.XXI, é ter uma rede social eficaz na deteção de problemas e ser célere na sua resolução, é ter espaços verdes,muitos, que permitam estar com a família a fazer um pic-nic, jogar á bola, andar de bicicleta, ou simplesmente estar a ler um livro ao sabor do vento e do chilrear dos pássaros.Ou seja, há quem tenha uma concepção de qualidade de vida que eleva a condição humana aos níveis que devem ser e que não se limitam aos arranjos florais, pão e sopa na mesa. Porto de Mós MERECE mais e nem é preciso sermos melhores que os outros, basta sermos referência por sabermos o que queremos dos Portomosenses.Há quem prefira ser só mais um concelho de Leiria, eu quero que Porto de Mós seja O concelho do distrito de Leiria. E os candidatos, que visão têm sobre qualidade de vida?

Quinta-feira, 20 de Agosto de 2009

Um dia triste na democracia Portomosense

O vila forte caminha para o seu terceiro aniversário, amado por uns odiado por outros.É da vida!

Sabemos que há gente que faz questão de não nos ler, outros que nos lêem via impressão que alguém faz chegar à sua secretária. Somos lidos por muitos que o dizem abertamente e que fazem questão de nos comentar. Uns comentam com nome próprio, outros com nick name por opção virtual e sabemos quem são pois o assumem, outros não, mas isso pouco importa, outros ainda por opção forçada, com medo. Medo de o chefe no trabalho saber, medo que o chefe do partido saiba, medo que seja criticado à mesa do café pelos seus amigos, simplesmente por medo.....

Há quem decida em grupo não comentar no blog, mesmo que, aparentemente, sejam mais os pontos que nos unam que nos dividem.Há alguns ainda que ao longo destes três anos deram o nome e a cara, pela amizade que têm por nós, editores, e por amor pela nossa terra.Hoje houve um deles, um dos que nos comenta desde o primeiro dia,  foi proibido de comentar no Vila Forte, por respeito e amizade que lhe tenho, não irei revelar quem é, mas decidi fazer este post, como forma de indignação e revolta, eu sei quem foi o autor da proibição e daí ainda a minha maior tristeza.Em Porto de Mós, há censura e perseguição politica!!

Quarta-feira, 12 de Agosto de 2009

Porto de Mós merece!

Para além do que escrevi AQUI, também gostaria de ver entre as grutas de Santo António e Mira d´Aire uma coisa destas a fazer a ligação entre elas, gostaria de ver as grutas com este aspecto e com as mais valias como as que estas têm, gostaria de ver na Mendiga ou Arrimal um parque temático como este, gostaria de ter um parque verde em Porto de Mós como este, adorava ter um museu muncipal como este, era bom que o Juncal tivesse uma escola de artes como esta , o Alqueidão não ficaria mal com o primeiro centro educativo do concelho como existem por estes lados.

Aceitam-se outras ideias para estas ou outras freguesias.

Porto de Mós MERECE!

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #15 – Museu Municipal

 

Museu é uma instituição de carácter permanente, administrado para interesse geral, com a finalidade de recolher, conservar, pesquisar e valorizar de diversas maneiras um conjunto de elementos de valor.
Esta é a definição de Museu, segundo a Wikipedia.
 
Vem isto a propósito do reconhecimento público do Sr. Presidente da Câmara, do estado actual do Museu Municipal, segundo o Jornal de Leiria “não reúne as condições mínimas” e ainda “o que temos ali não passa de um armazém”.O problema será resolvido brevemente, com um investimento em instalações de 2,5 milhões de euros, teremos um novo Museu, financiamento garantido pelos infindáveis fundos comunitários.
 
Sim, são 2,5 milhões de euros para recuperar o Museu Municipal, pelo menos para instalações, porque a finalidade de um museu é muito mais do que ter instalações, mas sobre isso, provavelmente, nada está planeado.
 

Recordo-me do Sr. Presidente referir numa das últimas Assembleias Municipais, a propósito do Museu ter estado fechado um ou outro dia, que também não era muito importante, pois normalmente o Museu tem 2 ou 3 visitantes por semana!

estou:
Segunda-feira, 3 de Agosto de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #14 – Índice de Qualidade de Vida

 O que é que os Concelhos de Pedrogão Grande, Óbidos, Alcobaça e Ansião, tem em comum?

Foram os únicos, do Distrito de Leiria, que subiram no ranking da qualidade de vida, segundo um estudo da Universidade da Beira Interior, entre 2007 e 2009.
 
Em todos os outros, a qualidade de vida piorou, mas houve concelhos em que a queda no ranking foi mais significativa.
Destacam-se pela negativa, Alvaiázere e Castanheira de Pera, concelhos do interior que caíram 29 lugares no ranking e logo a seguir Pombal (-27 posições) e infelizmente Porto de Mós (-25 posições).
Porto de Mós foi assim, o 4º concelho do Distrito, com a maior descida, passando de 100º em 2007, para 125º em 2009.
 
Estes estudos são sempre discutíveis, as classificações, dependem dos critérios utilizados, mas são efectuados por instituições independentes, que merecem toda a credibilidade.
 
A descida do nosso Concelho, de 25 lugares no ranking, é preocupante mas infelizmente não é surpreendente.
 
O Índice de Qualidade de Vida é de 117 pontos em Lisboa no primeiro lugar e de 64 pontos em Porto de Mós, ou seja, pouco mais de metade.
 

Todo o Estudo aqui.

estou: a descer
Quarta-feira, 22 de Julho de 2009

Vou de férias!Até quando eu não sei...

Vou de Férias e como estamos em época pré eleitoral deixo alguns dos meus textos que me marcaram em relação ao que penso sobre Porto de Mós e suas ,REAIS, potencialidades. Falei da importância da Banda Recreativa , escrevi sobre o que poderia ser uma aposta cultural no Concelho , dei a minha visão sobre a escola profissional , olhei para um parque tecnológico e não para um parque industrial , perguntei por uma estratégia para o concelho, falei sobre factores de competitividade: certificação qualidade, valorização recursos humanos , falei sobre formas de turismo , de  outros exemplos, lancei a ideia de uma Universidade em Porto de Mós , e entre muitos mais textos que escrevi sobre Porto de Mós (basta pesquisar por temas em : http://vilaforte.blog.com e http://vilaforte.blogs.sapo.pt ), realço o que escrevi sobre LIDERANÇA , factor critico de sucesso em qualquer organização.

 

Por fim deixo uma sugestão de leitura aos candidatos a Presidente de Câmara e Juntas de Freguesia de Porto de Mós, e que revejam as palestras dos Professores António Câmara e Júlio Pedrosa, organizadas pelo Vila Forte. Quem  conseguir entender a mensagem e levar à prática as  sugestões, estará mais próximo de melhorar a qualidade de vida dos Portomosenses, o que não tem acontecido até agora.

 

Boas Férias, até qualquer dia , por aí....

Sábado, 18 de Julho de 2009

Eu não me sinto nada "orgulhado"!

O nosso Presidente de Câmara que se sente,sempre, muito "orgulhado" com o que faz e fez no seu mandato, devia saber justificar porque é que Porto de Mós é um dos concelhos que mais desceu no indice de qualidade de vida dos seus munícipes, no Distrito de Leiria:

 

Castanheira de Pera, Porto de Mós e Alvaiázere foram os concelhos que mais desceram na tabela, onde a capital de Leiria, a cidade do Lis, desceu quatro posições em relação ao estudo anterior.

Quarta-feira, 13 de Maio de 2009

Fóssil de leopardo com 2 milhões de anos em exposição

Um fóssil de leopardo com dois milhões de anos foi descoberto no Algar da Manga Larga, no Planalto de Santo António, em Porto de Mós, e vai ser entregue no próximo dia 21 de Maio ao Museu Geológico.
Quarta-feira, 6 de Maio de 2009

Uma Sugestão ao Sr. Presidente João Salgueiro

Na Revista "Única", do Expresso, de há duas semanas, gostei de ler que os Presidentes de Câmara de Lisboa e Porto aceitaram o desafio de acompanhar invisuais pelas respectivas cidades e assim se aperceberem das dificuldades que passam esses seus municipes,nos seus percursos mais habituais e edificios públicos.

Quer António Costa quer Rui Rio, afirmaram  ter aprendido muito com esta experiência e apartir daquele momento iriam olhar esta questão, da mobilidade e acessibilidades para os deficientes, de uma forma completamente diferente do que tinha acontecido até este desafio.

A minha sugestão é simples:Desafiar o Presidente João Salgueiro a fazer o mesmo em Porto de Mós, estará disposto?

 

Como o Presidente de Câmara não lê blogs, peço que alguém o informe desta minha sugestão.Obrigado.

 

Terça-feira, 28 de Abril de 2009

Perfil de um Presidente de Câmara

No delito de opinião está descrito o perfil tipo de um(a) Presidente de Câmara, são 13 tópicos que "traçam" as caracteristicas do líder de um Municipio.O exercicio que vos deixo é simples: ver se a há diferenças entre as caracteristicas no actual Presidente de Câmara de Porto de Mós e o perfil tipo aqui traçado  e se este perfil é o melhor para o nosso concelho:

 

1. É um(a) homem (mulher) com experiência política prévia nos respectivos partidos, com experiência de vida, capaz de galvanizar a opinião pública local através de projectos e de ideias que traduzam realizações possíveis e/ ou necessárias, com idade compreendida entre os 45 e os 55 anos. Vive maioritariamente do salário que aufere, mas detém competências e capacidades para exercer outra profissão. Gosta da evidência pública e, muitas vezes, exagera na importância que a si próprio(a) confere.
 
2. Não tem, normalmente, experiência de gestão – situação que prefere esconder – e revela carências no domínio do planeamento estratégico.
......
Terça-feira, 14 de Abril de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #13 – Energia ou falta dela

Enquadramento:

Há já vários anos que a Vila de Mira de Aire fica às escuras cada vez que chove ou faz vento!
Basta! Pois todos nós sofremos com a situação, e as despesas começas a ser mais que muitas; porque nesta situação a luz vai e vem...
...Os picos de entrada de electricidade são elevados, destruindo os nossos electrodomésticos
!
Petição:
Exmo Senhor Presidente da Câmara Municipal de Porto de Mós

Solicitamos a V. Exª o vosso maior empenhamento na resolução deste gravíssimo problema, procurando junto do Poder Central como resolver o problema da electricidade em Mira Aire; pois é vergonhoso que os anos passem e que a cada trovoada ou ventania a Vila fique completamente às escuras.
 
Esta petição está a correr na net, e apela à resolução de um grave problema, que não é só da Mira de Aire, mas de quase todo o Concelho de Porto de Mós.
 
Segundo o Região de Leiria, citando o Sr. Presidente da Câmara a EDP promete solução para Maio.
 
Esperemos que não seja durante a estação seca!!
 
estou: às escuras
Terça-feira, 7 de Abril de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #11 – Obras Terminadas à espera de inauguração

A Inauguração de Obras junto das eleições, no final de um mandato, não tem mal nenhum e o povo, quando fazem alcatroamentos de última hora, junto das eleições, até costuma dizer com sabedoria, que o problema é não haver eleições todos os anos.

 
É natural que as grandes Obras, sejam projectadas na parte inicial de um mandato e que, entre concursos, execuções, trabalhos a mais, alterações e muita falta de planeamento, sejam inauguradas na parte final do mandato.
 
As inaugurações próximas das eleições, apesar da oposição não gostar e dizer que é puro eleitoralismo, são legitimas e quem presta contas aproveita sempre, para com essas inaugurações, voltar a ser eleito. São as regras do jogo e todos o fazem.
 
Muito mais difícil de perceber são noticias, como a que vem esta semana na Região de Leiria, sobre o Mini Campo Sintético das Pedreiras que está terminado há meses e que ainda não foi inaugurado, logo não pode ser utilizado. Porquê? Faltam uns pequenos arranjos exteriores que as condições climatéricas impediram de terminar.
 
Também o Pavilhão do Juncal está terminado há meses, mas curiosamente, também faltam uns pequenos arranjos finais que têm impedido a sua inauguração e utilização.
 

O que vale é que já não falta muito para as eleições e entretanto estas e outras obras serão inauguradas, com toda a pompa e circunstância!

estou: à espera
Quinta-feira, 2 de Abril de 2009

Façam chegar esta sugestão ao Sr. Presidente ,se faz favor

 

Uma sugestão ao Sr. Presidente da Câmara de Porto de Mós.
Li no Expresso, revista Única, que os Presidentes de Câmara de Lisboa e Porto aceitaram um desafio interessante: percorrerem com invisuais determinados percursos nas respectivas cidades para assim se aperceberem dos obstáculos a que estes cidadãos estão sujeitos todos os dias. Ambos os Presidentes acharam a experiência enriquecedora do ponto de vista da percepção das dificuldades.
Adaptando esta ideia, a Porto de Mós, sugeria que o Sr Presidente da Câmara de Porto de Mós, realizasse um encontro deste género, com pessoas com limitações motoras e visuais, para que desta forma pudesse  resolver os  constrangimentos que existem quer no acesso aos edifícios públicos quer nos próprios edifícios. Era um excelente exemplo de cidadania que dava. Está disposto a isso?
publicado por Pedro Oliveira às 10:34
endereço do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 1 de Abril de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #10 – Eficiência Energética

 

aqui falámos da eficiência energética e de uma iniciativa da Associação de Municípios, que está a promover uma auditoria à eficiência energética dos edifícios municipais.
 
O Jornal Região de Leiria em colaboração com o Município de Porto de Mós vai promover uma conferência em Porto de Mós, no Cine-Teatro, sobre “Bons Exemplos de Eficiência Energética”, com entrada gratuita.
 
O mote é “Racionalizar o consumo, poupar dinheiro, proteger o ambiente”, os convidados são diversos profissionais da área, todo bons motivos para estar presente.
 
Uma boa iniciativa, na sequência de outras que o Região de Leiria, tem desenvolvido em Porto de Mós.
 

Saiba mais sobre a Conferência aqui.

estou: Contente
publicado por Luis Malho às 00:01
endereço do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 25 de Março de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #10 – Segurança

 

A Segurança é um tema sempre actual, que em tempo de crise ganha importância. O nível de criminalidade tem aumentado em Portugal. Recentemente, um presidente de Câmara Socialista, aflito com a difícil reeleição, por manifesta incompetência para o carga, afrontou o Sr. Ministro da Administração Interna, também socialista a propósito da falta de segurança da sua terra.
 
Em Porto de Mós, como no pais, o índice de criminalidade tem aumentado. Os motivos, segundo o porta voz do Destacamento Territorial da GNR de Leiria, “tem um contexto muito particular, ligado à migração de pessoas e ao facto de haver mercado para mão-de-obra não qualificada, o que permite que determinadas pessoas se fixem …”, podendo ser um dos motivos da referida criminalidade.
 
Esta declaração de uma insuspeita autoridade, no último Portomosense, provavelmente passou despercebida, mas encerra de uma forma muito simples, uma caracterização do nosso concelho, que nos deve deixar a todos muito desiludidos, não por ser uma surpresa, para quem conhece o Concelho, mas por ser a visão de fora. Esta é a percepção, uma parte da realidade, do nosso concelho.
 
Para resolver esta questão de fundo, é necessário que os responsáveis do concelho percebam esta realidade e consigam perceber qual a solução. Mas, não basta ter muitas empresas, ter muitos empregos, vai ser necessário captar empresas e pessoas qualificadas, será possível?
 
Quanto à questão da segurança, o Presidente daquela Câmara, foi hoje objecto de uma moção de censura, que foi aprovada, por incapacidade de definir uma estratégia de segurança para o concelho.
 
Também o Conselho Municipal de Segurança foi convocado com carácter de urgência. Em Porto de Mós, existe este Conselho, mas raramente reúne.
estou: inseguro
Terça-feira, 17 de Março de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #9 – Potencial Turístico

 

O Presidente da Região de Turismo Leiria – Fátima, visitou ontem o concelho de Porto de Mós.
 
Do programa constava a visita a diversos locais que fazem parte do nosso património, juntar num único concelho, o Castelo de Porto de Mós, as Grutas de Mira de Aire, a Pousada de Juventude de Alvados e o Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota, não é para todos!
 
Só no nosso Concelho é possível ter tão próximo uma oferta tão diversificada, em termos turísticos. A estes locais podemos acrescentar muitos outros.
 
Só falta mesmo, é potenciar todo este Património, de forma a aumentar significativamente, o número de visitantes ao nosso Concelho.
 
Espero que esta visita contribua para isso!   
estou: Viajante
Quinta-feira, 12 de Março de 2009

Mais uma ideia maluca, ou talvez não...

                                      

 

 

Todas as iniciativas para potenciar o que é nosso devem ser valorizadas e encorajadas, em tempos dificeis, todas as possibilidades devem ser equacionadas.

O nosso concelho pelo seu património histórico, cultural e natural, pode e deve, sem dúvida, captar novos residentes e/ou turistas, para tal é necessário uma boa promoção, direccionado ao público alvo, e ter condições para as pessoas permanecerem alguns dias e/ou definitivamente na nossa terra.

Esta semana vi na comunicação social que o Estado do Ceará(Brasil), chegou a acordo com a TVI para que houvesse uma promoção das suas praias junto dos Portugueses e de preferência junto dos mais novos.Esse projecto é concretizado com a série ,Juvenil, Morangos com Acúcar, que é transmitida para vários países.Neste momento já decorrem as gravações que vão passar nas Férias da Páscoa.

E se Porto de Mós fizesse o mesmo em relação ao seu potencial no Turismo de Natureza e Aventura?

 

Ver mais AQUI!

Terça-feira, 10 de Março de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #9 - POPH

Qualificar é crescer!

 
Este é o título da mensagem do Gestor do Programa POPH, Rui Folhais. O Programa Operacional Potencial Humano (POPH), é um dos programa do famoso QREN, é o programa que absorve 37% do QREN, ou 8,8 mil milhões de euros.
 
O objectivo é contribuir para superar o défice de qualificação da população portuguesa, visa apoiar a promoção do conhecimento científico e da inovação como motores de transformação do nosso modelo produtivo. Por outro lado, procura estimular a criação e a qualidade do emprego, apoiando os empreendedores e a transição dos jovens para a vida activa. Espera-se até 2010 apoiar 1 milhão de activos.
 
As candidaturas apresentadas e aprovadas em 2008, que serão implementadas durante o ano 2009, foram de mais de 5 mil acções que ascendem a um montante global de 2,5 mil milhões de euros!
 
Também os Municípios podem candidatar-se e na lista das acções aprovadas existem cerca de 320 que serão implementadas por diversos municípios, por exemplo:
 
Município de Leiria (397,7M€); Peniche (339,0M€); Marinha Grande (42,6M€); Nazaré (34,8M€); Alcobaça (46,2M€); Ansião (89,9M€); Castanheira de Pêra (56,9M€), etc…
 

Também, neste programa, Porto de Mós lamentavelmente não aparece, apesar de muita gente do Concelho entender que o QREN é a nossa última oportunidade …

estou: excluido
Terça-feira, 3 de Março de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #8 – Internet.

O estudo elaborado pela Universidade do Minho (GAVEA), sobre a presença das Câmara Municipais na Internet em 2007, revela 4 níveis de avaliação.

 
O Nível 4 – Sites que incluem a transacções de serviços, pagamentos on-line e acompanhamento processual. Apenas dois municípios foram classificados neste nível (Pombal e Maia)
 
O Nível 3 – Sites que permitem a comunicação nos dois sentidos (down-load e up-load), ou seja, a possibilidade de interagir nos dois sentidos, para retirar informação e também para enviar informação. Neste nível foram incluídas 78 Câmaras, com destaque para Peniche, que obteve a 3º posição.
 
O Nível 2 – Sites que disponibilizam simples down-load de formulários, onde foram incluídas 198 Câmaras. A Câmara de Leiria obteve a 5ª posição.
 
O Nível 1 – A existência de Site municipal. Avalia o tipo de informação disponibilizada e a facilidade de navegação no site. Foram incluídas 287 Câmaras, neste nível. A Câmara de Porto de Mós ocupa a 131ª posição.
 
Quando me recordo, que em 1995, trabalhava numa empresa de Lisboa, em regime de teletrabalho, e que a maior parte do tempo estava em casa (Porto de Mós) “ligado” e em contacto com os meus colegas ou que fiz uma viagem ao oriente em 1999, tendo reservado o Hotel na net, ou analiso o que hoje é possível fazer através da net (bancos, finanças, acesso remoto às empresas, etc….), tenho que concluir que o trabalho nesta área está praticamente todo por fazer, nos municípios portugueses.
 

Para terminar recordar que Porto de Mós na classificação geral do estudo ficou em 226ª, ou seja, no último terço da tabela. Se os municípios têm um longo caminho a percorrer, para Porto de Mós, é necessário ainda perceber a importância da Internet.  

estou: Info-Excluído
Quinta-feira, 26 de Fevereiro de 2009

A solução!

Todos sabemos que o acesso à net em muitos locais do  Concelho de Porto de Mós não existe ou é de fraca qualidade, pode ser que a solução seja ESTA!

Terça-feira, 24 de Fevereiro de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #7 – Combate à Crise.

Muitas autarquias estão a propor medidas para combater a crise.

 
O que pode fazer uma autarquia para ajudar os seus munícipes? num momento de crise global, como é o caso. A resposta não é difícil.
 
Apoiar as famílias mais desfavorecidas e os desempregados, por exemplo, através do fornecimento de refeições gratuitas às crianças das famílias desfavorecidas, do apoio na comparticipação de receitas médicas aos idosos, do pagamento de livros escolares, da criação de gabinetes de apoio a desempregados, da criação de gabinetes de apoio à Família, do reforço do apoio a instituições de solidariedade social, etc…
 
O Apoio às empresas, também é possível, a criação do “Gestor do Processo” uma Via Verde do Empresário, para desburocratizar processos pendentes nas autarquias, a redução do prazo de pagamentos a fornecedores, a adesão e promoção do Programa Finicia, são exemplo disso.
 
A grande maioria das autarquias, actualmente, concentra-se a propor este tipo de medidas especificas de apoio aos seus munícipes.
 
Na última Assembleia Municipal, essa preocupação foi transversal aos vários partidos representados, todos eles questionaram o executivo sobre quais as medidas concretas que estão a ser tomadas em Porto de Mós.
 

Ficámos a saber que Porto de Mós, está na linha da frente ao combate à crise, apesar de ter rejeitado uma proposta concreta dos vereadores do PSD, de rejeitar o abaixamento das tarifas da água e de considerar que o grande defeito é não publicitar o apoio concedido.

 

É caso para estarmos descansados!

estou: Com muitas dúvidas
Terça-feira, 17 de Fevereiro de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #6 – Eficiência Energética.

Este ano celebra-se o Ano Internacional do Planeta Terra, sendo as alterações climáticas da responsabilidade humana, um dos temas que estão sob a análise. A produção de CO2 é o gás que mais contribui para o aquecimento global do planeta, através do consumo de combustíveis fósseis.

 
Sendo os edifícios, em Portugal, responsáveis pelo consumo de 20% da energia total, é necessário melhorar a eficiência energética.
 
Os desafios que se colocam ao País, obrigam também os Municípios a implementarem  acções destinadas a responder a desafios como a diminuição da intensidade energética do PIB, redução da dependência energética do exterior, redução das emissões de gases com efeito de estufa.
 
A Associação Nacional de Municípios Portugueses através de um protocolo assinado recentemente com a EDP, vai promover uma campanha nacional de auditorias energéticas aos edifícios municipais, visando numa primeira fase, os 308 edifícios Paços de Concelho.
 
Aguardamos pelos resultados, mas devemos ser proactivos e apostar já nesta área tornando todos os edifícios municipais eficientes do ponto de vista energético.
estou: A poupar
Quarta-feira, 11 de Fevereiro de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #5 – Casamento

O Casamento é um vínculo estabelecido entre duas pessoas, mediante reconhecimento governamental, religioso ou social e que pressupõe uma relação interpessoal de intimidade, cuja representação arquetípica são as relações sexuais.

 

Na maior parte das sociedades, só é reconhecido o casamento entre um homem e uma mulher.

 

Segundo a Wikipedia, em alguns países é também institucionalmente reconhecido o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo. (Em Novembro de 2008, a Holanda, a África do Sul, o Canadá, a Noruega, a Bélgica e a Espanha) acrescento eu praticamente todos os países do mundo.

 

Estou de acordo, que pessoas que vivam maritalmente, do mesmo sexo ou não, mesmo que não sejam casadas, tenham todos os benefícios que um Estado laico, atribui aos casais.

 

Mais do que isso a mim faz-me uma grande confusão, ou melhor, sou contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo, penso mesmo que o casamento é um acto de pessoas conservadoras, nada moderno e não percebo como é que as forças políticas de vanguarda o defendem.

 

 

Mas que este é mais um tema, que vai resolver a gravíssima crise que vivemos, não tenho a menor dúvida nem eu nem o nosso Primeiro Ministro.

estou: Enganado
Terça-feira, 3 de Fevereiro de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #4 – Marca / Branding

A utilização de uma Marca tem como objectivo comunicar / divulgar / vender um produto, um serviço, um pais, uma região e até uma terra.

 
As qualidades desse “produto” devem garantir que pelas suas características, se distingue dos seus concorrentes. O objectivo é que o consumidor associe ao produto, uma imagem mental distinta de qualidade, através de uma marca. A avaliação dessa marca é efectuada pelo consumidor, através de um valor mais psicológico e subjectivo, ou seja, através de percepções.
 
Branding, é o trabalho de construção e de gestão de um marca junto do mercado, onde se pretende actuar. Cria-se uma imagem que seja reconhecida no mercado, de forma a que o produto rotulado por aquela marca, transmita confiança ao consumidor.
 
Um exemplo, próximo da utilização destas técnicas a um município é sem dúvida Óbidos. É tão óbvio que dispensa explicações. Foi um trabalho recente com resultados excepcionais.
 
Outros municípios, com mais ou menos sucesso, já criaram a sua marca:
 - Lousã: Lousã conVIDA naturalmente…
 - Vila de Rei: Uma Jóia no Coração de Portugal
 - Tomar: Cidade Templária

 - Oliveira de Azeméis: Azeméis é Vida

 - Oeiras: Oeiras Marca o ritmo
 - Ponte de Lima: A Vila mais antiga de Portugal
 

E nós quando é que vamos ter uma marca?

estou: A vê-los passar
Terça-feira, 27 de Janeiro de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #3 – Plano Tecnológico

No encerramento da Conferência sobre clusters criativos em pequenos meios urbanos, Carlos Zorrinho, coordenador do Plano Tecnológico, disse que “a coincidência do Ano Europeu para a Criatividade e Inovação com o ano de eleições autárquicas é uma extraordinária oportunidade para que, em muitos municípios, a agenda possa ser adaptada aos novos desafios que vivemos”

 
«O melhor contributo que os 308 municípios do país podem dar ao Ano Europeu da Criatividade e Inovação é haver um forte debate sobre o futuro baseado nesta ideia dos clusters de inovação e criatividade e competitividade à escala global».
 
«E que depois, na escolha dos eleitores, que sejam as agendas criativas as vencedoras»
 
O responsável pelo Plano Tecnológico afirmou ainda que «os pequenos municípios podem ter localizações globais» no sentido em que podem oferecer «qualidade de vida e ao mesmo tempo estarem ligados ao mundo».
 
Sim os pequenos municípios podem ser globalizados e com isso oferecer mais qualidade de vida às suas populações, claro que é um caminho difícil, mas não devemos de desistir à primeira.
 

Falta só referir que esta conferência realizou-se, aqui ao lado em Óbidos, que tem um Parque Tecnológico e apoio empresas criativas.

estou: Excluído
Terça-feira, 20 de Janeiro de 2009

O que nós temos, os outros não, e vice-versa #2 – FBA

A Fundação da Batalha de Aljubarrota é responsável pelo maior investimento cultural efectuado no nosso Concelho, infelizmente não há nenhuma sinergia entre a Fundação e o Município de Porto de Mós.

 
A história é antiga e apesar de muitos episódios e de algumas tentativas de conciliação, de ambas as partes, tal não foi possível.
 
Depois da inauguração do CIBA (Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota), é garantido que o número de visitantes vai aumentar exponencialmente, ou seja, o nosso Concelho vai ter mais visitantes, mais turismo. Mas é um turismo de passagem, que irá exclusivamente ao CIBA, de onde segue para a Batalha, ou de onde veio.
 
Já existe um Comboio turístico de ida e volta, entre a Batalha e São Jorge, que leva os visitantes, entre estes dois locais. A Ponte da Boutaca está a ser recuperada, com o envolvimento da Fundação, um dos objectivos será para dar a conhecer, aos visitantes, o concelho da Batalha. Tudo isto é possível, pela cooperação existente, entre o Município da Batalha e a Fundação.
 
Porto de Mós, ou altera rapidamente a sua relação com a Fundação, e tenta propor algumas actividades turísticas, que liguem a Vila de Porto de Mós a São Jorge, ou então beneficiará muito pouco de todo o investimento feito que foi realizado no nosso concelho.
estou: A vê-los passar

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.connosco à mesa

Os nossos convidados

Dr. Miguel Horta e Costa

Eng. Cláudio de Jesus

Dr. Saúl António Gomes

Dra. Isabel Damasceno 

Prof. Júlio Pedrosa 

Cor. Valente dos Santos

 

Os nossos leitores

Ana Rita Sousa

Carlos Sintra

 

O nosso email

 

Siga-nos 

 

.podcast


Curvas do Livramento

oiça os nossos debates

Ed. Zero

Edição 1 - 04/Jun/009

Ed. 1.1 Europeias

Ed. 1.2 Autárquicas

Ed. 1.3 Casamentos Gay

Edição 2 - 30/Jun/009

com Clarisse Louro

Ed. 2.1 Pós Europeias

Ed. 2.2 Legislativas

Ed. 2.3 Autárquicas

Ed. 2.4 PMós 2º Clarisse Louro

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.Últimos Comentários

Special thanks to MrCosmos
The Feedburner expert

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.Quiosque

diários

semanários
  regionais
 
   

.Filme recomendado

 

 

Trailer

 

 

 

.Leitura em curso


A Revolução dos Cravos de Sangue

de Gerard de Villiers

Estamos em Portugal, no rescaldo do 25 de Abril, e Lisboa é um tabuleiro de xadrez onde CIA e KGB jogam uma partida mortal. Os serviços secretos americanos, desesperados por apenas terem sabido do golpe de Estado através dos jornais, esforçam-se para impedir que Portugal caia nas mãos do comunismo. Do outro lado, a KGB tem em mente um plano diabólico e põe em campo os seus melhores agentes. É então que um golpe de teatro promete desequilibrar esta guerra fria. Natália Grifanov, mulher de um poderoso coronel da KGB, está disposta a passar para o Ocidente e a relatar todos os segredos que sabe. Para organizar essa deserção a CIA escolhe o seu melhor agente: Malko Linge. Mas nem ele conseguirá levar a cabo esta missão sem evitar danos colaterais. E é então que, nas ruelas de Alfama e nos palácios da Lapa, entre traições e assassinatos, a Revolução dos Cravos mostra a sua outra face.

E, acredite, não é bonita!

Um thriller soberbo e original, passado no pós 25 de Abril de 1974.


Saida de Emergência

.Contador de visitas

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds