Quarta-feira, 18 de Março de 2009

Avizinham-se tempos ainda mais dificeis no Concelho

Para além do problema das cerâmicas aqui tratado pelo Luís Malhó,eis que Moita Flores em vários orgãos de comunicação, denuncia o problema das pedreiras nas serras de Aire e Candeeiros:

"Com a crise que temos no país e com esta insensibilidade, não há redentor que nos valha", afirmou o autarca, acrescentando: "Estamos num território de ausência de lei".

 

publicado por Pedro Oliveira às 12:33
endereço do post | comentar | favorito
9 comentários:
De LR a 18 de Março de 2009 às 13:58
Quando o Sapinho de Alcobaça veio para os jornais falar da cerâmica, Salgueiro disse que o problema dele próprio era não divulgar o que estava a fazer em prol do sector, o resultado sabemos qual foi, chumbo do governo.E mais trata por tu os ministros e secretários de estado.Mais uma vez parece que Salgueiro chega atrasado, para bem do sector da pedra esperamos que Salgueiro não se meta no assunto.
É que para publicitar o que se faz, primeiro é preciso fazer!.............................................
De Maria Antonieta a 18 de Março de 2009 às 20:05
Disse aqui num qualquer post que publiquei ,que apartir de Maio a crise tomaria contornos muito graves e complicados a nível mundial.
È completamente utópico pensar que Portugal será um cantinho que passará incólume.
Mas acreditar que no concelho de Porto de Mós a crise se irá minimizar pagando umas rendas de casa aqui e ali, ou umas facturas de água, é igualmente utópico
Estou convicta que o município deveria criar um gabinete anti-crise e estudar medidas muito sérias para que fosse possível passarmos por este calvário que vão ser os anos que se avizinham da melhor forma possível.
Vão ser as cerâmicas que já há muito se encontravam em crise, mas que agora irão ter problemas mais graves. Vão ser as pedreiras e nesse campo auguro péssimas perspectivas. São as fábricas que fazem componentes para automóveis e logicamente um encadeamento de outras actividades que em consequência das anteriormente referidas, irão por arrasto fazendo o efeito de bola de neve.
E a agricultura? E a pecuária?
No nosso concelho é bom lembrarmos que ainda há muita gente que faz destas actividades fontes de rendimento.
Há concelhos onde já houve a preocupação de se incentivarem os seus habitantes a comprarem os produtos dentro do próprio concelho para que assim o dinheiro não saia de lá. E não é utopia, coisissima nenhum.
São medidas muito acertadas.
Vai chegar aí um tempo em que será cada um por si e se nós não formos capazes de tomar conta de nós, ninguém tomará..
E já agora relembro, que depois da ceramica. dos texteis que já foram, das pedreiras que se encontram a caminho, se formos inteligentes, poderemos explorar o enorme potencial turístico que possuímos, criando alternativas a preços competitivos, no âmbito do turismo religioso, ecoturismo, turismo gastronómico e muitas outras vertentes.
Se soubermos proteger o que é nosso e rentabilizar o que temos de bom e de qualidade, se admnistrarmos com inteligência e com sabedoria, procurando alternativas inovadoras e conjugando-as com técnicas ancestrais, como seja oferecer bons produtos biológicos e naturais produzidos de forma manual sem aditivos, alojamentos em locais libertos de poluição e que ofereçam o sossego e a tranquilidade desejada. Esta dinamica pode ser a alavanca para alguns empregos ainda que sazonais que muito vão ajudar na economia familiar. Incrementando estas e outras medidas, por certo atravessaremos este período melhor.
È bom pois que o município as forças vivas e os partidos politicos não façam desta crise arma de arremesso porque os tempos que virão não vão ser pêra doce não.
De Paulo Sousa a 19 de Março de 2009 às 00:04
"Há concelhos onde já houve a preocupação de se incentivarem os seus habitantes a comprarem os produtos dentro do próprio concelho para que assim o dinheiro não saia de lá."

Dª Antonieta,
Se todos os concelhos fizerem o mesmo, não quero ver onde vão parar as nossas empresas do ramo da pedra e da cerâmica, muito dependentes da exportação. Apostar no proteccionismo e no mito da auto-suficiência é apostar num regresso ao passado. Se o mundo inteiro fazer o mesmo, o que acontecerá com a industria farmaceutica? E depois quem abastece as farmácias. Isto é apenas um exemplo.
O mundo hoje é global e por isso são necessárias medidas de combate à crise de carácter global.
São necessárias medidas locais para amortecer os efeitos da crise (que é diferente de combater a crise), mas não nos podemos arriscar a deitar a água fora juntamente com o bébé.
De Maria Antonieta a 19 de Março de 2009 às 16:52
O mundo è global, tem toda a razão Paulo, mas vamos ver até quando. Não se esqueça que está na forja uma nova ordem mundial e tem outra coisa:
as exportações estão neste momento 50% reduzidas e muito mais irão ficar e medidas proteccionistas toda a gente as vai ter de tomar, quer a nível de países no cenário do mundo, quer a nível local. Quem melhor e mais cedo esiver preparado para isso, melhor e olhe Paulo você conhece-me, sabe que eu não sou pela defesa do botequim do bairro, sabe que tenho uma visão progressista do mundo, mas acredite que quando a crise, ou a depressão ou a deflacção ou que lhe quiserem chamar chegar mesmo, meu amigo você verá se as medidas proteccionostas não vão vir e mais e você vai ver quais serão os primeiros países a implementá-las. Como sabe sou uma optimista por natureza e desejo muito estar enganada mas diga-me quando a Inglaterra fez aquela manifestação contra os trabalhadores estrangeiros o que foi aquilo?
Foi ou não foi uma medida proteccionista em relação á protecção dos seus próprios postos de trabalho?
Onde estavaaí a globalização.Deixo no ar uma reflexão sobre tudo isto
De Paulo Sousa a 20 de Março de 2009 às 00:19
Dª Antonieta,
No plano de recuperação da economia americana apresentado por Obama, muitos economistas encontraram um ponto fraco, entretanto corrigido. Obrigava que algumas obras fosse fornecidas por aço produzido no EUA. É fácil defender internamente medidas protecionistas, mas na prática têm um efeito negativo.
A escala global da crise exige medidas de carácter global.
A reunião do G20 (G8 bastante alargado) a realizar em breve pretende concertar medidas de estímulo económico a tomar simultaneamente e no mesmo sentido, de forma a maximizar os seus resultados.
Se cada economia, mesmo à escala regional, se fechar sobre si própria estará a contrariar este efeito.
Permita-me recorrer a um exagero para melhor transmitir a ideia. O oposto à globalização é a Idade Média. Entre uma economia global e o sistema feudalista com portagens entre as regiões, temos de escolher o nosso ponto de equilibrio. As medidas que sejam tomadas pelos nossos governantes empurrar-nos-ão numa ou noutra direccção, e eu acho que só temos a perder se for decidido avançar em direcção à Idade Média. Como disse é um exagero, mas julgo que assim seja o raciocínio seja mais claro.
De resto, e como disse, concordo com medidas pontuais, de carácter local, cujos critérios sejam claramente definidos para o combate aos efeitos da crise. Esperemos, no entanto, que a próximidade das eleições não leve os nossos governantes a perderem o bom senso entrando em competições nas ofertas que, como sempre, terão de ser pagas no futuro pelos nossos filhos. Apostando mais na imaginação e menos na despesa fácil podem conseguir-se bons resultados.
De Paulo Sousa a 20 de Março de 2009 às 00:25
Por falar nisso podemos ler o que o Joga escreve sobre o dito apoio do Executivo do nosso município à crise.
Quando não sabe para onde se vai vacila-se em todos os cruzamentos.
De Maria Antonieta Mariano a 20 de Março de 2009 às 19:45
È isso mesmo Paulo esperoque as campanhas eleitorais que se avizinham não hipotequem o futuro de uma forma irremedável mas duvido muito que o executivo o não faça. A avaliar pelo que se tem passado.
De violeta a 19 de Março de 2009 às 19:12
A globalização, o proteccionismo, a crise... nada novo.
A história é ciclica. Nos tempos melhores todos pensam que o bom é eterno; agor aem casa onde não há pão todos ralham e ninguém tem razão..Não podemos enfiar a cabeça na areia epensar que os efeitos da globalização e da crise desaaprecem; não sendo a favor do proteccionismo duro e puro, sempre consumi preferencialmente produtos made in Portugal; não resolve, mas ajuda, pouco, ams ajuda...

Comentar post

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.connosco à mesa

Os nossos convidados

Dr. Miguel Horta e Costa

Eng. Cláudio de Jesus

Dr. Saúl António Gomes

Dra. Isabel Damasceno 

Prof. Júlio Pedrosa 

Cor. Valente dos Santos

 

Os nossos leitores

Ana Rita Sousa

Carlos Sintra

 

O nosso email

 

Siga-nos 

 

.podcast


Curvas do Livramento

oiça os nossos debates

Ed. Zero

Edição 1 - 04/Jun/009

Ed. 1.1 Europeias

Ed. 1.2 Autárquicas

Ed. 1.3 Casamentos Gay

Edição 2 - 30/Jun/009

com Clarisse Louro

Ed. 2.1 Pós Europeias

Ed. 2.2 Legislativas

Ed. 2.3 Autárquicas

Ed. 2.4 PMós 2º Clarisse Louro

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.Últimos Comentários

Special thanks to MrCosmos
The Feedburner expert

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.Quiosque

diários

semanários
  regionais
 
   

.Filme recomendado

 

 

Trailer

 

 

 

.Leitura em curso


A Revolução dos Cravos de Sangue

de Gerard de Villiers

Estamos em Portugal, no rescaldo do 25 de Abril, e Lisboa é um tabuleiro de xadrez onde CIA e KGB jogam uma partida mortal. Os serviços secretos americanos, desesperados por apenas terem sabido do golpe de Estado através dos jornais, esforçam-se para impedir que Portugal caia nas mãos do comunismo. Do outro lado, a KGB tem em mente um plano diabólico e põe em campo os seus melhores agentes. É então que um golpe de teatro promete desequilibrar esta guerra fria. Natália Grifanov, mulher de um poderoso coronel da KGB, está disposta a passar para o Ocidente e a relatar todos os segredos que sabe. Para organizar essa deserção a CIA escolhe o seu melhor agente: Malko Linge. Mas nem ele conseguirá levar a cabo esta missão sem evitar danos colaterais. E é então que, nas ruelas de Alfama e nos palácios da Lapa, entre traições e assassinatos, a Revolução dos Cravos mostra a sua outra face.

E, acredite, não é bonita!

Um thriller soberbo e original, passado no pós 25 de Abril de 1974.


Saida de Emergência

.Contador de visitas

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds