Quarta-feira, 7 de Abril de 2010

Dia Mundial da Saúde

 

Dia Mundial da Saúde
7 de Abril de 2010
 
     
 

 

 

 

Assinala-se hoje a constituição da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Nesta ocasião é escolhido anualmente um tema de importância relevante para reflexão de todos.

O tema escolhido para O Dia Mundial da Saúde de 2010 é  “Urbanismo e Saúde”, tendo associada a campanha “1.000 cidades, 1.000 vidas”.

De 7 a 11 de Abril este tema será comemorado em todo o mundo com a realização de actividades em parques públicos, campanhas de limpeza e interdição de áreas urbanas ao trânsito de veículos motorizados. Estas iniciativas abrangerão 1.000 cidades espalhadas por todo o mundo. Por outro lado, a acção pretende reunir os relatos de 1.000 cidadãos que de algum modo tenham influenciado, com as suas iniciativas, a saúde das suas cidades.

Este é um tema que considero muito importante, sobretudo pelo aumento substancial da concentração de populações com reduzida qualidade de vida, associadas à migração para os Centros Urbanos de populações pobres, desempregadas, com ausência de cuidados básicos de saúde e consequente aumento e propagação de doenças transmissíveis, aumento da violência e de práticas anti-sociais.

Neste dia a OMS vai reflectir sobre uma problemática que ganhou contornos dramaticamente incontroláveis em muitos dos maiores centros urbanos do mundo.

 

E por cá? Como está a saúde no "mundo rural", ou se quisermos, na Província?

 

Ao contrário de outros sou dos que reconhece que nos últimos 30 anos houve uma enorme e positiva evolução com a construção do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Infelizmente sou utilizador frequente dos Hospitais "Públicos".  E no que a mim e aos meus diz respeito sou obrigado a reconhecer um enorme valor aos profissionais que garantem a assistência e cuidados 24 horas por dia, sete dias por semana, 365 dias por ano.

Há alguns anos atrás ouvia dizer que o Hospital era local onde se saía pior que se entrava; que a saúde em Portugal era para ricos, porque só os hospitais privados poderiam prestar cuidados de qualidade e esses não estão acessíveis a qualquer bolsa…

Durante alguns anos constatei que a boa vontade dos Profissionais não era suficiente (fui Bombeiro nos anos 80) e nessa altura até os meios de diagnóstico do SNS eram incomparavelmente mais rudimentares que os dos Hospitais e Clínicas privadas.

Hoje não é assim! É o SNS que proporciona aos utentes os meios de diagnóstico mais modernos e tem evoluído para um serviço humanizado e em muitos casos com a qualidade certificada, como é o caso do serviço de Pediatria do Hospital de Santo André (HSA) em Leiria.

 

No entanto também ao nível da saúde o País anda a velocidades bem diferentes.

Porque a realidade que constatamos, com a sistemática redução da “oferta” dos serviços de saúde, o encerramento dos serviços de atendimento permanente em zonas de reduzida densidade populacional e em muitos casos o encerramento do próprio serviço, promovendo a sua deslocalização para centros urbanos de maior dimensão, é sem dúvida o afastamento do SNS das populações mais desprotegidas. Ou seja também aqui existe uma inevitável visão economicista da “oferta”, uma vez que, até de acordo com afirmações de responsáveis, a procura reduzida dos serviços (leia-se reduzida população) deve tendencialmente levar ao seu encerramento!

Deverá ser assim? Sobretudo quando não estão garantidas as condições mínimas de transporte?

É o que acontece nas zonas rurais onde a interioridade se acentua e o acesso aos cuidados de saúde se restringe ao "Centro de Saúde". A falta de Profissionais, o envelhecimento das populações e a consequente aumento da procura dos serviços transforma estas unidades em verdadeiros amontoados de pessoas em condições de saúde miseráveis e muitas vezes arrasadas pela infinidade do tempo de espera.

Pena que o SNS ainda não tenha reconhecido este problema das populações de zonas "deprimidas"e continue a insistir com tentativas de reformas, que na prática têm constituído prejuizo para os utentes.

 

Hoje neste dia Mundial da saúde a reflexão não está centrada nestes casos. No entanto sem uma preocupação conveniente e uma intervenção eficaz nunca será possível dizer que está garantido o melhor acesso aos cuidados de saúde, que temos uma medicina de excelência, uma assistência em ambientes mais humanizados, um serviço de saúde acolhedor e mais seguro para os utentes e profissionais de saúde.

 

Mas se queremos cada vez mais uma “saúde igual para todos”, então que o seja, mas para lá das palavras, com actos,  porque Portugal é só um e Portugueses somos todos!

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds