Quinta-feira, 6 de Maio de 2010

Humanização na Saúde

Na passada sexta-feira, à noite, tive de me dirigir à urgência de Obstetrícia do Hospital de Sto André em Leiria. Quando alguém se dirige a uma urgência, à partida está frágil, receia que algo se possa passar com a sua saúde e naturalmente a atitude de acolhimento e respeito dos profissionais de saúde, desde as administrativas até ao pessoal médico, culminando no acto médico em si, muito contribuem para uma maior tranquilização, maior confiança no acto médico prestado e uma maior aderência ao próprio tratamento.

 

Não venho falar do mau diagnóstico e das possíveis consequências caso eu tivesse seguido as indicações do médico (no dia a seguir fui novamente à urgência de Obstetrícia da Maternidade Bissaya Barreto em Coimbra). De registar a diferença abissal na relação com o utente) mas manifesto a minha indignação pela falta de humanidade, de profissionalismo e de respeito com que fui tratada e vi serem tratadas outras pessoas que lá estavam. É na minha opinião inadmissível que um médico não olhe para o seu paciente, não escute as suas queixas, dúvidas e inseguranças e muito menos que teça comentários sarcásticos acerca da opção que a utente fez relativamente à maternidade em que decidiu (seja por que razão for) ter o seu filho. É inadmissível que “despeje” para cima dos utentes a rivalidade, sem sentido, entre a maternidade Bissaya Barreto e o seu hospital.

 

É inadmissível que a sala de observações e atendimento esteja de porta aberta, onde entra quem quer e olha quem passa, sem qualquer respeito pela intimidade e privacidade do utente. É inadmissível que a forma como o médico fala seja de “frete”, com a postura de quem está de saída e não está para responder a nada, como se nos estivessem a fazer um favor! È absolutamente inadmissível que ao contar este episódio a uma profissional de saúde que trabalha no hospital de Leiria, no referido serviço, ela me diga “Ah pois, toda a gente deveria saber que à sexta-feira à noite ninguém deve ir à urgência de obstetrícia. É sempre esse médico que está de serviço. É horrível. Já tem imensas queixas contra ele.” Ora, eu pergunto, como é possível ter imensas queixas e nada mudar? Para continuar com aquela postura é porque tem as costas muito quentes e sobretudo não tem mesmo nenhum respeito pelos seus pacientes, ou seja, não é fruto de “um dia mau” mas sim de falta de carácter e falta de profissionalismo.

 

Quantas mais queixas serão necessárias para que a postura deste médico mude? Vai ter mais uma, porque é um direito meu manifestar a minha reclamação, mas também é um dever porque poderá contribuir para alguma mudança no futuro. Alguma coisa deverá acontecer quando as queixas registadas forem muitas. Digo eu! Possivelmente ingenuidade minha! Temos que exigir que sejamos tratados com respeito!

 

A humanização da saúde é urgente. Muito já se fez mas ainda falta percorrer um longo caminho!

 

 

Ps. Para quem quer saber e para quem não quer o meu filho é Lindo e está muito bem de saúde! Mas tão lindo!!!

 

 

 

estou:

.vasculhar neste blog

 

.quem esteve à mesa

Ana Narciso

Eduardo Louro

Jorge Vala

Luis Malhó

Paulo Sousa

Pedro Oliveira

Telma Sousa

.Palestras Vila Forte

Prof. Júlio Pedrosa - Audio 

 

Prof. Júlio Pedrosa - Video 

 

Prof. António Câmara - Palestra

Prof. António Câmara - Debate

Prof. António Câmara - Video

 

Agradecemos à Zona TV

 

.Vila Forte na Imprensa

Região de Leiria 20100604

Público 20090721

O Portomosense20081030

O Portomosense20081016

Região de Leiria20081017

Região de Leiria20081017

Região de Leiria2008052

Jornal de Leiria 20080529

O Portomosense 20071018

Região de Leiria 20071019 II

Região de Leiria 20071019 I

Expresso 20071027

O Portomosense 20071101

Jornal de Leiria 20071101

Região de Leiria 20071102

.arquivos

.arquivos blog.com

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

.Vizinhos Fortes

.tags

. 25 abril(10)

. 80's(8)

. académica(8)

. adopção(5)

. adportomosense(11)

. aec's(21)

. alemanha(7)

. ambiente(9)

. amigos(5)

. amizade(7)

. angola(5)

. aniversário(9)

. antónio câmara(6)

. aquecimento global(7)

. armando vara(9)

. ass municipal(12)

. autarquicas 2009(46)

. avaliação de professores(9)

. be(7)

. benfica(13)

. blogosfera(16)

. blogs(38)

. blogues(19)

. bpn(6)

. casa velório porto de mós(10)

. casamentos gay(17)

. cavaco silva(8)

. censura(7)

. ciba(6)

. cincup(6)

. convidados(11)

. corrupção(7)

. crise(35)

. crise económica(8)

. cultura(7)

. curvas do livramento(10)

. democracia(7)

. desemprego(14)

. disto já não há(23)

. economia(25)

. educação(63)

. eleições(7)

. eleições 2009(55)

. eleições autárquicas(40)

. eleições europeias(12)

. eleições legislativas(46)

. escola(8)

. escola primária juncal(9)

. eua(8)

. europa(14)

. face oculta(18)

. freeport(14)

. futebol(39)

. futebolês(30)

. governo(6)

. governo ps(39)

. gripe a(8)

. humor(6)

. internacional(18)

. joao salgueiro(38)

. joão salgueiro(15)

. josé sócrates(7)

. júlio pedrosa(10)

. júlio vieira(6)

. juncal(31)

. justiça(11)

. liberdade(11)

. magalhães(6)

. manuela ferreira leite(13)

. médio oriente(10)

. medo(12)

. natal(13)

. obama(6)

. orçamento estado 2010(7)

. pec(8)

. pedro passos coelho(7)

. podcast(11)

. politica(12)

. politica caseira(6)

. porto de mós(119)

. porto de mós e os outros(41)

. portugal(27)

. presidenciais 2011(6)

. ps(48)

. psd(54)

. psd porto de mós(11)

. publico(9)

. religião(6)

. rtp(12)

. s.pedro(6)

. salgueiro(16)

. sócrates(81)

. socrates(62)

. teixeira santos(6)

. tgv(6)

. turismo(8)

. tvi(6)

. twitter(17)

. ue(17)

. vila forte(24)

. todas as tags

.subscrever feeds