Sábado, 21 de Novembro de 2009

Futebolês #02 MATAR

Ver imagem em tamanho realDepois de beijar, matar. Enfim, tem alguma coisa a ver! Não há o chamado beijo da morte? Pelo menos todos conhecemos um, já lá vão mais de 2 mil anos…

Mas não dramatizemos. Se falar de matar, e da morte que lhe está associada, não é tabu então em futebolês é mesmo a coisa mais normal deste mundo.

O futebolês está cheio de matanças. No futebol mata-se muita coisa. Felizmente que, na maioria das vezes, não passa mesmo de figura de estilo. Também é certo que a morte, a verdadeira e trágica, passa muitas vezes pelo futebol: em pleno campo de jogo, nas bancadas ou até bem longe dos estádios, como acabou de acontecer com o infeliz Robert Enke. Mas essa, a trágica e que todos temos por certa, não é para aqui chamada.

Mata-se a jogada, mata-se a bola e até se mata o jogo.

Matar a jogada é a expressão usada para impedir o desenvolvimento de uma acção de construção de jogo. É uma das expressões do futebolês que me parece mais apropriada: porque liquida a jogada, retira-lhe a vida com recurso à ilegalidade, e muitas vezes à violência. Quando existem sempre alternativas legais para esse impedimento: através do desarme, por exemplo. Desarmar o adversário não é despojá-lo das armas, não é obrigá-lo a depor as armas, é tão só roubar-lhe a bola (mas roubar legalmente, que é coisa que não existe só no futebol). Mas não deixa de ter o mesmo sentido de humilhação…E, aí, claro que já não há matança. Matar é ilegal, mesmo no futebol!

A fronteira aqui, como em tudo na vida, é mesmo o cumprimento da lei. E, como todos sabemos, é onde as coisas se complicam …

 

Também há o entrar a matar. É entrar com tudo sobre o adversário: umas vezes vai adversário e bola; outras, só adversário. O exemplo, claro, é Bruno Alves, integrando uma dinastia que conta com Paulinho Santos, Jorge Costa e Pedro Emanuel, tudo gente bem conhecida…

Curiosamente em futebolês quem mata não é, por definição, o matador. O matador é outro, é o 9, o ponta de lança, o rato de área.

É a ave rara do futebol, por quem todos os clubes dão o rabinho e oito tostões!

Apesar da analogia apontar para o vocabulário tauromáquico, há várias espécies de matadores: o tipo sniper, que faz da área o seu esconderijo, onde permanece muito quietinho, com uma enorme paciência à espera da oportunidade de atirar a matar; e o tipo serial killer, que mata a eito e de qualquer maneira, sem paciência nenhuma, de quem se diz que só tem olhos para a baliza. Mesmo assim mata muito menos que o sniper. E há ainda o matador compulsivo, que vive para matar. É uma obsessão!

Lembram-se de um tal Jardel? Pois, é o exemplo. Matava tanto que quando pensou que já não havia mais nada para matar…foi o que se viu: matou-se a si próprio.

Como comecei por dizer também se mata o jogo. E, mais uma vez, não é normalmente coisa do matador. Normalmente mata-se o jogo ao marcar o segundo golo, ou a fazer subir o score para a diferença de dois golos e, aí, o assassino até poderá ser o matador. Mas quem o mata o jogo mais vezes é mesmo o árbitro; então em Portugal parece que têm mesmo vocação exterminadora. Os dirigentes desportivos também matam que se fartam, esses não só matam o jogo como matam a sua galinha dos ovos de ouro! É mais um dos muitos anacronismos do futebol: quem mais precisa do jogo é que o mata!

E mata-se a bola, que é mesmo o anacronismo-mor! Mas é! “Mata a bola no peito e pousa na relva”. “Mata no peito e dispara de primeira”. Mas, é mais uma curiosidade, não é aqui que a bola fica morta. Não, uma bola morta é outra coisa, é quando está inofensiva. O que é estranho porque a bola é a coisa mais pacífica desse mundo, nunca faz mal a ninguém. 

Ver imagem em tamanho real

Farta-se de ser maltratada e nunca reage. Diz-se que chora, mas só isso! 

Os jogadores levam muito a sério isso de matar a bola no peito. 

Só assim se compreende a sua enorme preocupação com essa zona do corpo: vejam os peitorais que exibem, mais lustrosos e bem tratados que carabinas de coleccionadores e caçadores.

Pois é meninas, quando deliram com aqueles peitorais do Cristiano Ronaldo, tenham muito cuidado: aquilo é uma arma letal, meticulosamente preparada para matar!

publicado por Eduardo Louro às 07:35
endereço do post | comentar | favorito
13 comentários:
De Paulo Sousa a 21 de Novembro de 2009 às 08:37
Já não há Sábado sem futobolês.
Obrigado por me arranjar um dúzia de sorrisos logo de manhã... cedo...

Abç
De Pedro Oliveira a 21 de Novembro de 2009 às 19:45
Boa tarde a todos desde a Lusa Atenas,

Estou em Coimbra para participar na AG da Briosa, já que ontem valores maiores se levantaram para faltar ao Conselho Académico....
Peço desculpa ao Eduardo, mas ontem quem morreu na lerpa fui eu...em mais um encontro fantástico dos editores do Vila Forte.
Hoje logo pela manhã estive na várzea a assistir a um jogo de sub 13 entre a ADP e a Acad. SCP da MG, para além da lesão nas costas do meu filho o "resumo" do jogo pode ser lido aqui :

http://adportomosense.blogs.sapo.pt/92657.html

Um resto de fim-de-semana cheio de bola e coisas boas.

p.s. Na Ribeira de Baixo houve matança do porco e a lareira estava 6 estrelas, a esta hora lá em casa deve estar uma movimentação e tanto pelas morcelas da Jaquina...
Abraço
De Pedro Oliveira a 22 de Novembro de 2009 às 10:34
Bom dia a todos,
Ontem à noite estive aqui:
http://osexoeacidade.com/sem-categoria/academica-23/
abraço
De PortoMaravilha a 22 de Novembro de 2009 às 23:52
Excelente !

Salvo erro meu , aqui só se utiliza a espressão matar para designar quem marcou e não deixa dar a volta ao resultado. "Il a tué le match " = matou o jogo = matou o suspense.

Matador ou "tueur" designam os jogadores , por aqui, que são maldosos. O exemplo mais gritante é de quem , e nunca será esquecido, partiu uma perna ao Pelé, aquando a copa do Mundo de 1966. Não me lembro agora se foi o Coluna ou o Vicente.

Em seguida, Portugal pode ganhar facilmente o jogo. É um facto que pertence à história dos "tueurs" ou assassinos no mundo do futebol.

O mesmo gesto aconteceu também quanto a um guarda redes Alemão, perante um jogador Francês. Isto num outro campeonato do mundo

Estes jogadores , aqui , são considerados como assassinos ou matadores.

Já uma entrada rude não tem nada a haver. E, por aqui, fala-se de entrada " à margem da lei" , etc.

Posso estar enganado, mas não estou a ver a expressão "matar" a ser utilizada num relato de fut fr.

Nos relatos fr , o matador´( le tueur ) é mesmo aquele quem destroi ou aniquila fisicamente o adversário.

Para terminar : Os peitorais de Cristiano Ronaldo também agradam aos meninos. Acho que não é um acaso se continua sempre no tpo das revistas gays..

E meninas também tem um masculino !

( não sou gay nem bi : mas se a língua portuguesa nos permite tal diversidade porque esquecer a sua riqueza e retórica ? )

E Viva o porto !
De Eduardo Louro a 23 de Novembro de 2009 às 16:09
Meu caro PotroMaravilha,

Agradeço a sua habitual e imprescindível participação. "Il a toue le mach" é, como refiro no texto, por cá utilizado. Quando o resultado passa para uma diferença de 2 ou mais golos, matou-se o jogo - o "suspense" do resultado. Já o matador, enquanto agressor, como refere para o caso de Pelé em 66 (não foi o Coluna, esse "monstro sagrado" nunca faria um acoisa dessas, foi, ele sim, vítima do Trapattoni numa coisa dessas, e embora tenha sido o Vicente o seu marcador nesse jogo, também penso que não foi ele, mas creio que o Morais, quem partiu a perna ao Pelé, embora não tenha a certeza absoluta disso. A tal situação do guarda-redes alemão, era o Shoenmaker, aconteceu no Mundial de 82 em Espanha. Creio que foi sobre o Baptiston (não sei se estábem escrito) e foi arrepiante. Daria golo e apuramento da França, mas apurada foi a Alemanha. Hoje talvez não fosse assim, não acha?
De Eduardo Louro a 23 de Novembro de 2009 às 16:16
Meu caro PotroMaravilha, corrigindo o meu comentário:

Agradeço a sua habitual e imprescindível participação. "Il a toue le mach" é, como refiro no texto, por cá utilizado. Quando o resultado passa para uma diferença de 2 ou mais golos, matou-se o jogo - o "suspense" do resultado. Já o matador, enquanto agressor, como refere para o caso de Pelé em 66 (não foi o Coluna, esse "monstro sagrado" nunca faria um acoisa dessas, foi, ele sim, vítima do Trapattoni numa coisa dessas, e embora tenha sido o Vicente o seu marcador nesse jogo, também penso que não foi ele, mas creio que o Morais, quem partiu a perna ao Pelé, embora não tenha a certeza absoluta disso) não é por cá utilizado nesse sentido. A tal situação do guarda-redes alemão, era o Shoenmaker, aconteceu no Mundial de 82 em Espanha. Creio que foi sobre o Baptiston (não sei se estábem escrito) e foi arrepiante. Daria golo e apuramento da França, mas apurada foi a Alemanha. Naquele tempo era assim, o futebol era uma bola, 11 contra 11 e, no fim, ganhava a Alemanha. Hoje talvez não fosse bem assim, como se vai vendo, não acha?
De PortoMaravilha a 23 de Novembro de 2009 às 17:08
Muito obrigado pelas suas respostas.

Aquela entrada sobre Battiston foi mesmo incrível , já que Shoenmaker o podia ter travado de outra maneira.( não estou a desculpar uma falta ).

Ele podia ter morto o jogador Francês. Creio aliás que este ficou com sequelas motoras para toda a vida.

Penso que quando alude ao futebol 11 contra 11 se está a referir à mão de T Henry que permitiu o empate frente à Irlanda. E também às declarações deste que afirmou ter havido mão.

Aqui tem dado grande risota por parte dos amantes de rugby ( até emitiram camisolas com a inscrição : no rugbi também é falta : joga com a mão a bola para a frente ). E além disso, o rugbi vai ganhando cada vez mais adeptos ao futebol.

No rugbi há realmente um outro estado de espírito (até quando ? ) . Este permite atrair cada vez mais os adeptos de futebol. Os espectadores estão misturados, pode se ir em família e a terceira parte é realmente um lugar de convívio.

Só um aparte : Na Irlanda , a França foi escandalosamente roubada. Dois penaltis . Um indiscutivel. Porque este aparte ? Porque me parece que a arbitragem vídeo é uma necessidade ( ainda há pouco tempo eu era contra / agora penso que é vital / O argumento de Platini dizendo que se existe pra os pro também deve existir para os amadores não me parece ter mais cabimento).

E Viva o Porto !



De Eduardo Louro a 23 de Novembro de 2009 às 19:36
Pois é meu caro,
Bem me parecia que tinha escrito mal Battiston, mas lembro-me que era de facto o nome, como me lembro da jogada arrepiante, e que nunca mais ouvi falar dele.
O rugby é, ainda (até quando, interrogava-se muito bem...) uma modalidade de gentlemen, como o futebol foi nos seus primórdios, por isso transparente. Mas se por lá aparecerem Batlers e Platinis, a coisa muda!
Referia-me, claro, à mão do Henry, que até no rugby era falta, como diz. Realmente como é que o Platini pode vir com a histórtia do futebol amador para justificar a sua posição retrógrada? Então no futebol amador estão em jogo os milhões que o futebol profissional movimenta? A única razão que ele pode apresentar é que. com os meios tecnológicos, perde a sua influência e o seu poder. E isso é que ninguém quer perder!
De Eduardo Louro a 23 de Novembro de 2009 às 19:38
Hoje não acerto uma: o compadre do Platini é Blater, troquei a posição ao L.
De Paulo Jerónimo a 23 de Novembro de 2009 às 11:59
Eduardo,
Obrigado pelos teus "post perfumados" e de futebolês.
Futebol é paixão, e gosto, quando é sabido exercer tal paixão de modo apaixonante, sem entrar nas guerras colaterais do mata-mata...

Assim dá gosto ler, e discutir, se for o caso.

Pergunta para a história:
Em que jornada o SLB foi eliminado da Taça de Portugal 2009/2010?

R: http://bitaites.org/wp-content/uploads/photos/2009/out/26/arranjeumservidor.gif
De Eduardo Louro a 23 de Novembro de 2009 às 15:50
Agradeço o comentário. Sobre a pergunta, ela dói-me, mas a resposta dói-me mais... Porque acho que a humildade, quando acompanhada de inteligência, é o maior dom a que o ser humano pode aspirar!
De Pedro Oliveira a 23 de Novembro de 2009 às 13:52

@ povilaforte Boa tarde. Intervalo almoço formação.Semana cheia: amanhã Lisboa, 4º Aveiro e 5ª auditoria. abraço a todos

@povilaforte Quem tiver interesse resumo AG da AAC-OAF: http://pardalitosdochoupal....

Comentar post

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.connosco à mesa

Os nossos convidados

Dr. Miguel Horta e Costa

Eng. Cláudio de Jesus

Dr. Saúl António Gomes

Dra. Isabel Damasceno 

Prof. Júlio Pedrosa 

Cor. Valente dos Santos

 

Os nossos leitores

Ana Rita Sousa

Carlos Sintra

 

O nosso email

 

Siga-nos 

 

.podcast


Curvas do Livramento

oiça os nossos debates

Ed. Zero

Edição 1 - 04/Jun/009

Ed. 1.1 Europeias

Ed. 1.2 Autárquicas

Ed. 1.3 Casamentos Gay

Edição 2 - 30/Jun/009

com Clarisse Louro

Ed. 2.1 Pós Europeias

Ed. 2.2 Legislativas

Ed. 2.3 Autárquicas

Ed. 2.4 PMós 2º Clarisse Louro

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.Últimos Comentários

Special thanks to MrCosmos
The Feedburner expert

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.Quiosque

diários

semanários
  regionais
 
   

.Filme recomendado

 

 

Trailer

 

 

 

.Leitura em curso


A Revolução dos Cravos de Sangue

de Gerard de Villiers

Estamos em Portugal, no rescaldo do 25 de Abril, e Lisboa é um tabuleiro de xadrez onde CIA e KGB jogam uma partida mortal. Os serviços secretos americanos, desesperados por apenas terem sabido do golpe de Estado através dos jornais, esforçam-se para impedir que Portugal caia nas mãos do comunismo. Do outro lado, a KGB tem em mente um plano diabólico e põe em campo os seus melhores agentes. É então que um golpe de teatro promete desequilibrar esta guerra fria. Natália Grifanov, mulher de um poderoso coronel da KGB, está disposta a passar para o Ocidente e a relatar todos os segredos que sabe. Para organizar essa deserção a CIA escolhe o seu melhor agente: Malko Linge. Mas nem ele conseguirá levar a cabo esta missão sem evitar danos colaterais. E é então que, nas ruelas de Alfama e nos palácios da Lapa, entre traições e assassinatos, a Revolução dos Cravos mostra a sua outra face.

E, acredite, não é bonita!

Um thriller soberbo e original, passado no pós 25 de Abril de 1974.


Saida de Emergência

.Contador de visitas

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds