Quinta-feira, 29 de Abril de 2010

Investigação científica e serviço público*

"Quereis saber o que é investigação científica?

Pois vêde o que é um país sem ela.Então podereis analisar as misérias de que esse país é vitima, a degradação que nele se verifica, a desorganização das actividades,a falta de planos de conjunto.Em lugar dos trabalhos meticulosamente pensados, para que nada esqueça e tudo esteja pronto a horas, surgem as inspirações do acaso, animadas e estipuladas pela opinião pública, deleitando-se as pessoas no culto do armado no ar, do feito à pressa...

Chega o vício a tal ponto que até há quem faça o elogio de tais improvisações, supondo-as ingenuamente testemunhas de inteligências vivas e claras, quando em qualquer parte onde houvesse bom senso seriam apenas pura e simplesmente condenadas!

podeis ver, onde não existe investigação científica, a preguiça entronizada, com o atraso imperando e a rotina luzindo e, por cima de todas estas desgraças, o ensino a decair de dia para dia, as universidades enfraquecendo-se, o escol tornando-se raro e a juventude educando-se cada vez pior.

 

Esboçam-se actividades que não têm viabilidade; instalam-se indústrias onde não há matérias-primas necessárias ou erguem-se centros fabris dispendiosos em locais condenáveis, forjam-se organizações com vícios fundamentais que irremediavelmente elevarão até ao exagero os preços dos produtos manufacturados, estabelecem-se vias de comunicação por mera inspiração do acaso,sem plano de conjunto,nem visão do futuro ou da expansão económica da nação, criam-se pontos de drenagem de mercadorias quando elas não existem...persiste-se em manter a aparelhagem económica da nação em moldes atrasados, segundo princípios arcaicos, que são a negação das mais elementares normas de organização de trabalho.

Por cima de todos estes vícios teimam-se em viver num meio de actividades estagnadas, porque as que poderiam dar o arejamento necessário, criara e distribuir riqueza, que teriam êxito seguro dentro da economia geral, tardam em ser descobertas ou valorizadas.

 

Este quadro dramático que ora se descreve é afinal o quadro de todos os povos que, sem grandes recursos, utilizam uma técnica frouxa, contentando-se com a sua linguagem balbuciante. Isto é uma consequência certa, também, em toda a parte onde se abandona a técnica a si mesma, se não estimula, se não força o progresso, pelo único sistema que se conhece: desenvolvendo a investigação científica que deve apoiar ou orientar."

 

* António Câmara, 1949. Avô de António Câmara, prémio Pessoa 2006.

in o futuro inventa-se

 

publicado por Pedro Oliveira às 08:00
endereço do post | comentar | favorito
1 comentário:
De anónimo a 29 de Abril de 2010 às 10:57
Em 50 anos não aprendemos nada! Um país eternamente cheio de diagnósticos e zero de aprendizagens com os erros.
A única coisa que sabemos mudar é no Português (escrito) de resto um texto que bem podia ser de 2010.

Comentar post

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds