Quarta-feira, 7 de Janeiro de 2009

Casa do Futuro, sem lugar para os estudantes

Na escola venderam-me uma poesia em que, depois da liberdade de Abril, todos eramos iguais. O Estado respeita o cidadão e o cidadão pode inclusivamente processar o Estado. Dado o estado da nossa justiça os resultados da política de Justiça dos últimos governos, todos concordamos que é quase uma utopia alguém processar o Estado e ser bem sucedido sem que tenha ex-governantes como advogados, restando por isso o Estado respeitar o cidadão.

Também sabemos que o apego que os políticos têm pelo cidadão nos comicios e nas feiras em épocas pré-eleitorais termina no dia do voto. O ridiculo período de reflexão é para os políticos um período de desinfecção. Depois de tantos beijos a abraços dados com uma convicção fingida, há que se desinfectar do mau cheiro dos portugueses. Depois é só esperar e com um pouco de sorte, chega a hora dos corredores do poder.

Durante o mandato sempre que se fazem deslocar pelas cidades, os políticos no poder, são escoltados por motoqueiros fardados e equipados com sirene que enxotam os cidadãos. Estes, sem escolta, logo regressam à vida consomida no trânsito.

 

Hoje, 50 alunos da Escola Básica 2,3 de Ceira deslocaram-se a Lisboa para uma visita de Estudo à Casa do Futuro em Lisboa. A visita estava programada há cerca de dois meses mas depois de duzentos quilómetros de autocarro os alunos esbarraram com uma porta fechada. A explicação dada foi que tinham sido requisitados pelo Gabinete do Primeiro Ministro para um evento.

 

Aos políticos não se exige um apego fingido ao cidadão, exige-se apenas respeito.

 

Mas vendo bem, os alunos podem ter aprendido duas coisas importantes nesta visita de estudo. Uma, é que aquela poesia da liberdade de Abril, não passa disso, de poesia, e outra é que a Casa do Futuro, metáfora irresistível, não se preocupa com as suas expectativas.

estou:
tags: ,
publicado por Paulo Sousa às 22:31
endereço do post | comentar | favorito
3 comentários:
De anonimo a 7 de Janeiro de 2009 às 23:58
«Estamos todos muito frustrados. Foi uma falta de respeito pelos alunos», lamenta a professora Fernanda Castro, da Escola Básica 2,3 de Ceira (nos arredores de Coimbra), depois de ter visto cancelada a visita de estudo à Casa do Futuro sem qualquer aviso prévio.

A docente, que organizou a excursão há cerca de dois meses, explicou ao SOL que só às 14h30 desta quarta-feira foi informada de que os 50 alunos que a acompanhavam não poderiam entrar «porque a Casa do Futuro estava requisitada pelo gabinete do senhor primeiro-ministro para um evento».

ISTO SÓ MESMO EM PORTUGAL! CADA VEZ MAIS O REGRESSO A UM PASSADO TÃO LONGINQUO...
QUE FALTA DE RESPEITO
De trupego a 8 de Janeiro de 2009 às 00:55

Sem pretender defender ninguém, até porque não conheço nem sabia da existência de tal " casa do futuro", caro Pedro falta saber se a tal professora agendou antecipadamente a visita de estudo. É sempre bom haver organização para que as coisas não falhem.

António Almeida
De LT a 23 de Março de 2009 às 20:25
Se reparar no comentário anterior ao seu está sitado do site do SOL(link fornecido no post) que a visita estava de facto marcada à cerca de 2 meses

Comentar post

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.connosco à mesa

Os nossos convidados

Dr. Miguel Horta e Costa

Eng. Cláudio de Jesus

Dr. Saúl António Gomes

Dra. Isabel Damasceno 

Prof. Júlio Pedrosa 

Cor. Valente dos Santos

 

Os nossos leitores

Ana Rita Sousa

Carlos Sintra

 

O nosso email

 

Siga-nos 

 

.podcast


Curvas do Livramento

oiça os nossos debates

Ed. Zero

Edição 1 - 04/Jun/009

Ed. 1.1 Europeias

Ed. 1.2 Autárquicas

Ed. 1.3 Casamentos Gay

Edição 2 - 30/Jun/009

com Clarisse Louro

Ed. 2.1 Pós Europeias

Ed. 2.2 Legislativas

Ed. 2.3 Autárquicas

Ed. 2.4 PMós 2º Clarisse Louro

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.Últimos Comentários

Special thanks to MrCosmos
The Feedburner expert

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.Quiosque

diários

semanários
  regionais
 
   

.Filme recomendado

 

 

Trailer

 

 

 

.Leitura em curso


A Revolução dos Cravos de Sangue

de Gerard de Villiers

Estamos em Portugal, no rescaldo do 25 de Abril, e Lisboa é um tabuleiro de xadrez onde CIA e KGB jogam uma partida mortal. Os serviços secretos americanos, desesperados por apenas terem sabido do golpe de Estado através dos jornais, esforçam-se para impedir que Portugal caia nas mãos do comunismo. Do outro lado, a KGB tem em mente um plano diabólico e põe em campo os seus melhores agentes. É então que um golpe de teatro promete desequilibrar esta guerra fria. Natália Grifanov, mulher de um poderoso coronel da KGB, está disposta a passar para o Ocidente e a relatar todos os segredos que sabe. Para organizar essa deserção a CIA escolhe o seu melhor agente: Malko Linge. Mas nem ele conseguirá levar a cabo esta missão sem evitar danos colaterais. E é então que, nas ruelas de Alfama e nos palácios da Lapa, entre traições e assassinatos, a Revolução dos Cravos mostra a sua outra face.

E, acredite, não é bonita!

Um thriller soberbo e original, passado no pós 25 de Abril de 1974.


Saida de Emergência

.Contador de visitas

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds