Quinta-feira, 29 de Outubro de 2009

A crise é culpa dos neoliberais

Apesar da oportunidade que os portugueses tiveram há pouco tempo para mudar rumo, optaram por manter a trajectória.

Com Sócrates, o futuro do país depende do TGV.

Com Sócrates, o corte fiscal alemão de 24 mil milhões de euros, é um erro, pois a saída da crise depende do Estado e não das empresas.

Com Sócrates, a culpa da nossa crise com dez anos, é crise internacional que começou há dois.

 

Enquanto isso, a Moddy's avalia a nossa economia com pessimismo e revê em baixa a dívida portuguesa. A Moody's justifica o corte com “os desafios estruturais para a economia” e a “aparente falta de motivação dos políticos para os resolverem”.

Claro que isto não passam de tretas da oposição.

publicado por Paulo Sousa às 20:05
endereço do post | comentar | favorito
6 comentários:
De Eduardo Louro a 30 de Outubro de 2009 às 00:39
A dívida não interessa para nada. É preciso é TGV´s e muitos, muitos negócios com o Estado como se está a ver. Com "carris dourados" quem é que pode pôr o TGV em causa. Com "face oculta" é que se acaba com a crise. Pelo menos para alguns...
De José Ferreira a 30 de Outubro de 2009 às 09:30
Paulo
Um testemunho pessoal sobre o TGV.
Há cerca de 15 dias estive em França, e a cidade onde me desloquei é a única paragem do TGV entre Paris e Lyon.
No regresso a Portugal, como tinha de apanhar o avião em Lyon, e como nunca andei de TGV, e poupava 25 minutos de viagem, em relação ao comboio normal, decidimos pedir bilhetes para o TGV.
Quando a funcionária nos disse o preço mudámos de ideia.
Porquê?
Para poupar 25 minutos, tinhamos:
TGV- 133€
Comboio normal- 19€.
Se em Portugal as diferenças de preço forem desta ordem de grandeza, por certo o TGV não terá passageiros.
Não passa do relato de uma experiência.
Cumps.
José Ferreira
De Paulo Sousa a 31 de Outubro de 2009 às 00:55
Também já andei numa carruagem TGV em linha normal, o que significa andar de TGV a uma velocidade vulgar.
Talvez venha a ser isso que se faça no futuro no nosso país para rentabilizar (???) as carruagens, o que não deixaria de ser indicador da profundidade do projecto e uma imagem do país, pois em tudo se compararia ao estilo de vida que os portugueses gostam, tesos mas vistosos. Quantos são os que andam em carros de grandes marcas, ex-topos de gama e coabitam com ratos em casa, ou saem pela porta da cozinha e andam a pisar as fezes dos cães?
De António carvalho a 30 de Outubro de 2009 às 20:20
Estava a relembrar algumas estrelas brilhantes e cintilantes da economia, tipo " ex Ministro Manuel Pinho, João Cesar das Neves, L. Mira Amaral, Vitor Bento etc." que na revista "Portugal em Exame-Edição especial de 2004" se deleitaram e depoiaram(será que se pode dizer assim em vez de depoimentos) sobre a então economia portuguesa e seu desenvolvimento futuro.
Dizia Manuel Pinho, à data vice- presidente do Banco Esp. Santo de Investimento_ -O nosso problema nº. 1 é a economia, não é o defice orçamental.`´E urgente colocar a economia numa trajetória de crescimento. Sem isto é impossível baixar de 3% o PIB.
Há Pergunta feita pela referida revista - Como vê Portugal daqui a dez anos ? Resposta: -Temos a sorte de pertencer à UE e de ter a Espanha aqui ao lado a crescer e a modernizar-se. Acredito que haverá um sobreddalto para não nos deixarmos ficar para trás. Somos um país de pequena dimensão, em que meia dúzia de apostas bem sucedidas pode ter um grande efeito incremental à escala global, como sucedeu, aliás, na Irlanda na década de 80. Sinto que à obsessão com o défice orçamental e á cultura do pessimismo vai suceder uma cultura de modernização e de resultados.
Passados 5 anos, estão aí os resultados do mesmo economista, que para além de teórico e excelente economista como dizem, foi nesse período responsável ministerial dessa mesma área. É caso para dizer que qualquer semelhança da tese com a realidade é mera coincidência. ´São assim os nossos brilhantes economistas enquanto visionários de um mundo em evolução, como eles se gostam de exibir.
De António carvalho a 30 de Outubro de 2009 às 20:23
Para dizer que não é sobreddalto, mas sim sobressalto.
De PortoMaravilha a 30 de Outubro de 2009 às 23:26
Se me permitem e em relação ao tgv .

O tgv é vítima do seu sucesso. Viu os seus utentes duplicarem e viu-se os preços duplicarem.

Todavia, um Paris Bayonne custa 22 euros em 2ª classe para um bilhete que não é reembolsado nem trocado. Ida simples.

É verdade que o tgv procurou inicialmente fidelizar os clientes. Esta fidelização levou a que preços exorbitantes sejam pedidos a clientes ocasionais. E por vezes estes nem sequer são informados que há duas classes. Talvez porque seja necessário rentabilizar a 1ª classe ?

Mas aqui o tgv tem grande sucesso.

Não polui e , sobretudo, desagua em gares que se encontram nos centros das cidades. O que não é o caso dos aeroportos.

Quem vai da Normandie para Marselha é mpecável. São 5 h e picos e não há o problema do embarque e desembarque das bagagens.

É também verdade que o sistema de assinaturas anuais, etc. com reduções priveligia quem conhece o funcionamento da sncf-tgv.

O que no fundo me parece discriminatório.

Ou será uma vontade de proteger os centros urbanos de forasteiros desconhecidos ? O que também é discriminatório.

E Viva o Porto !



Comentar post

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.connosco à mesa

Os nossos convidados

Dr. Miguel Horta e Costa

Eng. Cláudio de Jesus

Dr. Saúl António Gomes

Dra. Isabel Damasceno 

Prof. Júlio Pedrosa 

Cor. Valente dos Santos

 

Os nossos leitores

Ana Rita Sousa

Carlos Sintra

 

O nosso email

 

Siga-nos 

 

.podcast


Curvas do Livramento

oiça os nossos debates

Ed. Zero

Edição 1 - 04/Jun/009

Ed. 1.1 Europeias

Ed. 1.2 Autárquicas

Ed. 1.3 Casamentos Gay

Edição 2 - 30/Jun/009

com Clarisse Louro

Ed. 2.1 Pós Europeias

Ed. 2.2 Legislativas

Ed. 2.3 Autárquicas

Ed. 2.4 PMós 2º Clarisse Louro

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.Últimos Comentários

Special thanks to MrCosmos
The Feedburner expert

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.Quiosque

diários

semanários
  regionais
 
   

.Filme recomendado

 

 

Trailer

 

 

 

.Leitura em curso


A Revolução dos Cravos de Sangue

de Gerard de Villiers

Estamos em Portugal, no rescaldo do 25 de Abril, e Lisboa é um tabuleiro de xadrez onde CIA e KGB jogam uma partida mortal. Os serviços secretos americanos, desesperados por apenas terem sabido do golpe de Estado através dos jornais, esforçam-se para impedir que Portugal caia nas mãos do comunismo. Do outro lado, a KGB tem em mente um plano diabólico e põe em campo os seus melhores agentes. É então que um golpe de teatro promete desequilibrar esta guerra fria. Natália Grifanov, mulher de um poderoso coronel da KGB, está disposta a passar para o Ocidente e a relatar todos os segredos que sabe. Para organizar essa deserção a CIA escolhe o seu melhor agente: Malko Linge. Mas nem ele conseguirá levar a cabo esta missão sem evitar danos colaterais. E é então que, nas ruelas de Alfama e nos palácios da Lapa, entre traições e assassinatos, a Revolução dos Cravos mostra a sua outra face.

E, acredite, não é bonita!

Um thriller soberbo e original, passado no pós 25 de Abril de 1974.


Saida de Emergência

.Contador de visitas

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds