Sexta-feira, 29 de Janeiro de 2010

Futebolês #12 Falta Cirúrgica

 

A falta cirúrgica traduz, em futebolês, uma atitude faltosa, incorrecta e à margem da lei, mas praticada com uma enorme precisão, a começar pelo local onde acontece. É essa precisão que contribui para a dimensão cirúrgica da falta. Mas não chega, é preciso que a jogada interrompida dessa forma seja obviamente potenciadora de perigo.  

A falta cirúrgica é pois aquela que é cometida com grande precisão, sem possibilidade de falhar o seu grande objectivo, que é anular uma jogada perigosa do adversário. Jogada perigosa que é tão só a que tem previsíveis condições de resultar em golo.

Começamos a perceber que estamos a falar de qualquer coisa, se não contra natura, pelo menos de grande carga anti desportiva. De qualquer coisa imoral, sendo que a moral no futebol se resume na feliz expressão inglesa “fair play”. Que vai para além da nossa simples tradução – jogar justo – atingindo uma dimensão de respeito muito mais universal que remonta às origens do futebol, um jogo então praticado por gentlemen.

Talvez não tenhamos grande dificuldade em aceitar que, no calor do jogo, na enorme pressão da competição, os jogadores recorram a essas práticas anti desportivas e condenáveis no plano da ética do jogo. O mesmo se não passará quando vemos muitos dos agentes a quem compete divulgar, enobrecer e prestigiar o jogo, defende-lo, quando por mais não seja porque que vivem dele, porque a sua vida depende do futebol, a exaltarem prática da falta cirúrgica e a premiar o seu autor como se de uma grande jogada se tratasse. Custa a entender como a promovem, ao ponto de chamarem ingénuos, como acontece nos comentários aos jogos da CAN, a competição africana a decorrer em Angola, aos jogadores africanos que ainda resistem ao seu recurso.

Não sei, francamente não sei, se a forma como os narradores e comentadores portugueses premeiam o recurso à falta cirúrgica é comum a outros países e noutras culturas. Mas sei que esta atitude dos que comentam e narram o futebol em Portugal não pode ser dissociada da realidade do futebol nacional, sempre pronta a alimentar uma guerra de guerrilha que arregimenta e mobiliza cada vez mais mercenários que, evidentemente, se estão nas tintas para o fair play, para o são convívio que o futebol tem todas as condições de promover e para o respeito pelo sentimento alheio.  

O que vimos assistindo nos últimos dias é paradigmático. Autênticas acções cirúrgicas espalhadas por todo o espaço mediático que mais não visam que incendiar o clima de guerrilha já claramente instalado. Clima alimentado por uma enorme legião de comentadores, estrategicamente posicionados nesse espaço, mercenários pagos para fazer a guerra, que deveríamos, todos, deixar a falar sozinhos. 

Quando vemos, como vimos e ouvimos nas escutas divulgadas na semana passada, um jornalista que se supunha prestigiado e ética e deontologicamente inatacável – António Tavares Teles – tornar-se parte activa na trapaça urdida em torno do Deco, em 2004, percebemos como é fácil instalar e alimentar a guerrilha.  

Por tudo isto é bom saber que há gente que gosta de futebol e que sente e vive a paixão pelo seu clube como um sentimento que sabe cruzar-se com outros sentimentos. Que não se esgota na paixão cega, que não defende a falta cirúrgica, mas uma paixão que serve de nascente que alimenta outras paixões. Por tudo isto me deliciei com um fantástico texto do José Fialho Gouveia, que já aqui trouxe noutra oportunidade, publicado na Mística – revista oficial do S.L. Benfica, “postado” na passada terça-feira no nosso vizinho forte “Albergue Espanhol”, e que o Pedro Oliveira aquilinkou” anteontem. E me deliciei com os inúmeros comentários de gente de todas as cores clubísticas, entre os quais o de uma leitora que entendeu, como muitos outros, complementar ou rematar o seu comentário. Fê-lo desta forma: “É completamente irrelevante para o caso, mas sou azulona”.

Afinal ainda há gente a ver o futebol assim: onde a nossa cor pode ser sempre completamente irrelevante para o caso. Onde nos possamos rever nos sentimentos dos outros, independentemente da sua cor. Onde sintamos que a nossa paixão é respeitada quando respeitamos a do outro, sem que para isso tenhamos, evidentemente, de deixar de brincar e de apimentar as brincadeiras. Onde possamos todos dizer que não gostamos de faltas cirúrgicas!

 

 

 

 

 

 

publicado por Eduardo Louro às 07:02
endereço do post | comentar | favorito
4 comentários:
De Pedro Oliveira a 29 de Janeiro de 2010 às 08:32
Infelizmente ,para o futebol nacional, as faltas têm sido grosseiras tornando o negócio sujo,sem credibilidade e sem futuro, a continuar assim.
Se fosse uma actividade em que os adeptos/clientes agissem de forma racional,este negócio já tinha fechado portas, mas como somos todos tolinhos da bola lá continuamos a aturar e idolatrar,alguns, quem goza com a malta e faz de nós, alguns, parecer gente que não pensa pela própria cabeça. E como a nível local, regional e nacional o futebol está misturado, promiscuamente, com a politica o caldo é impróprio para consumo...
Mas parece que gostamos assim...azedo.
De Paulo Sousa a 29 de Janeiro de 2010 às 08:44
Mudar de canal, ou desligar a TV, é a atitude mais racional.
De ricardo a 29 de Janeiro de 2010 às 16:24
Fechar os olhos é racional?
De Paulo Sousa a 29 de Janeiro de 2010 às 20:29
Exactamente. Foi isso que eu disse.
É paixão pelo futebol que justifica a atenção dada a algo que se regula por regras próprias não lineares, como bem expôs o Eduardo. A paixão não é racional, será antes o oposto.
Por isso mesmo o mais racional é mesmo abstrair-mo-nos, resguardar-mo-nos e ocupar o escasso tempo livre e as energias noutras realidades.

Comentar post

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.connosco à mesa

Os nossos convidados

Dr. Miguel Horta e Costa

Eng. Cláudio de Jesus

Dr. Saúl António Gomes

Dra. Isabel Damasceno 

Prof. Júlio Pedrosa 

Cor. Valente dos Santos

 

Os nossos leitores

Ana Rita Sousa

Carlos Sintra

 

O nosso email

 

Siga-nos 

 

.podcast


Curvas do Livramento

oiça os nossos debates

Ed. Zero

Edição 1 - 04/Jun/009

Ed. 1.1 Europeias

Ed. 1.2 Autárquicas

Ed. 1.3 Casamentos Gay

Edição 2 - 30/Jun/009

com Clarisse Louro

Ed. 2.1 Pós Europeias

Ed. 2.2 Legislativas

Ed. 2.3 Autárquicas

Ed. 2.4 PMós 2º Clarisse Louro

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.Últimos Comentários

Special thanks to MrCosmos
The Feedburner expert

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.Quiosque

diários

semanários
  regionais
 
   

.Filme recomendado

 

 

Trailer

 

 

 

.Leitura em curso


A Revolução dos Cravos de Sangue

de Gerard de Villiers

Estamos em Portugal, no rescaldo do 25 de Abril, e Lisboa é um tabuleiro de xadrez onde CIA e KGB jogam uma partida mortal. Os serviços secretos americanos, desesperados por apenas terem sabido do golpe de Estado através dos jornais, esforçam-se para impedir que Portugal caia nas mãos do comunismo. Do outro lado, a KGB tem em mente um plano diabólico e põe em campo os seus melhores agentes. É então que um golpe de teatro promete desequilibrar esta guerra fria. Natália Grifanov, mulher de um poderoso coronel da KGB, está disposta a passar para o Ocidente e a relatar todos os segredos que sabe. Para organizar essa deserção a CIA escolhe o seu melhor agente: Malko Linge. Mas nem ele conseguirá levar a cabo esta missão sem evitar danos colaterais. E é então que, nas ruelas de Alfama e nos palácios da Lapa, entre traições e assassinatos, a Revolução dos Cravos mostra a sua outra face.

E, acredite, não é bonita!

Um thriller soberbo e original, passado no pós 25 de Abril de 1974.


Saida de Emergência

.Contador de visitas

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds