Quinta-feira, 8 de Outubro de 2009

2 de Novembro de 2005 - A tomada de Posse.

Como já referi anteriormente a intervenção que tive oportunidade de apresentar em nome do PSD na tomada de posse dos Eleitos às Autárquicas de 2005 mereceu contestação, incompreensão e até algum repúdio. Dei pouca importância porque fiquei com o registo das palavras proferidas e na altura estava convicto que relativamente aos compromissos eleitorais do PS aqui mencionados, eles não passavam dum chorrilho de promessas que nunca iriam ser cumpridas, como se verificou quatro anos depois. Onde é que o PSD foi deselegante, arrogante ou insensato, como algumas vezes me foi referido?

A nossa preocupação chama-se Porto de Mós. E era por sabermos da facilidade das promessas e de duvidarmos da capacidade para as realizar que, em alternativa a uma intervenção sabuja, decidimos ser realistas e marcar uma posição de inequivoco apoio às Politicas que no sufrágio ganharam, caso fossem concretizadas.

Infelizmente não nos enganámos, ou melhor tinhamos razão.

Infelizmente para Porto de Mós, porque nestes quatro anos a maioria  das promessas do Salgueiro Sim continuam promessas...

Por isso aqui vos deixo, quase quatro anos depois e agora estando fora deste contexto, a polémica intervenção da tomada de posse do dia 2 de Novembro de 2005. E já agora digam lá, onde está a polémica?

 

Senhor Presidente da Assembleia Municipal e restantes membros que compõem a Mesa,
Senhor Presidente da Câmara Municipal, Vereadores, Eleitos para a Assembleia Municipal, Presidentes de Junta, restantes Entidades aqui presentes, Comunicação Social, minhas Senhoras e meus Senhores;
Em nome do PSD começo por felicitar todos os Eleitos para a Assembleia Municipal, Câmara Municipal e Assembleias de Freguesia e reiterar votos dos maiores sucessos no desempenho das funções para as quais foram eleitos. Se assim for esse será também o sucesso do Concelho de Porto de Mós. E é certamente por isso que todos aqui estamos.
No passado dia 9 de Outubro o Povo do nosso Concelho decidiu que será o Partido Socialista quem Governará Câmara nos próximos quatro anos. Decidiu Democraticamente e felizmente num acto que uma vez mais decorreu de forma normal, sem registo de qualquer incidente. Cumprimento por isso uma vez mais o Partido Socialista pelo resultado que alcançou, nomeadamente para a Câmara Municipal. Cumprimento ainda todos aqueles que, em nome da Democracia e certamente num verdadeiro espírito de missão se disponibilizaram para integrar as listas e assim serem candidatos naquelas que no nosso entender são as Eleições que mais directamente dizem e servem às Populações.
Nestas mesmas eleições o Povo entendeu dar a maioria dos mandatos na Assembleia Municipal a outra força Politica – ao PSD.
O Povo do nosso concelho deu ao PSD através dessa maioria de mandatos a responsabilidade acrescida de acompanhar e fiscalizar a actividade da Câmara Municipal, através das competências legais da Assembleia Municipal.
Mas, minhas Senhoras e meus Senhores, não se pense que essa será uma arma Politica do poder deliberativo contra o poder executivo. Todos nós fomos eleitos através das urnas por cidadãos deste concelho e temos também todos e em seu nome a obrigação de pugnar pela defesa dos interesses do concelho de Porto de Mós. Acreditamos que o mesmo se passará com as restantes forças politicas aqui representadas.
Para os eleitos do PSD essa será sempre a primeira prioridade: O concelho de Porto de Mós. E neste particular, permitam-me que releve a importância que deverão merecer as prioridades apresentadas pelas Juntas de Freguesia. É aí, em cada uma das Freguesia que se dá inicio ao progresso, mas é também aí que se sentem primeiro as assimetrias e sobretudo as grandes carências. É por isso que entendemos ser fundamental que no futuro a politica de descentralização do Município para as freguesias seja reforçada, numa partilha progressiva de responsabilidades onde deve ser reconhecida a necessidade de dignificar o exercício das funções dos Autarcas de freguesia, com novas atribuições e correspondentes meios financeiros, dando expressão à sua relevante acção junto das comunidades locais.
Estaremos por isso particularmente atentos ao documento eleitoral apresentado pelo PS e que no dia 9 de Outubro foi sufragado e maioritariamente votado pela População do nosso concelho.
Reconhecemos-lhe mérito e esperamos que o executivo tenha capacidade para o concretizar na sua totalidade e trazer no futuro os prometidos benefícios para o Concelho. Estamos por isso certos que os impostos Municipais irão baixar para os jovens e população mais desfavorecida, estamos certos que acontecerá o equilíbrio das finanças municipais e isso pressupõe a redução do passivo, estamos certos que as despesas correntes descerão drasticamente, assim como o número de trabalhadores ao serviço da Cãmara e que os prometidos investimentos serão uma realidade. Estamos certos agora tal como no período pré eleitoral que por aqui acabarão as dificuldades e que não haverá investimento prometido que não se concretize nos próximos quatro anos.
A Câmara Municipal poderá contar connosco se for este o seu caminho e não somos nós, eleitos do PSD, que queremos, nós vamos apenas exigir o que foi durante meses amplamente prometido à População do Concelho. O nosso papel na Assembleia não poderá em circunstância alguma servir de desculpa ao executivo para deixar de fazer ou de decidir, porque acompanhar e fiscalizar a actividade Municipal não apenas decorre da Lei, como tem sido o papel do PSD nesta Assembleia nos últimos quatro anos (algumas vezes até apelidados de sermos a verdadeira oposição ao executivo PSD) – críticos, mas com espírito construtivo, como sempre fomos, intransigentes em relação às competências que nos estão conferidas na Lei como sempre estivemos e finalmente a lutar pela defesa do que entendemos ser o melhor para o concelho de Porto de Mós, como sempre fizemos.
Queremos ser apenas o árbitro e de preferência sem se dar por ele – é o melhor sinal, porque nesse caso sabemos que estamos no caminho certo, que o nosso concelho vai no rumo certo.
 
publicado por Jorge Vala às 23:34
endereço do post | comentar | favorito
4 comentários:
De Ana Narciso a 9 de Outubro de 2009 às 07:43
De Paulo Sousa a 9 de Outubro de 2009 às 10:57
De facto os portomosenses foram enganados há 4 anos.
De Anómico a 9 de Outubro de 2009 às 12:15
FORÇA JULIO DERROTA A MENTIRA PSD
De Miguel F. a 9 de Outubro de 2009 às 18:50
Sr. Jorge Vala tenho um dúvida, qual é o cravo e qual é a ferradura, não sei se me faço entender?.............................

Comentar post

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds