Sábado, 18 de Abril de 2009

E tudo o vento levou...

A gestão dos recursos naturais e a sua rentabilização, para o bem das populações, tem sido um problema no nosso concelho, e em particular no Alqueidão da Serra, que já vem do tempo do Presidente José Ferreira.Confesso que tenho alguma dificuldade em tomar posição sobre esta questão,pois se de um  lado (Junta Freguesia)chove, do outro(Câmara Municipal)troveja, no entanto e porque nos últimos dias este assunto veio novamente à baila,texto de João Gabriel e comentário de José Ferreira,no Pensar Porto de Mós, texto de opinião de Rui Marto, no " O Portomosense", e esta notícia, é minha intenção levar esta questão a debate aqui no Vila Forte. Afinal quem tem razão,Câmara ou junta de Freguesia?Ou nenhuma delas?Este  problema está a ser gerido por forma a beneficiar a população do Alqueidão da Serra?Ou os dinheiros do "vento" devem ser repartidos pelas 13 Freguesias?E a gestão dos outros recursos naturais do Concelho, como seja a pedra,também são distribuidos?

Será concerteza um tema "quente" na campanha eleitoral,a caixa de comentários está à vossa disposição.

 

 

publicado por Pedro Oliveira às 18:50
endereço do post | comentar | favorito
11 comentários:
De Paulo Sousa a 18 de Abril de 2009 às 19:53
Independentemente da justeza da questão, acho que cada milímetro que o actual Presidente de Câmara falhe em relação ao que prometeu estará a defraudar as expectativas que criou à população. Terá ela de se manifestar sobre essa fraude no local próprio que é na assembleia de voto.
Os apoiantes do Sr. Salgueiro do Alqueidão da Serra têm de explicar aos seus conterrâneos porque motivo devem voltar a acreditar em quem lhe mentiu.
De H.Rosa a 18 de Abril de 2009 às 22:05
Centrar esta questão nas pessoas é fundamental, enquanto nos refugiarmos em politiquices,"apesar da justeza da questão", é reduzir este problema em questiunculas partidárias básicas e que em nada ajudam as populações.José Ferreira tem razão,Rui Marto tem razão, João Gabriel tem razão,Salgueiro tem razão,mas o problema anda num circulo vicioso que nunguém quer quebrar.Em minha opinião,se realmente estivesssem interessados no supremo interesse do concelho, já há muito que os capatazes,presidentes de junta, se tinham associado numa associação de juntas do Concelho e em conjunto fazer com que as freguesias, num todo ,fossem mais fortes que a soma individual e individualista, e assim o Concelho ser mais homogeneo na distribuição da riqueza e no bem estar das populações, tudo o que fuja disto é brincar à politica.É tempo dos velhos politicos e os jovens velhos também politicos, pois são sempre os mesmos de darem a vez a outros que pensem o concelho num todo em vez de estarem sempre a puxar pela sua capelinha.O Editorial do Sr. Isidro também é o reflexo dos saloios que somos e com muito gosto.Que as pessoas sejam o centro das atenções e não quem tem mais euros ou menos euros.Nunca poderei estar satisfeito só porque a minha freguesia tem o "ouro" que está na moda e as outras 12 passam fome.
De Paulo Sousa a 19 de Abril de 2009 às 00:27
Caro (se quiser posso chamar-lhe) H.Rosa,
Qual a diferença em centrar a questão nas pessoas ou nas politiquísses?
O orçamento da Junta do Juncal corresponde a cerca de 50€/habitante por ano. Outra Juntas, como a do Alqueidão, ultrapassam os 500€/habitante por ano. Já o ouvimos várias vezes a falar da associação de juntas do Concelho. Qual a sua proposta?
Pessoalmente, acho que deve ser a Câmara a corrigir estes desequilíbrios, qual a sua opinião?
Ou então de outra forma. Não vou puxar para a minha capelinha, mas sim apostar no supremo interesse do concelho... OK... Vendo bem... na prespectiva do supremo interesse do concelho, já me calo com o facto de a minha Freguesia ter 50€/habitante e outras terem 500€.
Está a ver onde quero chegar? Não estou contra as outras juntas, apenas acho que deve ser a Câmara a corrigir, se assim entender, esta situação. Gostava de lhe ouvir uma proposta concreta de resolução em vez de simular uma terceira via que ainda ninguém entendeu.
E se puder diga-me como se pode justificar aos habitantes do Alqueidão a vantagem em votar Salgueiro?À primeira caem todos, à segunda cai quer quer.
Obrigado por nos visitar.
De H.Rosa a 19 de Abril de 2009 às 11:43
A minha proposta é simples e não é nenhuma terceira via, é uma via de quem está um pouco cansado de tudo neste concelho se resumir a Salgueiro e José Ferreira,e os Presidentes de Junta em vez de andarem sempre de mão estendida aos Presidentes de Câmara.E se juntassem e em conjunto lutassem pelos interesses comuns, seja para a gestão dos recursos naturais seja para uma simples compra de equipamentos necessários e que podiam gerir entre eles, como máquinas escavadoras ou uma equipa de arranjos peemanentes paga pelos 13?
Não quero saber se o Alqueidão vai voltar a votar Salgueiro ou não, o que me interessa é que também voto para as juntas de freguesia e tenho pena e vergonha que não sejam mais que uns capatazes do chefe, que tenham de andar a justificar porque votam assim ou assado e não sejam Homens para se unirem e bater o pé pelo seu povo.
Comece pelo seu Presidente se ele tem tanta "inveja" dos 500 em relação aos 50 o que fez ele para mudar a situação?Quantas reuniões,formais ou informais, teve com os outros 12,ou é necessário ter autorização do PSD?
É que os problemas não se resolvem só com manifestos.
De H.Rosa a 19 de Abril de 2009 às 11:48
Faltou só um pormenor,se a questão se resumir ao caír á primeira ou á segunda, então os Portomosenses do Alqueidão,nem votavam PS nem PSD.
Santo Domingo.
De rui a 19 de Abril de 2009 às 10:45
O problema não está no que cada freguesia tem a mais de receita ou a menos. A questão deve ser colocada de outra forma.
Como deve ser gerido o orçamento municipal e saber interligá-lo com os vários orçamentos das treze juntas de freguesia?
O levantar a questão da água, do barro ou de outro elemento, só é colocada por quem não mostra capacidade para ver e saber resolver o problema no seu todo.
Até parece que somos o unico concelho que tem este suposto problema, somos pelo menos o concelho que não tem sabido tratar deste problema, isso somos.
O que é importante será termos um executivo que pense e planique o futuro, coisa que não temos tido á vários anos para cá.
De Irene Pereira a 19 de Abril de 2009 às 10:53
A promessa fácil dá nisto... O tempo do vale tudo para arrecadar votos para alguns vem aí outra vez. Estou curiosa para ver como as coisas vão correr no Alqueidão..
Quanto à distribuição dos recursos advindos dos recursos naturais é um assunto delicado. Por uma questão de equidade a câmara deveria gerir esses recursos, todos (vento, água,pedra), redistribuindo a riqueza natural convertida em dinheiro por todo o concelho.
De Olho de Lince a 19 de Abril de 2009 às 11:58
Sou residente e natural da Zona Serrana, mas eu pergunto se a camara, deve gerir esses recursos e depois acontecer o que tem acontecido à anos neste concelho. Zona literalmente esquecida nos orçamentos da camara. Percentagens infimas de investimento nessas zonas. Enquanto noutros locais do concelho, já os canos estão podres à muito e por aqui ainda à várias zonas ( S. Bento ) sem água canalizada. ( Várias zonas não, quase todas).
Devia ser bonito, quem tem tido responsabilidades nisto, vir agora tirar recursos financeiros a quem tem sido colocado literalmente de lado nestes anos quase todos. E porque ? Claro tem poucos habitantes e dá poucos votos.
Esses recursos irem para a camara era para fazer mais do mesmo.
É pena é outras freguesias como Alvados, Alcaria não terem também esses recursos.
Devia ser engraçado a camara, nesta base, querer tirar, a S. Bento, Alqueidão, Serro Ventoso, Mendiga e Arrimal, esses recursos.
Giram melhor os recursos que dispoe e são muitos e compensem devidamente as freguesias que não tem esses recursos e em suma pensem o concelho como um todo. O que não acontece à muitos anos.
Mas uma coisa é certa, estão a correr o risco, se este assunto não for devidamente ponderado, gerido e pensado, de acontecer que umas freguesias se fizerem bem o seu trabalho ficarem cada vez melhor e outras paradas mais no tempo, o que é mau. Mas não se esqueçam que as que agora começam a ter mais receita, não foram aquelas onde a camara nunca alguma vez se preocupou. Só dava e dá uns trocos para ter alguns votos por altura das eleições.

Acham que neste quadro, alguna freguesia vem aceitar que os iluminados que estão e estiveram no municipio venham agora tirar lhe receita. Claro que não.

Isto só tem uma maneira de ser resolvido e o resto é paleio. Compensar através do orçamento da camara as que não tem receita, as freguesias que tem receitas terão que utilizar parte e muitos desses recursos em investimentos que por norma sairiam do orçamento do municipio.

E Claro, cada uma, não pode e não deve a bem do concelho fazer o que lhe apetece... e é isso que acontece.

E porquê, porque o executivo NÃO SABE NADA O QUE QUER PARA O FUTURO e como tal temos recursos desperdiçados e não há recursos que cheguem,por mais que aumentem o orçamento da camara.

Tudo o resto que se diga, na minha opinião é olhar para o umbigo e continuar tudo na mesma.

Quanto à promessa feita pelo Presidente da camara ao Alqueidão é mais uma entre outras que são feitas,
que quando as faz nem se preocupa se cumpra ou não. È mais uma.






De Paulo Sousa a 19 de Abril de 2009 às 12:38
Concordo consigo com a responsabilidade da Câmara em corrigir as disparidades dos orçamentos das Freguesias.
Sobre a questão do custo de instalação de esgotos e da água nas freguesias serranas, posso dizer-lhe que em países como a Suíça, Lichenstein e outros (igualmente pobres...!), essas infraestruturas são construídas à superfície reduzindo brutalmente o seu custo. Porque é que os esgotos e a água da Freguesia de São Bento têm de ficar a um metro ou mais de profundidade, dentro da rocha, complicando inclusivamente a sua manutenção?
Isto leva-nos para outra questão que um destes dias merecerá um post.
De Pedro Oliveira a 19 de Abril de 2009 às 12:42
É evidente que o rendimento per capita de cada freguesia não pode ter a disparidade que o Paulo fala(500 para 50).Depois de ler estes comentários, diria que se calhar a solução seria uma parte ir para o bolo comum, ou seja Câmara, e uma outra para projectos concretos da fregusia que tem essa "riqueza".Percebo bem as inquietações do comentador da zona serrana,até hoje as desigualdades foram demasiadamente castigadoes para muitas das nossas freguesias e as pedras não votam...
O debate está muito interessante.
De Irene Pereira a 19 de Abril de 2009 às 12:48
Olho de lince tem razão em muito do que diz... Gosto dessa sugestão Pedro...

Comentar post

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds