Segunda-feira, 11 de Maio de 2009

Como se resolve a crise?

Talvez se gastarmos mais dinheiro.

 

Se gastarmos mais?

Explica lá isso.

 

Se gastarmos,vai dinheiro para as outras pessoas e deixamos de estar em crise

 

Tu ficas com menos...

 

Mas trabalho e ganho mais.E não gasto tudo.Gasto só uma parte  a outra guardo.

 

Então achas que podes separar uma parte do dinheiro que ganhas,da mesada, para gastar e a outra para poupar?

 

Sim.Também não podemos deixar de comprar coisas senão o dinheiro não vai para as outras pessoas.

 

Letícia, 10 anos in Visão Junior

tags:
publicado por Pedro Oliveira às 13:51
endereço do post | comentar | favorito
3 comentários:
De Pronúncia a 11 de Maio de 2009 às 21:23
As crianças por vezes nem imaginam o quanto falam verdade.

jocas
De Portomaravilha a 11 de Maio de 2009 às 23:34
Trabalhar mais para ganhar mais foi o slogan da campanha de Sarkozy em França !

Foi um fiasco devido à mobilização dos sindicatos. E ainda bem.

Trabalhar mais para ganhar mais significa trabalhar aos domingos. Aqui ainda é proíbido !

Trabalhar mais para ganhar mais significa destruir a vida familiar e social . Significa atomizar ainda mais o indivíduo.

Que tal pensar em consumir menos ? Ou consumir melhor ?

Mesada ? Os meus filhos não têm mesada. Quem pode dar uma mesada ? Todavia, faço parte da classe média Francesa.

Bom : É verdade que não brinco com a bolsa.

Creio ser totalmente errado a ideia que a circulação de dinheiro é criadora de empregos. O dinheiro não cria riqueza só por si !

A crise está a mostrar isso !

Como já escrevi aqui, todos os dias chegam centenas de portugueses a França. Vêm de Portugal e a maioria da Irlanda, da Inglaterra e da Espanha.

A França vai resistindo porque ainda tem um Estado forte. E ainda vai podendo absorver quem chega.

Mas até quando ?

Começam a haver actos racistas ou de concurrência. Até de Portugueses contra Portugueses.

E ainda cantam o " ordraliberalismo" ?

Bela lição ( infelizmente, não tenho prazer em escrever isto ) de hulmidade para quem dizia que a Irlanda e a Inglaterra eram exemplos.

Que tal se os banqueiros e as multinacionais tivessem, finalmente, um pouco de moralidade ?

Não têm ?

Faça-se como De Gaulle ou Chavez . Que sejam nacionalizados !

E Viva o Porto !



De André Miguel a 12 de Maio de 2009 às 11:09
Creio que o trabalhar mais se refere em termos qualitativos e não quantitativos. Pois todos sabemos como anda o trabalho qualificado em Portugal...
Ou melhor: qualquer trabalho. Pois já nem as qualificações vão servindo de muito, principalmente em Portugal!

PS: como é que os banqueiros e as multinacionais terão moral se hoje os (pseudo) lideres saltam das cadeiras do curso de MBA, sem nunca terem trabalhado (!?), para as cadeiras da Administração? O remédio não é nacionalização, para que o Estado tenha mais uns Jobs para uns boys, mas sim que os accionistas abram os olhos e coloquem a gerir quem se identifica com a empresa.

Comentar post

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.connosco à mesa

Os nossos convidados

Dr. Miguel Horta e Costa

Eng. Cláudio de Jesus

Dr. Saúl António Gomes

Dra. Isabel Damasceno 

Prof. Júlio Pedrosa 

Cor. Valente dos Santos

 

Os nossos leitores

Ana Rita Sousa

Carlos Sintra

 

O nosso email

 

Siga-nos 

 

.podcast


Curvas do Livramento

oiça os nossos debates

Ed. Zero

Edição 1 - 04/Jun/009

Ed. 1.1 Europeias

Ed. 1.2 Autárquicas

Ed. 1.3 Casamentos Gay

Edição 2 - 30/Jun/009

com Clarisse Louro

Ed. 2.1 Pós Europeias

Ed. 2.2 Legislativas

Ed. 2.3 Autárquicas

Ed. 2.4 PMós 2º Clarisse Louro

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.Últimos Comentários

Special thanks to MrCosmos
The Feedburner expert

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.Quiosque

diários

semanários
  regionais
 
   

.Filme recomendado

 

 

Trailer

 

 

 

.Leitura em curso


A Revolução dos Cravos de Sangue

de Gerard de Villiers

Estamos em Portugal, no rescaldo do 25 de Abril, e Lisboa é um tabuleiro de xadrez onde CIA e KGB jogam uma partida mortal. Os serviços secretos americanos, desesperados por apenas terem sabido do golpe de Estado através dos jornais, esforçam-se para impedir que Portugal caia nas mãos do comunismo. Do outro lado, a KGB tem em mente um plano diabólico e põe em campo os seus melhores agentes. É então que um golpe de teatro promete desequilibrar esta guerra fria. Natália Grifanov, mulher de um poderoso coronel da KGB, está disposta a passar para o Ocidente e a relatar todos os segredos que sabe. Para organizar essa deserção a CIA escolhe o seu melhor agente: Malko Linge. Mas nem ele conseguirá levar a cabo esta missão sem evitar danos colaterais. E é então que, nas ruelas de Alfama e nos palácios da Lapa, entre traições e assassinatos, a Revolução dos Cravos mostra a sua outra face.

E, acredite, não é bonita!

Um thriller soberbo e original, passado no pós 25 de Abril de 1974.


Saida de Emergência

.Contador de visitas

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds